segunda-feira, 30 de setembro de 2013

TROFENSE VISITA DRAGÃO PARA A TAÇA DE PORTUGAL

30/09/2013 - O Trofense, da Segunda liga, vai ser o adversário do FC Porto na Taça de Portugal, ditou o sorteio desta segunda-feira, realizado no Auditório Manuel Quaresma, na sede da Federação Portuguesa de Futebol, em Lisboa.
Paulo Fonseca: "É um adversário que respeitamos imenso e vamos agora recolher informação do Trofense. É uma equipa que, neste momento, está no último lugar da Segunda liga, mas com certeza não será um jogo fácil", afirmou. O encontro está marcado para 20 de Outubro, mas é provável que seja antecipado, visto o FC Porto jogar para a Liga dos Campeões a 22 de Outubro, na Rússia, frente ao Zenit.
A equipa da Trofa já defrontou esta época o FC Porto B, tendo perdido no Estádio de Pedroso já nos descontos, graças a um golo de Vion (2-1).

Paulo Fonseca considera que essa informação é uma “vantagem”: "Também vou obviamente falar com o Luís Castro e estaremos preparados para quando esse jogo chegar". Indiscutível é o objectivo dos Dragões na competição: a conquista do troféu. "Queremos chegar ao Jamor e vencer a Taça. É um sonho que persigo há algum tempo e que poderá ser efectivado aqui no FC Porto".

"TEREMOS DE RONDAR A PERFEIÇÃO PARA VENCER"

30/09/2013 - O Atlético de Madrid é uma equipa com máscara "italiana" e, por isso, o FC Porto terá de ser quase perfeito para ultrapassar a matreirice dos espanhóis. Esta foi a ideia principal deixada pelo treinador Paulo Fonseca na antevisão da partida do grupo G da Champions League, que se disputa esta terça-feira (19h45) no Estádio do Dragão.

Este jogo em casa frente ao Atlético de Madrid é o início de um ciclo de dois jogos que pode ser decisivo…
Sabemos da importância dos jogos em casa. Era importante podermos ter aqui um bom registo pontual e isso significa vencer os dois encontros. Ficaríamos com margem e vantagem para encarar o resto da fase de grupos.
Ainda tem muitas dúvidas sobre aquele que será o melhor "onze"?Para amanhã não tenho dúvidas. A equipa está definida, é aquela que penso ser a melhor para dar resposta às exigências do jogo. Isso está bem definido na minha cabeça.As duas ausências no Atlético do Madrid [Mário Suárez e Diego Costa] mudam alguma coisa?Para o FC Porto não muda rigorosamente nada. Vamos enfrentar uma equipa fortíssima e moralizada em função dos últimos resultados obtidos. Sabemos das dificuldades, mas também estamos muito moralizados por poder defrontar uma equipa num bom momento.É o maior teste da época atá ao momento?Todos os jogos são testes e têm o seu grau de dificuldade. Sabemos que vamos defrontar uma equipa fortíssima, que nos vai colocar dificuldades que ainda não tivemos no nosso campeonato. Teremos um contexto difícil, contra uma equipa que considero “italiana” no Campeonato espanhol, com linhas muito baixas e que sai de forma rápida para o contra-ataque. Antevejo um cenário de dificuldade e de falta de espaços, vamos ter de ser pacientes e equilibrados para vencer.Quando Quintero saiu do jogo com o Vitória de Guimarães ouviu assobios. Sente-se pressionado para o colocar em campo?A sua pergunta é uma forma de pressão. Compreendo isso, mas não me deixo influenciar pelo que se escreve e se diz. Sou eu que trabalho todos os dias com eles e ajo segundo as minhas crenças e ideias. Respondendo directamente à pergunta, não me deixo influenciar por outro factor que não seja a minha ideia de jogo.Este jogo vai permitir aferir o patamar competitivo em que a equipa se encontra?Vai ser um jogo com um grau de exigência elevado e teremos de rondar a perfeição para vencer. Penso que a equipa está a crescer e vai responder da melhor maneira àquelas que serão as exigências do jogo.O que é que a equipa aprendeu na sexta-feira, frente ao Vitória de Guimarães, e terá de fazer para encontrar espaços frente ao Atlético?Teremos de ser uma equipa com grande equilíbrio em todos os momentos do jogo. As linhas muito baixas do adversário obrigam-nos a uma grande paciência na circulação, de forma a encontrar espaços que serão quase inexistentes, e temos de estar preparados para uma boa resposta em termos defensivos. Não tenho dúvidas de que, olhando para a nossa prestação na primeira parte e perspectivando o mesmo cenário com o Atlético de Madrid, as coisas serão diferentes em função da organização do adversário, com uma equipa “baixa” mas a retirar-nos espaços de outra forma. Daí a necessidade de uma boa circulação e de não perdermos a bola de qualquer forma, porque sabemos que se o Atlético sair muitas vezes em contra-ataque nos vai obrigar a um grande desgaste.O FC Porto foi a equipa menos rematadora da primeira jornada da Champions. É um aspecto que tem de ser reforçado e melhorado?O FC Porto pretende melhorar em tudo o que for possível e nesse aspecto também. Esse jogo não serve muito de exemplo já que o FC Porto tem sido rematador. Esta sequência de jogos consecutivos é um desafio para si e para a equipa técnica?É a realidade e estamos a trabalhar para responder a esse aspecto da melhor forma. A resposta tem sido boa, a adaptação tem sido óptima e não tem sido difícil gerir essa situação.


