domingo, 30 de setembro de 2012

Liga portuguesa de futebol- Rio Ave 2 FC Porto2

Após uma primeira parte relativamente bem jogada pelos Dragões, estes deixaram-se adormecer na segunda parte e o resultado foi o empate, por pouco os Dragões não saíram derrotados de Vila do Conde, e por conseguinte a perda de 2 pontos!
Na minha perspectiva Nuno Espírito Santo conhecedor da mentalidade dos jogadores portistas e pressentindo que dado que a equipa azul e branca tinha de jogar a meio da próxima semana, iria por esse motivo tirar o pé do acelerador, incentivou os seus pupilos a esforçarem-se um pouco mais e a arriscarem também mais no ataque.
Os futebolistas do FC Porto foram portanto de certo modo apanhados desprevenidos e não tiveram recursos para reagir a tempo e, forçar a vitória, o que no fim de contas seria até a sua (deles) obrigação, atendendo à diferença de estatuto e de proveitos que auferem.
Arbitragem: a mim pareceu-me que houve uma grande penalidade na segunda parte a favor dos Dragões que ficou por marcar . Esperemos a repetição do lance na TV a fim de confirmar ou não a minha opinião.

29 de Setembro de 2012 - FICHA DE JOGO: Liga, quinta jornada
Estádio do Rio Ave FC, em Vila do Conde
Árbitro: Bruno Esteves (Setúbal)
Assistentes: Venâncio Tomé e Mário Dionísio
Quarto árbitro: Nuno Roque
RIO AVE: Oblak; Lionn, Marcelo, Nivaldo e Edimar; Tarantini, Wires e Filipe Augusto; Braga, João Tomás e Esmael.
Substituições: Wires por Ukra (68m), Filipe Augusto por André Vilas Boas (86m) e Esmael por Vítor Gomes (90m)
Não utilizados: Ederson, Jeferson, Diego e Del Valle
Treinador: Nuno Espírito Santo
FC PORTO: Helton (cap.); Miguel Lopes, Maicon, Otamendi e Alex Sandro; Defour, João Moutinho e Lucho; James, Jackson Martínez e Atsu
Substituições: Lucho por Fernando (64m), Atsu por Varela (64m) e Defour por Kleber (83m)
Não utilizados: Fabiano, Danilo, Castro e Mangala
Treinador: Vítor Pereira
Ao intervalo: 0-1
Marcadores: Miguel Lopes (33m), Tarantini (78m e 85m) e Jackson Martínez (89m)
Cartão amarelo: Wires (11m), Braga (66m), Varela (69m), Tarantini (90+1m)

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Lista dos convocados para o Rio Ave

28/09/2012-OTAMENDI, FERNANDO E LUCHO DE VOLTA AOS CONVOCADOS
Os regressos de Otamendi, Fernando e Lucho às escolhas de Vítor Pereira, em detrimento de Abdoulaye, Iturbe e Kelvin, são as grandes novidades da lista de convocados do FC Porto para a deslocação ao Estádio do Rio Ave FC, em Vila do Conde. Rafa, ainda em tratamento, é o único lesionado do plantel.
Os Dragões defrontam os vila-condenses este sábado, pelas 20h30, em partida referente à 5.ª jornada do campeonato nacional, que os azuis e brancos já lideram isolados.
Lista de Convocados: Helton, Fabiano, Danilo, Lucho, Maicon, Castro, João Moutinho, Jackson, James, Kleber, Miguel Lopes, Varela, Mangala, Fernando, Alex Sandro, Atsu, Otamendi e Defour.
Bruno Esteves foi o árbitro escolhido pelo Conselho de Arbitragem para dirigir o Rio Ave-FC Porto, partida agendada para as 20h30 deste sábado, no Estádio do Rio Ave FC, em Vila do Conde.
A acompanhar o juiz do apito da A.F. Setúbal no encontro da quinta jornada estarão os árbitros assistentes Venâncio Tomé e Mário Dionísio.

"É preciso provar que somos mais fortes"

