terça-feira, 20 de setembro de 2016

Pedro Henriques o vendido

Pedro Henriques um vendido ao "tacho" na televisão
Mais cego é o que não quer ver

O ex-árbitro agora transformado em analista de arbitragem Pedro Henriques deve estar muito perto de entrar no livro de recordes por maior número de jogos sem ver um erro de arbitragem em prejuízo do FC Porto. Henriques é assim, fica cego, certamente por não querer ver, quando se trata de analisar os lances do nosso clube, em especial quando os adversários utilizam jogo violento. Foi assim no jogo de anteontem, em Tondela, em que não vislumbrou uma só entrada das muitas que o jogo teve, tinha sido assim em Alvalade, imune às cotoveladas dos jogadores do Sporting. Mas bem vistas as coisas também não é de estranhar, em 2009/10, ainda de apito na boca, o sr. Henriques não viu uma cotovelada num jogo em Olhão que levou Tomás Costa à sala de operações, com os ossos do nariz fracturados, sem que sequer tivesse assinalado falta. Com toda a certeza o analista Pedro Henriques isentaria o árbitro Pedro Henriques porque nenhum deles gosta do azul e branco. Sobre isso não há problema nenhum, cada um sabe de si, mas não fica bem apresentar-se como independente quando não o é.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Critérios disciplinares dos juízes do apito

E faltou também, como infelizmente se está a tornar demasiado habitual, mais acerto da equipa de arbitragem, que tranformou numa falta a meio-campo um lance aos 73 minutos que o assistente considerou fora de jogo quando Adrian López ficou isolado com um companheiro, ambos só com o guarda-redes pela frente.
A verdade é que o Conselho de Arbitragem está a ser coerente nas nomeações e para os jogos fora do FC Porto designa árbitros de Lisboa com um critério que se define simplesmente como canela até ao pescoço - impressionante a dureza sucessiva não sancionada pelo árbitro, o que pode confirmar aqui. De uma vez por todas, os critérios têm de ser iguais para toda a gente e não estão a ser. E as regras são para cumprir, as técnicas e as disciplinares. Que não volte a acontecer a equipa alguma tantos lances sem sanção disciplinar, porque adultera a verdade do jogo, com interferência no resultado, como é óbvio. 
Os jogadores e as tendências dos juízes do apito
Os jogadores durante o jogo também se apercebem das tendências, como se percebe nesta frase do jovem médio (Rúben Neves): "O árbitro só começou a admoestar a equipa contrária a partir dos 80 minutos e permitiu que eles continuassem a fazer esse tipo de jogo".

Dureza excessiva não sancionada pelo Hugo Miguel de Lisboa   
               


sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Futebol-Campeonato inquinado

A roubalheira na arbitragem do futebol tem um nome: José Fontelas Gomes
Nas últimas três épocas 
(passadas) imperou o "NOMEAÇÕES" afecto ao Benfica.
Depois de na época passada ter incendiado o ambiente, os dirigentes do Sporting lá conseguiram, esta época, colocar na presidência do Conselho de Arbitragem da FPF um dos seus 
(fanáticos) homens a controlar a arbitragem...!
Excerto da crónica de Pedro Marques Lopes 

…Mas, claro, não terá sido por erros de arbitragem que o FC Porto estará atrás na classificação. Será não por não conseguirmos jogar contra catorze, mas por não marcarmos cinco golos por jogo. Basta que continuemos a assistir como se nada fosse ao que se vai passando e vai ser este o filme.
Mas o até quando que mais me preocupa é o nosso. Até quando vamos ficar impávidos e serenos a assistir a tudo isto? Até quando os nossos dirigentes vão fingir que nada se passa?
É preciso reagir. Se não invertemos o estado de coisas, se não conseguirmos fazer com que os erros contra nós tenham o mesmo significado dos cometidos contra os nossos rivais, se deixamos que seja normal sermos prejudicados e os outros beneficiados, podemos nos sentar e chamar o título Gogot.
A queda da máscara
NÃO é que me espantem as risadinhas mal disfarçadas de quem rasgava as vestes de cada vez que não eram marcados cinco penalties a favor do seu clube e que agora se diverte muito a ver as roubalheiras descaradas contra o FC Porto. Também não me surpreende constatar que os lutos por um futebol limpo e transparente não passavam de tácticas para que o clube de que se é adepto fosse beneficiado, mesmo que escandalosamente.
É um triste espectáculo ver a queda da máscara, mas agora fica à vista de todos o rosto da hipocrisia. in A Bola