PS - Com Yustrich aprendi que no futebol de alta competição a preparação (condição) física é preponderante.
Já nessa altura o plantel do FC Porto era composto de muitas vedetas: Barrigana, Carvalho, Porcel...etc...etc...; mas foi preciso chegar o homão e impor disciplina e grande preparação física para o FC Porto começar a ganhar títulos em Portugal...
A propósito de superior preparação física lembro-me que Hagan fez o mesmo no Benfica com excelentes resultados...
Mais tarde também Guardiola reconheceu que devia uma parte substancial dos seus êxitos ao competente preparador físico do Barcelona da altura....

domingo, 29 de setembro de 2013

Howard Webb apita FC Porto vs Atlético de Madrid

30/09/2013 - MAICON E HERRERA DE REGRESSO AOS CONVOCADOS



As chamadas do central brasileiro Maicon e do médio mexicano Herrera são as grandes novidades na convocatória de Paulo Fonseca para a recepção ao Atlético de Madrid, marcada para esta terça-feira, às 19h45, referente à 2.ª jornada do Grupo G da UEFA Champions League.

Em relação à lista de convocados para o jogo frente ao Vitória de Guimarães (1-0), entram então Maicon, totalmente recuperado de uma entorse no tornozelo esquerdo, e Herrera, que foi titular no triunfo do FC Porto B sobre o Santa Clara (2-1). Em sentido inverso, Reyes e Carlos Eduardo foram preteridos. Refira-se ainda que Defour, ausente do jogo em Viena devido a castigo, volta a ser opção.
Recorde-se que FC Porto e Atlético de Madrid dividem a liderança do Grupo G depois de terem ganho os respectivos jogos na ronda inaugural da UEFA Champions League 2013/14. Os Dragões bateram o Áustria Viena na capital austríaca (1-0), enquanto os “Colchoneros” receberam e venceram o Zenit (3-1).

Lista de convocados: Helton e Fabiano (g.r), Danilo, Lucho, Maicon, Fucile, Josué, Jackson Martínez, Quintero, Ghilas, Herrera, Varela, Licá, Mangala, Fernando, Alex Sandro, Otamendi e Defour.




Howard Webb foi nomeado para apitar na próxima terça-feira o encontro entre o FC Porto e o Atlético de Madrid, da segunda jornada do Grupo G da Liga dos Campeões.
Esta será a sexta vez que o árbitro inglês vai dirigir um encontro do FC Porto, sendo que já arbitrou, nos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol de 2008/09, um encontro entre "dragões" e "colchoneros", que terminou com um empate a dois em Madrid.

O primeiro encontro entre o FC Porto e Webb aconteceu na "Champions" em 2007/08, nos "oitavos", com o Schalke 04.


Webb esteve ainda em duas derrotas "azuis e brancas", com o Sevilha (0-1), na Liga Europa de 2010/11, e Zenit (3-1), na Liga dos Campeões.