Vítor Pereira antecipou esta quinta-feira a visita ao Rio Ave, onde diz ser preciso mostrar "qualidade" e "concentração" e mostrar que o FC Porto é mais forte, porque "é bom estar na frente", mas o objectivo é "aumentar a vantagem para os rivais".
Há a ideia generalizada que esta equipa pode ser melhor do que no ano passado, o que acha?
As épocas têm características diferentes, um grupo diferente, mais jovem, com mais irreverência, alegria, mas eu também pretendo fundamentalmente que seja um grupo adulto na forma como aborda todos os jogos. A mensagem clara que queremos passar aos adversário é que o FC Porto deste ano quer ser um FC Porto competente, sério, adulto na abordagem de todos os jogos.
O Rio Ave tem oscilado entre uma vitória em Alvalade e uma goleada em Braga…
Esta oscilação provavelmente tem a ver com o formar de uma equipa nova, com o transmitir de ideias novas do seu treinador. O Rio Ave no seu melhor pode criar grandes dificuldades, porque é bem organizado defensivamente e a sair em transições rápidas, o que pode criar problemas a qualquer equipa. A outra face do Rio Ave foi evidenciada neste jogo com o Braga, com algumas dificuldades ainda, sob condições de desvantagem, que eu acredito ser fruto do processo de assimilação de ideias novas.
A posição em que jogou James é uma dor de cabeça na preparação deste jogo?
James é um jogador com qualidade a jogar mais por fora ou mais por dento. O que ele tem da parte do seu treinador é liberdade que lhe permita potenciar todas as suas qualidades de decisão e técnicas, que são muitas. Não pode ter liberdade total porque isso é a desorganização. Eu quero uma equipa competente, virada para o golo, com bom jogo, com bom toque, mas um jogo também equilibrado. O James acrescenta-nos sempre essa qualidade.
Está satisfeito com a resposta que a equipa deu após saída de Hulk?
Nós não temos como propósito fazer esquecer Hulk, temos como propósito apresentar qualidade, ganhar jogos. Não quero ver uma equipa de oscilações, uma equipa que não percebe a importância de um jogo como este, que é um jogo de importância fundamental para nós, porque antecede um para a Liga dos Campeões e outro que é um clássico. O Rio Ave é um jogo que determina os outros dois. Eles sabem isso e conto com jogadores habituados a uma competição interna muita grande, sabem que quem entrar menos concentrado corre o risco de perder o comboio. Se olharmos à nossa média de idades, muto baixa, podem ser jovens, mas têm de se adultos. É preciso entrar com mentalidade certa, preciso ter confiança no nosso trabalho e perceber que estes jogos ganham-se com níveis de concentração e trabalho muito altos.
Vamos entrar na 5.ª jornada e já há polémica com as arbitragens…
Eu entendo perfeitamente que é preciso um clima de tranquilidade para se trabalhar. Eu, pessoalmente, quando me sentir prejudicado vou fazer o reparo que entender fazer. Não vou ser um anjinho. Todas as semanas sou criticado, mesmo quando ganho, tenho de saber viver com isto. O problema dos outros não é meu, mas quando me sentir prejudicado vou fazer o reparo.
Faz distinção entre os árbitros internacionais e os não internacionais?
Não, é uma falsa questão, é como os treinadores experientes e os não experientes. Isso a mim não me diz rigorosamente nada.
Maicon dizia que há adversários que tentam atacar o FC Porto fora do campo, porque dentro não conseguem, referindo-se ao Benfica…
Sem abordar concretamente essa questão, porque não quero fazer comparações, quero é a minha equipa forte. Mais do que dizer temos de provar que somos mais competentes e que somos mais fortes. É preciso chegar ao Rio Ave e provar que somos mais fortes.
Após quatro jornadas já é líder isolado…
Queremos estar na frente, mas queremos mais ainda aumentar a vantagem para os nossos adversários. É bom estar na frente, mas melhor ainda é aumentar a vantagem que temos para os nossos adversários.

FC Porto- Wikipédia- A enciclopédia livre

O Futebol Clube do Porto MHIHMHM é um clube multidesportivo português da cidade do Porto. Dedica-se principalmente ao futebol.
Fundado em 1893 por António Nicolau d'Almeida, é um dos clubes mais antigos da história do futebol português. Conquistou diversos títulos nacionais e internacionais ao longo da sua história, entre eles 26 Campeonatos Portugueses, 16 Taças de Portugal, 4 Campeonatos de Portugal, 19 Supertaças, 2 Ligas dos Campeões, 2 Ligas Europa, 1 Supertaça Europeia e 2 Taças Intercontinentais,[1] o que faz do FC Porto o clube português com mais títulos no futebol.[2] O seu maior rival é o Benfica, e um jogo entre estes dois clubes diz-se de Clássico. O FC Porto joga atualmente no Estádio do Dragão, que tem uma capacidade de 52 000 lugares.[3] O hino do FC Porto foi escrito por Heitor Campos Monteiro e composto pelo maestroAntónio Figueiredo e Melo.[4]
Além do futebol, o FC Porto possui outras modalidades tais como o hóquei em patins, o andebol, entre outros.


Fundação do Foot-Ball Club do Porto
O clube foi fundado sob o nome Foot-Ball Club do Porto no dia 28 de setembro de 1893 por António Nicolau d'Almeida,[5] um comerciante de vinho do Porto que descobriu o futebol nas suas viagens a Inglaterra.[5] A fundação do Foot-Ball Club do Porto foi notícia nos jornais da época[6] e o evento mais significativo desta primeira e breve existência do clube foi uma partida contra o Club Lisbonense,[5] com o alto patrocínio do Rei D. Carlos, disputada no Porto em 1894 e na qual cada clube representou a sua cidade.[7] Em 1896, António Nicolau d'Almeida casa-se com Hilda Rumsey, e esta pede-lhe para se afastar do futebol, que considerava uma modalidade demasiado violenta.[7] António aceita o pedido e afasta-se do clube que entrou num período de letargia.[7]
[editar]Os primeiros anos: Futebol Clube do Porto
Doze anos depois, em 1906, José Monteiro da Costa regressou de Inglaterra,[8] fascinado pelo mesmo desporto que encantara o seu amigo há mais de uma década e resolveu criar uma equipa de futebol. Foi então que António Nicolau d'Almeida lhe falou do projeto que iniciara em 1893, e José Monteiro da Costa não hesitou. Membro de uma associação denominada Grupo do Destino,[9] sugeriu aos seus colegas que embarcassem com ele na aventura, ao que a maioria acedeu. Terminava o Grupo do Destino e renascia o FC Porto,[5][9] em agosto de 1906, assumindo desde logo uma faceta de clube eclético, no qual se praticavam também atletismo, boxe, ténis, halterofilismo, luta, patinagemnatação.[8][10] Decidiu que o nome do clube se mantinha e que as cores das camisolas dos atletas do FC Porto iam ser as cores da bandeira da Pátria, que era o azul e branco naquela altura.[8]
O seu primeiro campo, o Campo da Rainha (que data do ano de refundação do clube),[10] foi o primeiro relvado em Portugal.[11] O FC Porto foi também a primeira equipa portuguesa a receber um conjunto estrangeiro, o Real Fortuna de Vigo, em 1907, em que o FC Porto ganhou por 4–1.[12] Em 1911, o FC Porto vence a Taça José Monteiro da Costa, o seu primeiro título de sempre, criado em homenagem ao refundador do FC Porto,[13] que tinha saído do cargo de presidente no mesmo ano.