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Futebol- É urgente filtrar quem tem qualidade na arbitragem

Dragões Diário
O presidente da APAF veio a público defender a arbitragem de Tiago Martins no Sporting-FC Porto. Para lá da posição corporativista, incompreensível e inaceitável que alguém com um mínimo de responsabilidade no futebol português defenda o jogo violento que todos vimos em Alvalade e uma sucessão de erros tão grande como a de domingo. Para o presidente da APAF a entrada a pés junto de Bruno César sobre Otávio, as cotoveladas de Coates, Slimani e William Carvalho não existiram, e bem expulsos foram o Alex Teles em Vila do Conde e o Chidozie em Freamunde (FC Porto B). Se queremos uma arbitragem melhor, reduzindo à mínima expressão os erros de avaliação, mas assumindo e castigando os erros grosseiros, como os de Alvalade, não é com este género de dirigentes. É urgente filtrar quem tem qualidade e quem não tem, porque o campeonato nacional merece ser arbitrado pelos melhores e os melhores não erram sucessivamente contra uma das equipas em jogo. Para que serve um dirigente da arbitragem assim? Com este presidente da APAF a arbitragem e o futebol saem a perder.

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Tácticas sujas de Jorge Jesus

Na minha opinião, Jorge Jesus matou o jogo ao mandar deslocar o Bruno César para o meio campo e incentivou os sportinguistas a dar cacete se fosse preciso.
Sempre fez isso nos Corruptos de Carnide (SLB) quando, neste caso o Porto, o olhava nos olhos. Jorge Jesus é um mestre no jogo sujo, subterrâneo e rasteiro.

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Árbitro de Lisboa beneficia Sporting

Infelizmente, a nossa equipa não teve sorte com as decisões do árbitro. A verdade é que os dois golos do Sporting nascem de faltas não assinaladas por Tiago Martins, que pode ver aqui e aqui, só para falar nas mais relevantes e com influência muito directa no resultado. Impressionante a quantidade de vezes que os jogadores do Sporting usaram os cotovelos, sem serem devida e severamente punidos pela equipa de arbitragem, como aqui Slimani, reincidente neste tipo de comportamento em jogos com o FC Porto. Na terça-feira, em Roma, o árbitro puniu o jogo violento sem olhar a nomes, mas infelizmente em Portugal continua a haver uma inaceitável complacência com o jogo subterrâneo. É só comparar.
Depois, há coisas que parecem só ser possíveis no futebol português. Jorge Jesus recebeu ordem de expulsão, mas até cumprir a determinação do árbitro passaram uns intermináveis três minutos, com o treinador do Sporting a ser filmado pela televisão a dar instruções ao seu adjunto no banco dos suplentes, que devia ter abandonado imediatamente após a expulsão.


Coates sarrafeiro-mor e reincidente habitual




quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Os bitaites do Rui imbecil

Escreve o Rui imbecil em A Bola
“É verdade que falhei uma previsão tão normal de acontecer quanto as casas de apostas a achavam muito mais possível que a oposta. É verdade que vencer contra 9 foi tão fácil como era ganhar contra 11 nos tempos do Apito Dourado”.

 Vencer contra 9?
Oh Rui, tu que és tão esperto esqueces-te que o futebol tem regras que é preciso respeitar? E que as faltas violentas são passíveis de ser sancionadas com a expulsão de quem as comete? Pois, eu sei, que para ti, só são faltas passíveis de expulsão aquelas que são cometidas contra os futebolistas do Benfica…!!!