Na última temporada, o árbitro inglês dirigiu o triunfo do FC Porto sobre o Paris Saint-Germain (1-0), na fase de grupos da "Champions".

Villas-Boas aprova Paulo Fonseca

"O FC Porto está bem entregue"
O treinador do Tottenham defrontou o Chelsea ao início da tarde de sábado e à noite assistiu à Gala dos Dragões de Ouro. "Fazia questão de estar aqui"
"Mais uma vez a liderar o campeonato destacado", é com muita satisfação que André Villas-Boas olha para o novo FC Porto, agora de Paulo Fonseca. "Depois de uma mudança de treinador, as ideias demoram a assentar. Mas acho que a equipa está bem entregue. Aqui, a exigência dos adeptos é sempre altíssima. Isso não é surpresa e o Paulo Fonseca é o primeiro a admitir as coisas a corrigir. Pelo talento e profissionalismo que demonstra, vai seguramente dar a volta", afirmou o treinador do Tottenham, convidado de honra da gala dos 120 anos do FC Porto e presença surpreendente, na medida em que, seis horas antes, ainda estava a jogar contra o Chelsea. "Fazia questão de estar aqui. Esteve quase para não dar, mas felizmente consegui apanhar o voo a tempo. Fazia questão. É sempre um orgulho estar aqui", reconheceu.

O reencontro com José Mourinho foi curto para tomar o copo de vinho que lhe propôs, mas suficiente para terminar com a guerra de palavras da semana que antecedeu o jogo. "Somos apenas dois profissionais que trabalharam juntos e se reencontraram", desvalorizou. O dia "foi cheio de emoções" e a "noite mágica" era para "desfrutar." Hoje talvez visite o museu. "Pelo que sei, está fora de série. Era o que o presidente sonhava há muitos anos. Estou muito feliz que o FC Porto tenha proporcionado isso aos adeptos, e ao presidente. Antero Henrique é um dos grandes responsáveis por isto acontecer, e o BMG foi fundamental".

Atlético de Madrid vence Real Madrid

O Atlético de Madrid venceu o Real em pleno Santiago Barnabéu, seguindo invicto e colado ao Barcelona na liderança. Terça-feira defronta o FC Porto.Atlético de Madrid: Courtois; Juanfran, Miranda, Godín, Filipe Luís; Tiago, Gabi, Koke, Turan; Diego Costa e David Villa.
À atenção do FC Porto. Foi esta equipa do Atlético que derrotou o Real no S. Barnabéu, campo do Real Madrid

FC Porto Sub19 vencem Vizela nos descontos

28/09/2013 - A equipa sub 19 do FC Porto bateu este sábado o Vizela, por 3-2, em encontro da 9.ª jornada da 1.ª fase do campeonato nacional de juniores A. Andre Silva (2) e Graça foram os marcadores de serviço, com o golo da vitória a surgir no terceiro minuto de descontos, depois do Vizela ter empatado na jogada anterior.
Com esta vitória, o FC Porto mantém a liderança, com mais seis pontos do que o Braga. Na próxima jornada, marcada para 5 de Outubro, o FC Porto desloca-se a Aveiro, para defrontar o Beira-Mar.
O FC Porto alinhou com Filipe Ferrera, Rui Silva (Vítor 25m), André Ribeiro (cap) (Raul 25m), Ricardo Tavares, Rafa, Tomás Podstawski (Graça 46m), Ruben Alves, Belinha, André Silva, Rui Moreira descontose Ruben Macedo.

FC PORTO B BATE SANTA CLARA E É LÍDER

FC Porto B venceu o jogo e venceu bem, tem na equipa jovens muito promissores que só precisam de ganhar maturidade e melhorar o entrosamento, o seu futebol de conjunto


28/09/2013 - O FC Porto B venceu o Santa Clara por 2-1, em jogo da oitava jornada da Segunda Liga e voltou a isolar-se no comando da classificação, podendo ainda ser igualado pelo Moreirense.
O FC Porto B adiantou-se logo aos sete minutos, com Tozé a converter um penalti a punir um corte com a mão de Paulo Arantes.
Logo a seguir, o Santa Clara podia ter empatado, através de um bom remate de Accioly, mas a bola bateu na barra da baliza de Fabiano.
Este lance foi uma excepção na primeira parte, com o FC Porto B a dominar, atacar, a conquistar cantos, a rematar, mas sem conseguir marcar.
Na segunda parte, o Santa Clara havia de chegar à igualdade, com Tiago Leonço a aproveitar um alívio apertado de Fabiano para restabelecer a igualdade.
Estavam jogados 55 minutos, o FC Porto B pressionou, impôs um ritmo mais alto e acabou por ser premiado, com Ivo a marcar aos 77 minutos o golo que valeu uma justa vitória.
FICHA DE JOGO