O antigo estádio do FC Porto - o Campo da Constituição.
Ainda que forçada pela construção de uma fábrica no espaço do antigo recinto, a mudança para o Campo da Constituição em 1913 correspondeu a uma significativa melhoria das instalações.[14] Simultaneamente, o FC Porto crescia a nível desportivo, tendo vencido a primeira prova de âmbito nacional na história do futebol português, em 1922 – o Campeonato de Portugal.[15] Nesse mesmo ano, o futebolista Simplício, também artista gráfico, conjugou o antigo símbolo do FC Porto com as armas da cidade do Porto, dando origem ao atual emblema do clube,[16] datando da mesma altura o hino do FC Porto, com letra de Heitor Campos Monteiro e música do maestro António Figueiredo e Melo.[4]
Em meados dos anos 30, o FC Porto conhecia uma dimensão tal que o Campo da Constituição já parecia pequeno demais. Começaram então os planos para a construção de um novo estádio.[14] Como este demoraria década e meia a surgir, foi necessário procurar uma solução temporária, passando o FC Porto a jogar alguns jogos no campo emprestado doSport Progresso (Campo do Ameal) ou do Académico (Estádio do Lima).[17]
Entretanto, a equipa passava 15 anos sem títulos, entre 1941 e 1955, chegando mesmo a ficar em 7° lugar no Campeonato, na época de 1942/43.[18] Porém, mesmo não vencendo competições oficiais, foi responsável pela mais significativa adição à sala de troféus do FC Porto na altura – em 1948 venceu o Arsenal, considerada a melhor equipa do mundo, no Estádio do Lima.[5] Apesar de ter sido apenas um amigável, sócios ofereceram ao clube um troféu com mais de 300 quilos, 130 dos quais em prata maciça.[19]

FC Porto - 119 ANOS DE ÊXITO

28/09/2012 - O FC Porto comemora esta sexta-feira 119 anos. Criado a 28 de Setembro de 1893, sob a égide de António Nicolau de Almeida (1873-1948) e com o nome de Foot-ball Club do Porto, o clube haveria de tornar-se o mais bem-sucedido do futebol português, já com 72 títulos oficiais conquistados, e um sinónimo de sucesso na Europa e no Mundo.
A celebração dos 119 anos do clube iniciou-se às 10h00, defronte da porta principal do Estádio do Dragão, com a cerimónia do hastear da bandeira. O emblema do FC Porto subiu uma vez mais aos céus, na presença do Presidente Jorge Nuno Pinto da Costa, Administração, funcionários e associados do clube, enquanto a Banda Musical de Melres entoava o hino azul e branco.
Seguiu-se a sessão de homenagem aos atletas, dirigentes e associados já falecidos, junto aos bustos de Pavão, Rui Filipe e José Maria Pedroto e a habitual missa na Igreja de Santo António das Antas .
À parte das acções solenes, as FC Porto Stores também vão celebrar o aniversário azul e branco com promoções especiais nos dias 28, 29 e 30: a estampagem nas camisolas para adultos e crianças compradas nestas datas será gratuita e haverá 119 produtos oficiais com descontos de 25 por cento.
Simultaneamente, o Estádio do Dragão estará aberto para visitas todo o fim-de-semana, com 119 dos troféus conquistados espalhados ao longo de todo o percurso. A entrada é livre para crianças com menos de 12 anos.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Benfiquistas facciosos a comentar no dragaoatento

Benfiquistas facciosos a comentar aqui no dragaoatento não têm hipóteses porque não deixo e pelo seguinte:
1º) Os árbitros sempre erraram e vão, aqui e ali, continuar a errar porque têm de decidir em fracções de segundo e é muito difícil acertar sempre a 100 %.
2º) Na dúvida as equipas de arbitragem decidem sempre a favor do Benfica porque sabem que se errarem a favor dos encarnados esses erros são escamoteados pela poderosa Imprensa benfiquista, mas se pelo contrário errarem contra, levanta-se um alarido descomunal, cai o Carmo e a Trindade!
3º)Em épocas passadas o FC Porto foi muito prejudicado por foras de jogo mal tirados pelos fiscais de linha, Falcao então foi uma vítima deles enquanto jogou pelos dragões. E mais, os juízes do apito são normalmente muito permissivos, relativamente às jogadas violentas que castigam os futebolistas azuis e brancos! 

4º)A maioria dos árbitros são anti-portistas casos de: Calabote, Carlos Valente e Lucílio Baptista, actualmente reformados.
E dos actuais: João Ferreira pode ser o joão, Bruno Paixão e Duarte Gomes (conhecido como o morango sem açúcar) estes os piores; mas seguidos de perto pelos: Carlos Xistra, Paulo Baptista, Artur Soares Dias e Jorge Sousa, estes dois últimos que dizem ser portistas, mas que estão para nós como se calhar o Pedro Proença está para os benfiquistas.
5º) Quanto ao Miguel Sousa Tavares, que tenta ser politicamente correcto, é um anjo, se comparado com, os empedernidos, facciosos e venenosos: Fernando Guerra e Sílvio Cervan!
E por agora fiquemos por aqui,