 Apito Dourado?
Oh Rui, outra vez, o disco arranhado do Apito Dourado? Se calhar estás-te a referir ao Kit Eusébio com os (vouchers) convites para 4 jantares que o Benfica oferece aos árbitros, assistentes e observadores.
Por falar em Apito Dourado, já te perguntaste porque é a investigação do Apito Dourado não passou de Leiria para baixo? É que se tivesse passado, ter-se-ia tornado público que o Luís Filipe Vieira escolhia os árbitros convenientes para apitar o Benfica: o João? Pode ser o João…etc…etc…!

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

O anti-jogo do central sportinguista Sebastián Coates

Os juízes do apito portugueses têm de estar mais atentos ao anti-jogo  do central sportinguista. É um futebolista que abusa do físico e faz muitas faltas...
Um exemplo: 
No passado jogo com o Paços Ferreira, Coates para cortar a bola levantou o pé até à altura da cabeça do avançado do Paços Ferreira atingindo o jogador do Paços na cabeça sem que o árbitro do jogo sancionasse a falta!!! 
Porque é que o juiz do apito não actuou em conformidade...?!
Disparidade de critérios
No jogo de preparação p.p. para o Euro, entre a selecção nacional e a selecção inglesa, o árbitro italiano do jogo mostrou o cartão vermelho directo ao Bruno Alves por uma entrada exatamente igual (atingir com o pé o adversário na cabeça).
Daqui se pode depreender que se os juízes do apito portugueses não actuam , é porque estão condicionados pelo palavreado incendiário de Bruno Carvalho e Jorge Jesus.

Resposta do FC Porto à altura

O FC Porto não só não perdeu por muitos, como era desejo dos Rui Gomes da Silva deste mundo, como mostrou muito dos ingredientes que fazem as grandes equipas, como solidariedade, espírito coletivo e ambição. O que custa a essa gentinha é que a Liga dos Campeões vai para a 25.ª edição e o FC Porto vai participar pela 21.ª vez, com o pormaior de pertencer à restrita elite dos clubes que já a ganharam. De resto, FC Porto, Barcelona e Real Madrid são as três equipas com mais participações. Não é para todos. E das quatro edições que falhámos, em duas ganhámos a Taça UEFA/Liga Europa. O ex-ministro do PSD fala muito, acerta pouco e quando se trata de futebol se lhe tiram o colinho não é ninguém. Claro que há quem faça a vontade ao menino Silva, afinal a CMTV geneticamente é idêntica, como pode comprovar aqui.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

O anti-jogo da equipa romana

Se o Árbitro que apitar em Roma (2º jogo do play-off) for tão permissivo como o holandês que apitou no Dragão, imagens como esta vão continuar em Roma, com os defesas da Roma a placarem os avançados portistas...!
Os futebolistas da equipa romana não olham a meios para atingirem os seus fins e são capazes de tudo...!

Conforme a imagem ilustra

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Rui Gomes da Silva um sem vergonha

Rui Gomes da Silva um sem vergonha, instrumentalizador e escamoteador compulsivo...!
Oh Rui porque não mencionas as falcatruas em que o teu clube, o da águia, participa, ou seja, está envolvido?!!!
Como por exemplo o célebre caso dos "vouchers" oferta aos árbitros de futebol do (pack premium) uma camisola do Eusébio e convites para o Museu Cosme Damião com quatro jantares incluídos.
Mas mais! E as manobras dos actuais dirigentes benfiquistas para colocar os seus homens de mão no poder dos: FPF, Conselho de Disciplina e Presidente do Conselho de Arbitragem, vulgo o Nomeações...!


Rui Gomes da Silva recorreu à crónica que assina no jornal A Bola para reagir à polémica entre o FC Porto e o Turismo de Portugal, no seguimento do convite a Mathis, o pequeno adepto português que consolou um adepto francês após a final do Campeonato Europeu.