Segunda Liga, oitava jornada - FC Porto B-Santa Clara, 2-1
Estádio do Pedroso, em Vila Nova de Gaia - Assistência: 307 espectadores

Árbitro: Manuel Mota (Braga)

FC PORTO: Fabiano, Victor Garcia, Reyes, Tiago Ferreira, Quiño, Pedro Moreira, Herrera, Ricardo, Tozé, Kelvin e Kléber
Substituições: Vítor Garcia por Ivo (66m), Kléber por Caballero (79m) e Pedro Moreira por Leandro (87m)
Não utilizados: Kadu, David, Tiago Ferreira e Bruno Silva
Treinador: Luís Castro

SANTA CLARA: Serginho, Paulo Arantes, Miguel Lourenço, Accioly, Igor, Seddiki, Cervantes (Ruizinho, 52), Pacheco, Hugo Santos (João Pedro, 79), Tiago Leonço (João Ventura, 64) e Minhoca
Substituições: Cervantes por Ruizinho (52m), Tiago Leonço por João Ventura (64m) e Hugo Santos por João Pedro (79m)
Não utilizados: João Botelho e Mike
Treinador: Carlos Condeço
Ao intervalo: 0-0
Marcadores:
Tozé (7m, pen.); Tiago Leonço (63m) e Ivo (77m)

Cartões amarelos: Paulo Arantes (06), Seddiki (28), Quiño (55), Reyes (62), Igor (72), Herrera (80), Ruizinho (89) e Tozé (90+2) e Miguel Lourenço (90+4)
Cartão vermelho: Seddiki (45+1).

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Liga portuguesa- FC Porto vence Vitória de Guimarães sem glória

Em resultado da primeira parte jogada a passo, praticando um futebol denunciado a equipa portista não conseguiu melhor que o 0-0 ao intervalo frente a um Vitória fechadíssimo no seu meio campo...!
Resultado final : FC Porto 1 Vitória de Guimarães 0
A equipa portista venceu o jogo mas não convenceu. E o Paulo Fonseca que se deixe de tretas e comece a corrigir o que está mal, se é que tem competência para o fazer.
Não sei se o Mister já percebeu que o FC Porto não é o Paços Ferreira e que os adeptos portistas são exigentes, querem ver futebol compatível com a qualidade e prestígio dos seus futebolistas...! 
Alguns jogadores parecem ter perdido gás, velocidade, pois são constantemente ultrapassados pelos adversários!
A julgar pelas aparências o preparador físico da equipa técnica dos Dragões é incompetente...!
Um golo de penálti de Josué, no início da segunda parte, foi suficiente para o FC Porto bater o Vitória de Guimarães (1-0), na sexta jornada da Liga.
O golo dos Dragões acabou por surgir apenas no início do segundo tempo, quando Luís Rocha obstruiu um lance individual de Quintero na grande área vimaranense. Josué converteu, novamente com tranquilidade – já é a terceiro castigo máximo da época -, o penálti. O jovem formado no Dragão manteve a eficácia total, mesmo com a insólita tentativa de desestabilização de Douglas, com o uso de um… plástico!
Terça-feira há mais, com a recepção ao Atlético de Madrid, da segunda jornada do grupo G da Liga dos Campeões.