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Já começou o choradinho

Excerto de: Já começou o choradinho por Miguel Sousa Tavares
Tinha de ser: ao segundo tropeção do Benfica (o primeiro foi em casa com o Braga, mas não havia como culpar o árbitro), Jorge Jesus, mais os sempre disponíveis jornalistas benfiquistas, lá encontraram na arbitragem a razão da desfeita. E, nem de encomenda, era o Carlos Xistra.
Numa conversa escutada na rua a três benfiquistas (aparentemente sem nada que fazer), lá escutei o rol de queixas pelo empate em Coimbra: primeiro culpado, Pintoa da Costa; segundo, Carlos Xistra; terceiro, o Cardozo, que falhou três golos feitos; quarto, Jorge Jesus. E assim evoluindo na tese do crime alheio para a da responsabilidade própria, tamanha era a confiança manifestada, que um deles anunciou solenemente que, contra o Barcelona, nem iria querer ver o jogo. Já os adeptos benfiquistas presentes em Coimbra, seguiram uma ordem diferente: primeiro viraram-se contra a comitiva e o autocarro do clube, depois, contra a sede da claque da Académica. Perante um estádio desoladoramente vazio, e com um meio-campo desoladoramente à procura de si mesmo, o Benfica só não ganhou o jogo porque conjugou muita falta de sorte com muita aselhice própria e muito mérito do guarda-redes Ricardo. A Académica só existiu em trinta metros do campo e, jogando metade do tempo com menos um, nada mais fez do que afastar uma bola da área para logo a seguir ter de afastar outra e outra e assim sucessivamente. O árbitro não foi para aqui chamado: decidiu quase tudo bem, com várias situações nada fáceis de analisar. No primeiro penalty, em jogo corrido, a falta pareceu claramente dentro da área, mas na verdade ninguém de boa-fé pode garantir uma coisa ou outra; no penalty contra a Académica enxergou bem uma mão intencional que não era óbvia, e decidiu-se bem pelo cartão vermelho, numa situação em que 90% dos árbitros teria ficado pelo amarelo (mas disso não falam os benfiquistas); e, no segundo penalty a favor da Académica, é verdade que Garay tocou primeiro na bola ( o que só se percebe em cãmara lenta), mas tão ao de leve que nem lhe mudou a trajectória e só conseguiu que Hélder Cabral não seguisse com ela, isolado, porque, no mesmo movimento, o derrubou. Em qualquer lado do campo, seria falta - porque não ali? Jorge Jesus não tem culpa dos golos inacreditavelmente desperdiçados por Cardozo e Rodrigo. Mas Cralos Xistra também não.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

James Rodriguez o menino prodígio


Aos 21 anos, James Rodríguez afirma-se cada vez mais como um grande talento do futebol mundial. É referência da selecção colombiana e, na estrutura de um FC Porto que ficou sem Hulk, parece talhado para um papel cada vez mais importante na equipa.
A questão antiga, que recuperou a atualidade após a goleada ao Beira-Mar, tem a ver com a posição ideal para El Bandido desenvolver toda a sua qualidade. Vítor Pereira prefere mantê-lo como falso extremo, procurando posições interiores e ficando mais próximo de Jackson Martínez. O que a realidade parece demonstrar é que será uma questão de tempo até que James convença o técnico de que pode ser um número 10 de classe mundial se lhe for dado espaço para crescer.
Esta é uma opinião veiculada por um jornal desportivo da capital e, que a meu ver é discutível (deitar bolas fora), porque me parece evidente que quem melhor conhece o atleta são os peritos que com ele trabalham. E como tal desde que o sistema utilizado funcione bem, nada mais há a dizer.
Aliás eu, um dos críticos da actual equipa técnica, quero confessar que neste momento o Líder  da equipa técnica me está a surpreender pela positiva. Claro que os testes mais exigentes ainda estão para vir, no entanto, por alguns sintomas já detectados passei a estar mais confiante na competência técnica dos elementos que treinam (superintendem) o Plantel.  

Mister chiclette (JJ) e os árbitros portugueses


Não obstante o Carlos Xistra ter expulso um estudante (bola no braço), o Mr. Chiclette ainda assim, não ficou satisfeito!!!
É preciso notar que a Académica jogou toda a segunda parte com dez jogadores e esteve a ganhar por duas vezes. 
Académica e Benfica empataram este domingo, em Coimbra, num jogo em que os homens da casa jogaram toda a segunda parte com menos um homem. Faltou imaginação aos encarnados para conseguir levar de vencida uma Académica que se bateu sempre olhos nos olhos do adversário.
Duas bolas ao ferro e uma grande defesa de Ricardo: Assim se traduzia o domínio do Benfica nos primeiros dez minutos. No entanto, os encarnados baixaram o ritmo de jogo e foi a Académica que conseguiu chegar ao golo, por Cissé, na conversão de uma grande penalidade. Maxi Pereira derrubou Marinho à entrada da área e Carlos Xistra assinalou castigo máximo.
O segundo tempo começa com mais um penálti, desta vez para o Benfica. Rodrigo Galo interceptou com o braço (bola no braço) um remate de Cardozo e acabou por ver o cartão vermelho. Apesar de passar a jogar com dez elementos os estudantes nunca baixaram os braços e à passagem do minuto 69, na conversão de mais uma grande penalidade voltaram a marcar. Detalhe: Hélder Cabral fez o que quis dos defesas do Benfica e acabou derrubado na área encarnada. Wilson Eduardo, que já havia marcado na última temporada ao Benfica ao serviço do Olhanense, voltou a colocar a Briosa na frente.
Mister Chiclette (JJ): "Hoje não vamos branquear nada, porque foi uma vergonha com a arbitragem. Assinalou dois penáltis contra o Benfica, o primeiro fora da área, e no outro, do Garay, não há falta. Aliás, se fosse no basquetebpol era falta ofensiva...", palavras de Jorge Jesus no final do encontro em que Benfica e Académica empataram a dois golos, em Coimbra. 
Maxi Pereira e Luís Godinho, vice-presidente da Académica, protagonizaram ontem um momento bem quente.
Destaque: Corria o minuto 88, pouco depois de Lima ter empatado a partida, quando o defesa do Benfica e o delegado ao jogo da Briosa trocaram uns “mimos” cabeça com cabeça, situação que não mereceu qualquer reação por parte do árbitro Carlos Xistra.
Outra situação que não mereceu intervenção de quaisquer dos elementos que com põem a equipa de arbitragem!


sábado, 22 de setembro de 2012

Liga portuguesa- FC Porto 4 Beira-Mar 0

Ao intervalo 2-0 para os Dragões, aos 32 por Jackson e Varela aos 38 minutos.
De salientar a excelente assistência do James para o Jackson no primeiro golo e a superior execução deste que não deu hipóteses ao Keeper do Beira-Mar. O segundo golo também nasceu duma jogada bem delineada dos portistas e a culminar com um portentoso remate do Varela! Estava feito o segundo golo do FC Porto.
James (47m) e Maicon (71m) marcaram os golos na segunda parte
Resultado final: FC Porto 4 Beira-Mar 0
Bom jogo da equipa do FC Porto que não teve dificuldades em bater os aveirenses por uns rotundos 4 a 0.
Destaques:
Na defesa: Helton pouco teve que fazer e quando foi chamado cumpriu. Danilo esteve melhor a atacar que a defender, parece-me ainda um pouco lento. Maicon, está a ganhar cada vez mais confiança e a ficar um senhor central! Mangala, tem velocidade, joga bem de cabeça mas  precisa de melhorar o tempo de entrada à bola,pois comete muitas faltas. Alex Sandro, é um senhor defesa esquerdo, fez esquecer o anterior titular, já ninguém se lembra dele.
No meio campo: Defour está cada vez melhor, a apossar-se da bola e a chegar à frente para iniciar jogadas de ataque. Moutinho, esteve pendular. 
No ataque: James um portento. Varela muito útil, mesmo não estando ainda no seu melhor é sempre um avançado muito perigoso. Jackson, é goleador, com um jeitinho ainda vai fazer esquecer o Falcao. Atsu, cumpriu enquanto jogou, embora dê a sensação de que precisa de amadurecer ainda mais.
FICHA DE JOGO
Liga portuguesa, quarta jornada - 22 de Setembro de 2012
Estádio do Dragão, no Porto - Assistência: 28.609 espectadores
 Árbitro: Manuel Mota (Braga)
Assistentes: Bruno Trindade e João Loureiro Dias
Quarto árbitro: Manuel Oliveira
 FC PORTO: Helton (cap.); Danilo, Maicon, Mangala e Alex Sandro; Defour, João Moutinho e James; Varela, Jackson Martínez e Atsu
Substituições: Atsu por Castro (57m), Varela por Iturbe (63m) e Jackson Martínez por Kleber (74m)
Não utilizados: Fabiano, Miguel Lopes, Abdoulaye e Kelvin
Treinador: Vítor Pereira
 BEIRA-MAR: Rui Rego; Nuno Lopes, Hugo (cap.), Bura e Joãozinho; Sasso, Fleurival e Cédric Collet; Rúben, Balboa e Nildo
Substituições: Cédric Collet por Abel Camará (46m), Rúben por André Sousa (63m) e Nildo por Jaime (77m)
Não utilizados: Jonas, Serginho, Saleh e Hélder Lopes
Treinador: Ulisses Morais
 Ao intervalo: 2-0
Marcadores: Jackson (32m), Varela (38m), James (47m) e Maicon (71m)
Cartões amarelos: Sasso (81m) e Mangala (83m)
Cartões vermelhos: nada a assinalar

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Champions- Dínamo de Zagreb 0 FC Porto 2

Lucho o melhor futebolista em campo!
O bom jogo da equipa azul e branca permitiu um excelente resultado (0-2) no campo dum adversário tradicionalmente muito difícil!
Todos sabemos que na Champions, um bom arranque é muito importante para passar os oitavos de final. E numa prova exigente como a Champions League, mais ainda. Por isso, os portistas têm razão para festejar depois de terem realizado uma bastante boa exibição e triunfado no difícil terreno do Dínamo de Zagreb (2-0). Um feito inédito entre equipas portuguesas. 

Lucho e Defour fizeram os golos, nesta primeira jornada do grupo A. Perante um adversário que jogou sempre muito encolhido no seu meio campo à espera de poder marcar um golo num contra ataque, o FC Porto “pegou” no jogo e durante toda a primeira parte não permitiu veleidades ao Dínano, pelo que a posse de bola foi de 62 por cento para a equipa portista. Procurando trocar a bola com em velocidade de modo a tentar abrir brechas na densa defesa croata, os Dragões conseguiram inclusivamente recuperar algumas bolas junto à zona defensiva dos croatas, só que com algum azar não conseguiram concretizar.
Aos 41 minutos, Jackson Martínez teve uma oportunidade flagrante de golo, após ganhar a bola ao guarda-redes Kelava, mas o lance perdeu-se depois do colombiano se “embrulhar” com Tonel. Ficamos com a ideia de ter havido falta para grande-penalidade, porem o lance continuou e haveria de dar origem ao primeiro golo do FC Porto. Alex Sandro e Varela combinaram bem na esquerda, Kelava defendeu para a frente e Lucho foi o primeiro a acorrer ao ressalto. A vantagem era na altura perfeitamente justificada.
Na primeira metade do segundo tempo, não foi visível qualquer reacção da equipa da casa. Pelo contrário, foram os Dragões a criar perigo, quando Lucho, junto à linha de fundo, quase servia Jackson, aos 48 minutos. O Dínamo de Zagreb só deu um ar da sua graça aos 62 minutos, através de um pontapé de canto, em que Helton evitou o golo de Tonel. Na resposta a este lance, Helton lançou James, que, com um remate poderoso, de fora da área, obrigou Kelava a uma grande defesa.
Nos últimos 20 minutos, a equipa de Zagreb tentou pressionar mais à frente no terreno e Carrasco esteve perto do empate, aos 78 minutos, que Helton conseguiu evitar. Foi assim como que o último fogacho da formação da casa, já que os azuis e brancos voltaram a tomar conta do encontro e criaram três perigosos lances de ataque. Kleber, aos 79 minutos, isolado de novo por Helton, atirou ao lado; aos 85, Atsu aproveitou uma das muitas perdas de bola do adversário na primeira fase de construção, mas encontrou Kelava pela frente; porém, foi Defour, já em tempo de compensação, a fazer o 2-0, picando a bola sobre o guardião.
FICHA DE JOGO - UEFA Champions League, grupo A
18 de Setembro de 2012 - Estádio Maksimir, em Zagreb
Árbitro: Daniele Orsato (itália)
Assistentes: Elenito di Liberatore e Massimiliano Grilli
Árbitros assistentes adicionais: Paolo Valeri e Paolo Silvio Mazzoleni
Quarto árbitro: Luca Maggiani
DÍNAMO DE ZAGREB: Kelava (cap.); Vida, Tonel, Šimunic e Pivaric; Calello, Ademi e Brozovic; Rukavina, Sammir e Cop
Substituições: Ademi por Beqiraj (58m), Rukavina por Carrasco (67m) e Calello por Kovacic (80m)
Não utilizados: Mitrovic, Ibáñez, Vrsaljko e Alispahic
Treinador: Ante Cacic
FC PORTO: Helton; Miguel Lopes, Maicon, Otamendi e Alex Sandro; Defour, João Moutinho e Lucho (cap.); James, Jackson Martínez e Varela
Substituições: Varela por Atsu (72m), Jackson por Kleber (78m) e James por Mangala (88m) 
Não utilizados: Fabiano, Danilo, Castro e Iturbe
Treinador: Vítor Pereira
Ao intervalo: 0-1
Marcadores: Lucho (41m) e Defour (92m)