FICHA DE JOGO- Liga portuguesa, sexta jornada- 27 de Setembro de 2013
Estádio do Dragão, no Porto - Assistência: 32.209 espectadores

Árbitro: Pedro Proença (Lisboa)
Assistentes: Tiago Trigo e Bertino Miranda
Quarto árbitro: Daniel Cardoso

FC PORTO: Helton; Danilo, Otamendi, Mangala e Alex Sandro; Fernando, Lucho (cap.) e Quintero; Josué, Jackson Martínez e Licá
Substituições: Licá por Varela (61m), Quintero por Defour (68m) e Fernando por Carlos Eduardo (77m)
Não utilizados: Fabiano, Fucile, Ghilas e Reyes
Treinador: Paulo Fonseca

VITÓRIA DE GUIMARÃES: Douglas; Pedro Correia, Paulo Oliveira, Moreno e Luís Rocha; Leonel Olímpio (cap.), André Santos e André André; Nii Plange, Maazou e Malonga
Substituições: Nii Plange por Marco Matias (58m), André André por Tiago Rodrigues (75m) e Malonga por Ricardo (75m)
Não utilizados: Assis, Freire, Barrientos e Kanú
Treinador: Rui Vitória
Ao intervalo: 0-0
Marcador:
Josué (51m, pen.)
Cartões amarelos: Fernando (28m), Lucho (32m), Douglas (50m), Danilo (55m), leonel Olímpio (65m) e Otamendi (70m)

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Só porque há que chamar os bois pelos nomes

Porque lógicas, éticas, justas e assertivas; resolvi divulgar aqui neste meu pequeno espaço os artigos de dois jornalistas com coluna vertical e intelectualmente honestos!

No ilusionismo ninguém bate o Benfica
de José Manuel Ribeiro

Truque barato para desviar as atenções de Jesus e vender assinaturas da Benfica TV
Jorge Jesus, treinador do Benfica, empurrou, puxou e até bateu em agentes da polícia para os impedir de imobilizar um invasor de campo. Se preciso fosse, o insólito da situação já ficaria suficientemente demonstrado pelo impacto que o caso teve na Imprensa internacional, mas não é necessário: bastam as imagens televisivas e uma pontinha de integridade. A mesma pontinha de integridade chegaria para compreender que a pergunta que o leitor faz a seguir é esta: o que pode acontecer agora ao Jorge Jesus?

Procurámos a resposta na pessoa insuspeita do professor José Manuel Meirim, especialista e, não é que interesse, mas adepto do Benfica. Dessa conversa resultou um artigo fornecendo os possíveis enquadramentos legais. Em comunicado, o Benfica diz que, ao fazê-lo, O JOGO "condenou Jorge Jesus por factos que carecem de apuramento" e acusa-nos de não dar o mesmo tratamento a uma altercação entre um administrador do FC Porto e o presidente da AF Lisboa, de que fizemos notícia dando voz às duas partes e a uma testemunha imparcial.

A isto que o Benfica engendrou chama-se ilusionismo. É um truque barato de prestidigitação que tem dois objetivos: desviar as atenções do disparate que Jesus fez e, à boleia, vender assinaturas da Benfica TV inventando seja o que for contra os órgãos de comunicação que lhe interessam. Já não é de hoje que o Benfica se empenha muito mais em desenvolver esse truque de salão do que o futebol, com os resultados conhecidos.


Uma pergunta: chamou ou não chamou?
de Joel Neto
Não sei se Nuno Lobo foi ou não agredido. E quero saber, note-se: se tiver sido agredido, tem toda a razão em recorrer aos tribunais. Aquilo que de facto sei, para já, é que o presidente da AF Lisboa quer "unir o Benfica e o Sporting" na luta contra o poder das "gentes lá de cima". E isso parece-me extraordinário porque significa que, aparentemente, o reequilíbrio de forças no futebol português não se obterá sem Lisboa fazer as mesmas coisas que durante anos acusou o Porto (e o FC Porto, e em particular Pinto da Costa) de fazer: erguer a bandeira regionalista, forjando em proveito próprio um debate político populista, e entretanto ir diabolizando o adversário em todas as oportunidades. Por mim, tudo bem: isto do poder é como os acordeões, e o do futebol lisboeta já está com o fole fechado há demasiados anos. O problema é que, quando alguém pretende moralizar, não pode escapar ao escrutínio da sua moral. E eu vejo mais gente a defender que Nuno Lobo apenas chamou repetidamente macaco a Hulk no Facebook quando ainda não era presidente da AF Lisboa do que a defender que Nuno Lobo não chamou repetidamente macaco a Hulk, nem no Facebook nem em lado nenhum. Portanto, também quero saber isso: Nuno Lobo chamou macaco a Hulk? Repetidamente? Então não pode moralizar. Ponto.