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Vítor Pereira antevisto e equipa B


Na antevisão do jogo com o Dínamo de Zagreb, treinador do FC Porto confessou que ficou "contente" com a continuidade de João Moutinho.
Vítor Pereira não deu muita importância ao detalhe de o primeiro adversário na fase de grupos da Liga dos Campeões ter sofrido, na época passada, 22 golos nos seis jogos da fase de grupos, um recorde negativo na prova mais importante da UEFA a nível de clubes. "O Dínamo aprendeu com a experiência do ano passado e quer rectificar a imagem. Acredito que será uma equipa com qualidade e argumentos e por isso não estou à espera de um adversário fácil", defendeu o treinador do FC Porto.
 A saída de Hulk para o Zenit não vai obrigar a Vítor Pereira a fazer grandes alterações. Pelo menos foi o que garantiu o treinador na conferência de antevisão do jogo com o Dínamo. "Não vamos mudar nada. Trabalhámos há um ano com determinados comportamentos e princípios, não é a saída de um jogador que vai fazer mudar. O FC Porto vive do coletivo e é assim que tem de responder", considerou Vítor Pereira.
 O treinador do FC Porto analisou também a ausência de Fernando, revelando tranquilidade: "Já jogámos mais vezes sem ele e respondemos com qualidade", lembrou, respondendo igualmente à questão relacionada com a continuidade de João Moutinho, jogador que esteve muito perto de se transferir para o Tottenham de André Villas-Boas. "O FC Porto tem revelado uma capacidade de renovação permanente com jovens de qualidade como temos no plantel. Com a saída de Hulk, os mais novos terão tempo e espaço para mostrar valor. O Moutinho tem qualidade e ficámos contentes por continuar connosco".
Equipa B
Abdoulaye e Quiñones, jogadores que integram o plantel principal do FC Porto, vão jogar esta quarta-feira pela equipa B, contra o Belenenses, aproveitando a jornada a meio da semana da II Liga e o facto de não terem sido convocados por Vítor Pereira para o jogo da Liga dos Campeões em Zagreb.
Para Rui Gomes, treinador da formação secundária, trata-se de uma excelente notícia, uma vez que a sua equipa tem revelado problemas defensivos nas primeiras cinco jornadas da prova.
Os dois "reforços" já treinaram esta segunda com a equipa B e só têm previsto para quinta o regresso à formação principal. Obviamente vão ser titulares e aproveitam para se estrear de forma oficial esta temporada.
Abdoulaye esteve nos Jogos Olímpicos de Londres, a representar o Senegal; o colombiano Quiñones, lateral-esquerdo, foi o último reforço contratado pelo FC Porto.
Os dois vão ajudar a equipa secundária dos dragões a tentar ganhar pela primeira vez.

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Champions: convocados do FC Porto e árbitro italiano

Vítor Pereira chamou 19 jogadores para a estreia do FC Porto na Liga dos Campeões 2012/13. 
A entrada de Iturbe é a principal novidade, num lote que não conta com o médio Fernando, ainda não completamente restabelecido duma lesão.
Rolando está de fora, devido a castigo da UEFA.
O FC Porto viaja esta segunda-feira, às 9h00, para Zagreb, onde deverá chegar às 12h30, hora de Portugal continental. Às 17h00, o treinador Vítor Pereira e um jogador farão a antecipação da partida, que está marcada para as 19h45 de terça-feira.
Lista de convocados: Helton, Danilo, Lucho González, Maicon, Castro, Iturbe, João Moutinho, Jackson Martínez, James Rodríguez, Kléber, Miguel Lopes, Varela, Mangala, Fabiano, Alex Sandro, Atsu, Kelvin, Otamendi e Defour.
Árbitro do jogo
O italiano Daniele Orsato vai arbitrar na terça-feira (18/09/2012) o Dínamo de Zagreb-FC Porto, na primeira jornada do Grupo A da Liga dos Campeões, divulgou hoje a UEFA.
Esta será a estreia do árbitro transalpino, de 36 anos, em jogo da Liga dos Campeões. Internacional desde 2010, Orsato dirigirá pela segunda vez na sua carreira uma equipa portuguesa, depois de ter estado no triunfo da Seleção Nacional sub-21 sobre a Lituânia (1-0), no apuramento para o Euro'2011 da categoria.

A corrupção de que os benfiquistas falam

Futebol Profissional - 1ª Liga - Época 2012/2013
Ainda não consegui entender porque certos benfiquistas falam de corrupção na arbitragem...!
Eles já fizeram dois jogos a jogar contra dez: com o Braga foi expulso um jogador que não devia ter sido expulso, com o Vitória de Setúbal logo aos sete minutos foi expulso um jogador do Vitória e, o Luisão não! Será esta a tal corrupção de que tanto gostam de alardear?!

Conclusão a que se pode chegar: se existir corrupção, ela é sempre favorável aos encarnados.

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Pinto da Costa teve alta hospitalar

O presidente do FC Porto teve alta hospitalar esta quarta-feira e já está em casaPinto da Costa tinha sido na passada terça-feira submetido a uma intervenção cirurgica para implantação dum by-pass  no Hospital de São João do Porto.
Pelo que lhe desejamos um rápido e completo restabelecimento.
As suas melhoras Sr. Presidente do FC Porto, porque para além da sua família  também faz muita falta ao FC Porto!

A humildade de Atsu

Pelo que li num jornal desportivo Christian Atsu terá afirmado: "nunca serei um por cento de Messi" . Evidentemente que não é essa a ideia dos portistas, os quais depositam em Atsu (modéstia aparte) fundadas esperanças de o ver singrar primeiro no FC Porto e depois quem sabe, talvez no futebol internacional. Mas faz muito bem em ser para já modesto. De resto, alguém que aos 20 anos tem uma noção tão clara do seu valor actual não deixa de ser especial. É caso para dizer: há já ali bastante maturidade!

Depoimento de Fabio Capello

Fabio Capello, em entrevista ao diário italiano Gazzetta dello Sport, considera que o colombiano Falcao é hoje, indiscutivelmente, o melhor avançado do mundo:
"Ao longo da minha carreira como treinador, apenas um jogador me impressionou tanto quanto Messi na primeira vez que o vi jogar: Radamel Falcao. Ele é um grande avançado, certamente hoje o número um no mundo".
O actual selecionador da Rússia que já treinou o Real Madrid, e levou-o ao título, também comentou as diferenças entre Real Madrid e Barcelona:
"Os dois onzes são muito iguais, mas se depender do banco acho que o Real ganha. Depois, o José Mourinho é um treinador sólido, pragmático e que sabe como adaptar o seu sistema aos jogadores que tem à disposição, conseguindo deles o máximo rendimento. É um psicólogo e é excelente no balneário".
O seleccionador da Rússia diz que nunca nenhum jogador o impressionara tanto ao nível do argentino Messi quanto o colombiano que foi do FC Porto para o Atlético de Madrid.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

James Rodriguez marca de livre pela Colômbia

James Rodriguez marcou ontem um golo espectacular pela Colômbia, na vitória por 3-1 sobre o Chile. Na marcação dum livre directo que empatou a partida disputada em Santiago.
Sobre o pontapé que entusiasmou até os adeptos chilenos, o avançado do FC Porto não escondeu o seu contentamento pelo golo que marcou, embora tenha preferido realçar o trabalho da equipa por ter ganho o jogo. E acrescentou: "Tenho praticado muito os livres nos treinos e espero repetir muitos golos iguais a este".

domingo, 9 de setembro de 2012

Miguel Guedes defende mal o seu clube, FC Porto

Programa RTP África - Trio de Ataque - Perante a afirmação de João Gobern de que o FC Porto já tinha sido castigado pela Justiça Desportiva, Miguel Guedes não foi capaz de corrigi-lo referindo que quem castigou o FC Porto foi o benfiquista Dr. Ricardo Costa, e que, esse castigo, seria posteriormente revogado pelo Conselho de Justiça da FPF, pelo que ficou sem efeito.

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Decisão do CD da FPF- JJ suspenso 15 dias

Tinha de ser, como é treinador do Benfica, foi suspenso mesmo à justa de modo a poder sentar-se no banco no próximo jogo que os encarnados têm de disputar! 
Se fosse o treinador do FC Porto a proferir aquelas anormalidades se calhar apanhava meio ano... pelo menos!
Como a pena conta a partir da data da notificação, Jorge Jesus ficará suspenso até ao dia 20 deste mês, pelo que poderá orientar o jogo com a Académica, em Coimbra, marcado para já para o dia 23.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Vítor Pereira e o James

El Bandido é um talento. Ponto. Cabe ao treinador encontrar forma, ou fórmula, de não o espartilhar em campo. Mas, a James falta ser regular e por isso não vem mal ao mundo que seja suplente de vez em quando.

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Finalmente perdemos o Hulk

Era fatal! Mais tarde ou mais cedo acabaríamos por perdê-lo. Só não sei porque estabeleceram uma clausula de rescisão de 100 para depois vendê-lo por 60 milhões! É que ultimamente no FC Porto os precedentes de venderem ABAIXO do valor estipulado para as clausulas de rescisão têm sido a norma!!!
Hulk vai ser jogador do Zenit por cinco temporadas. Os dragões ainda não comunicaram os valores do negócio à CMVM, mas Teodoro Fonseca, empresário do jogador, explicou à Agência Lusa os contornos da transferência, confirmando o valor global de 60 milhões.
Segundo explicou o empresário, os portistas recebem 40 milhões de euros, por 85 por cento do passe do avançado, enquanto o montante restante é distribuído pelo fundo que detinha 15 por cento (nove milhões) dos direitos desportivos, pela comissão de 10 por cento por intermediação do negócio (seis milhões) e pelo fundo de solidariedade, equivalente a cinco por cento do valor global (três milhões).
De acordo a mesma fonte, dos 60 milhões são, também, retirados valores de prémios desportivos a receber pelo jogador e pelo agente, uma verba a rondar os dois milhões de euros. Informações que ainda carecem de confirmação oficial.