Olha, bem visto 
Foi a reportagem possível

O adepto que Jorge Jesus parece ter querido defender em Guimarães explicou à Benfica TV que não invadiu o terreno de jogo: estava a festejar a vitória pendurado no gradeamento, foi empurrado e, ao dar por si no relvado, decidiu tentar a sua sorte e partir em busca de uma camisola. Coisas mais estranhas já aconteceram, algumas até na vida real. Parabéns à Benfica TV, pois, pelo seu primeiro grande furo jornalístico.

Incidentes em Guimarães - Afinal eles até não fizeram nada!

Para quê sancionar os responsáveis pelos incidentes ocorridos no final do jogo em Guimarães, mas afinal o adepto até nem invadiu o campo (ele só queria a camisola do seu ídolo) e o JJ também nem fez nada, até assistiu impávido e sereno aos acontecimentos...!
Realmente é lamentável que hajam pessoas a pensar que se devam punir estes inocentes anjinhos...!
A Comissão de Instrução e Inquéritos (CII) da Liga abriu um processo disciplinar aos incidentes após o jogo entre Vitória de Guimarães e Benfica, tendo decidido investigar todos os envolvidos: Jorge Jesus, a equipa de arbitragem liderada por Bruno Esteves e os próprios delegados da Liga, informa a agência Lusa. No caso de delegados e árbitros, o processo disciplinar fica a dever-se a indícios de omissão do dever de informação nos respetivos relatórios.
O Conselho de Disciplina da FPF não instaurou nenhum processo de inquérito e remeteu para a CII os relatórios do jogo e as imagens dos incidentes que envolveram Jorge Jesus, a Polícia e os "stewards". Esta comissão instaurou o processo ao treinador do Benfica, aos delegados Paulino Carvalho e Carlos Santos e aos quatro elementos da equipa de arbitragem: Bruno Esteves, Mário Dionísio, Rui Teixeira e Manuel Oliveira.

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

JM Delgado é faccioso

O Sabujo do Delgado_Ver aqui

Jorge Jesus prevaricou ao tentar desautorizar os agentes de autoridade

Jorge Jesus prevaricou porque quanto mais não fosse pretendeu desautorizar a polícia que é a autoridade para manter a disciplina.
É risória a desfaçatez de certos anões benfiquistas (manuel sérgio, alexandre afonso…etc) que pretendem branquear a condenável atitude do JJ que devia ser o primeiro a dar o exemplo sobre disciplina.


PS - Extractos de opiniões:

Um individuo que é presidente de uma Associação e tem o comportamento que o Lobo tem, é vergonhoso para todos os clubes associados e só mostra a falta de carácter e de personalidade do presidente da AFL.

Devia, mas infelizmente não é bem assim, afinal o homem (lobo vermelho) após o jogo do Estoril, foi visto lado a lado a conversar animadamente com o presidente do Sporting Bruno Carvalho, o qual parece ser conivente com este ambiente que se vive nos clubes de Lisboa! Tudo leva a querer que são (cúmplices) farinha do mesmo saco, estão todos em sintonia…!


PS 1 - Digno de relevo:
1. O Sport Lisboa e Benfica emitiu um comunicado em que refere o Jornal de Notícias como um dos órgãos de Comunicação Social que, citamos, "continuam a dar apoio ao sistema".
 Os factos provam que o magno problema do SLB - pouquíssimos títulos conquistados nos últimos anos para tamanha legião de adeptos - resultam do sistema sim, mas do seu próprio: de gestão desportiva. Quanto ao JN, limita-se a relatar factos e a dar-lhes o relevo e enquadramento que a sua Direção editorial decide.
 

2. Não foi o JN quem patrocinou a cena em que o treinador do SLB se envolveu à pancada com a Polícia no final do jogo de domingo último. Nem esta, nem anteriores como, por exemplo, a que protagonizou com o seu próprio atleta Cardozo, também em pleno relvado, após a final da Taça de Portugal da época passada.

3. Não foi o JN quem patrocinou a cena em que o capitão da equipa insultou os adeptos do seu clube no final do jogo da Luz com o Gil Vicente.