sábado, 1 de setembro de 2012

Liga- Olhanense 2 FC Porto 3

01/09/2012 - Acertei em cheio no meu prognóstico de que o João Ferreira (pode ser João) é um juiz do apito anti-portista. Foi caseiro e extremamente permissivo nas jogadas a varrer dos futebolistas do Olhanense! Houve até uma agressão (pisadela deliberada)  do Maurício ao Jackson que o "pode ser João" resolveu deixar passar sem punição!
E não entendi os excessos, todo aquele espalhafato do Sérgio Conceição no final do jogo...! 
Pelos vistos, o final do jogo ficou marcado por uma troca de palavras com Nélson Puga, médico do FC Porto. "Uma pessoa ligada ao banco do FC Porto dirigiu-se a mim por causa de eu ter bracejado e, eventualmente, do trabalho do árbitro. É fácil ser fraco com os fortes e forte com os fracos"
E conforme o prometido cá estou a comentar: O Sérgio Conceição perdeu uma boa ocasião de ficar calado. Depois dos excessos cometidos pelos seus pupilos perante a complacência do "pode ser João" não se admite a sua atitude, entenda-se, os seus desplantes...! Daqui lanço-lhe um desafio: quero ver se na altura em que o Olhanense defrontar o Benfica, ele, Sérgio Conceição tem "tomates" para reclamar da actuação do árbitro que apitar esse Jogo. É que a  jogar com a dureza/rudeza que utilizou com os jogadores portistas, de certeza que verá serem expulsos alguns dos seus jogadores, e, então terá ocasião de se manifestar...e nessa altura veremos se será capaz de fazê-lo. 

Quanto à exibição de equipa do FC Porto: não gostei de ver a desorientação da equipa portista nos últimos 5 minutos. Foi lamentável, irritante e ...
Vítor Pereira: mostramos a nossa qualidade
Creio que o técnico azul e branco não se referia aos últimos minutos do jogo com o Olhanense, o que a confirmar-se seria preocupante...!
FICHA DE JOGO
Liga, 3.ª jornada - Estádio do Algarve, no Porto - Assistência: 9.498 espectadores
Árbitro: João Ferreira [pode ser João (Setúbal)]
Assistentes: Luís Ramos e Pais António
OLHANENSE: Ricardo; Luís Filipe, Vasco Fernandes, Maurício e Babanco; Fernando Alexandre e Jander; Ivanildo, Rui Duarte e Abdi; Yontcha
Substituições: Yontcha por Targino (55m), Ivanildo por David Silva (67m)
Não utilizados: Bruno Veríssimo, Nuno Reis, Nuno Piloto, Rui Sampaio, Nuno Silva.
Treinador: Sérgio Conceição
FC PORTO: Helton; Danilo, Maicon, Otamendi e Alex Sandro; Lucho, Defour e João Moutinho; Hulk, Jackson Martinez e Atsu.
Substituições: Atsu por James Rodriguez (36m), Lucho por Varela (68m), Defour por Castro (79m).
Não utilizados: Fabiano, Kleber, Miguel Lopes e Mangala.
Treinador: Vítor Pereira
Ao intervalo: 1-1
Marcadores: Abdi (14m), James Rodriguez (43m), Jackson Martinez (49m), Hulk (73m), Targino (86m)
Cartões amarelos: Alex Sandro (15m) Fernando Alexandre (20m), Abdi (27m)

Convocados para o Olhanense

31/08/2012 - Kelvin estreia-se nos convocados
O plantel do FC Porto completou esta sexta-feira a preparação para a visita ao Olhanense, num treino do qual estiveram ausentes Fernando e Rafa, ambos lesionados. O médio brasileiro é a principal baixa de uma convocatória que inclui os nomes de Castro e Kelvin, com o extremo de 19 anos a integrar pela primeira vez a lista para um jogo oficial.
Relativamente à sessão de trabalho desta manhã, Rafa cumpriu tratamento, enquanto Fernando está sob avaliação do departamento médico por suspeita de lesão muscular na coxa direita.
Lista de Convocados: Helton e Fabiano (guarda-redes); Danilo, Lucho, Maicon, Castro, João Moutinho, Jackson, James, Kleber, Hulk, Miguel Lopes, Varela, Mangala, Alex Sandro, Atsu, Kelvin, Otamendi e Defour.
O Olhanense-FC Porto disputa-se às 20h30 de sábado, no Estádio do Algarve.

Nomeação do juiz do apito
João Ferreira (o tal que sempre que pode prejudica o FCP) é o árbitro designado pelo Conselho de Arbitragem para apitar o jogo da terceira jornada da liga entre Olhanense e FC Porto, agendado para as 20h30 de sábado, no Estádio do Algarve.
João Ferreira, de 44 anos e da Associação de Futebol de Setúbal, vai ser coadjuvado pelos assistentes Luís Ramos e Pais António.

FC Porto: Lista dos premiados

A lista de premiados dos Dragões de Ouro referentes à época 2011/12 já é conhecida. Entre os galardoados, destacam-se os nomes do treinador Vítor Pereira e de Hulk, considerado Atleta do ano. O "Incrível" sucede a João Moutinho, depois de ter sido eleito por duas vezes o futebolista da época, e é a primeira personalidade a receber um Dragão de Ouro em três anos consecutivos.
Destaque ainda para Maicon (Futebolista do ano), Gilberto Duarte (Revelação do ano) e Tiago Ferreira (Jovem do ano). O andebolista Wilson Davyes é distinguido com o título de Atleta de alta competição da temporada.
Eis a lista completa dos Dragões de Ouro 2011/2012:
Filiais e Delegações do Ano: São João da Madeira (nacional) e Sidney/Austrália (internacional)
Dirigente do ano: Dr. Paulo Nunes de Almeida
Funcionário do ano: Fernando Bandeirinha
Carreira: Cecília Matos
Técnico do ano: Vítor Pereira (futebol)
Atleta do ano: Hulk (futebol)
Futebolista do ano: Maicon
Atleta de alta competição do ano: Wilson Davyes (andebol)
Atleta amador do ano: Rui Manuel Costa (bilhar)
Revelação do ano: Gilberto Duarte (andebol)
Atleta jovem do ano: Tiago Ferreira (futebol)
Sócio/adepto do ano: Eng.º António Manuel Leitão Borges
Parceiro: Zon
Projecto do ano: Equipa B
Recordação: Costa Soares