4. Não foi o JN quem patrocinou as cenas pós-jogo, como, por exemplo, a rega e o apagão com que o Benfica brindou, na Luz, uma das festas de um dos campeonatos ganhos pelo F. C. Porto.

5. Não foi o JN quem patrocinou as cenas de falta de "fair play" dos jogadores do Benfica no final da Taça de Portugal, ganha pelo Vitória de Guimarães.


segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Ainda a arbitragem caseiríssima no Estoril x FC Porto

Em alguns aspectos Paulo Fonseca tem muita razão nos comentários que fez ao trabalho do Rui Silva de Vila Real!
É que não foi só o caso do livre transformado em grande penalidade, nem o caso do avançado do Estoril ter beneficiado da sua posição em fora de jogo para marcar o segundo golo do Estoril.
O que verdadeiramente foi preponderante, foi o critério adoptado por Rui Silva de Vila Real, fustigando toda a defesa portista com cartões amarelos à mínima que eles fizessem.
E a autentica chuva de cartões amarelos com que Rui Silva de Vila Real mimoseou os futebolistas azuis e brancos acabou por conduzir a uma vergonhosa intimidação destes, pelo que acabou por contribuir decisivamente para o (empate) resultado (bom) do Estoril...!
 
PS - Opinião de Miguel Sousa Tavares
E, a avaliar pela equipa que meteu na Amoreira e a forma como se deixou paralisar pelos acontecimentos, não percebeu mesmo!

Uma opinião coincidente com a minha...pelo menos é o que transpira cá para fora, ou seja, algo que quem está a observar deteta.

domingo, 22 de setembro de 2013

Os Dragões escorregam no Estoril

22/09/2013 - Os golos do Estoril tiveram a assinatura do árbitro:
1 - No primeiro golo do Estoril, a falta se é que houve, foi à entrada da área, não se justificando a marcação da grande penalidade.
2 - No segundo golo do Estoril o seu marcador beneficia da posição de fora de jogo para marcar.
Apesar de tudo no entanto, na minha opinião, a equipa portista não fez tudo o que estava ao seu alcance para vencer o jogo, andando a maior parte do jogo a arrastar-se pelo campo. E Paulo Fonseca é o principal responsável por este meio desaire...!
Começo por assinalar o facto dos Dragões se andarem a arrastar no campo durante quase todo o jogo! Pergunta-se : como é que os jogadores do Estoril que também jogaram a meio da semana conseguiram quase sempre chegar primeiro à bola do que os portistas!
Na equipa azul e branca foi o descalabro quase total, só Lucho se safou e as substituições foram feitas tarde e a más horas! Por aquilo que vi, se Ghilas entra meia hora mais cedo tinha dado a volta ao resultado.
No duelo dos treinadores Marco Silva (venceu) mostrou mais capacidade de decisão e fez as substituições que tinha a fazer a tempo e horas, pelo que veio a beneficiar do resultado.
Resultado: Marco Silva 1 Paulo Fonseca 0!

À atenção da FC Porto-Futebol,SAD

O FC Porto empatou no Estoril e Paulo Fonseca é o principal responsável pelo resultado.

Durante o jogo olha-se para ele e a sensação que dá é que anda ás aranhas, não sabendo o que fazer...!

1 - Não tem um plano "B" definido

2 - Alguns elementos da equipa estouram, casos de: Varela, Licá, os laterais...etc...e ele impávido e sereno a ver jogar sem actuar...!

3 - Faz as substituições tarde e a más horas!

Por aquilo que se viu se Ghilas entra mais cedo 20 minutos, os Dragões tinham ganho o jogo.


Cumprimentos, AM
O FC Porto empatou este domingo (2-2) diante do Estoril, no Estádio António Coimbra da Mota, em jogo a contar para a 5.ª jornada da Liga. Licá (19m) e Jackson Martínez (67m) fizeram os golos dos Dragões, enquanto Evandro, numa grande penalidade mal assinalada (35m), e Luís Leal (80m), em fora de jogo, marcaram para os estorilistas.
À passagem dos 35 minutos, Rui Silva e seus pares descortinaram uma bola na mão de Otamendi dentro da área que, na realidade, aconteceu fora da mesma. Grande penalidade mal assinalada que Evandro, indiferente à inacreditável decisão, cobrou com sucesso, estabelecendo o empate a uma bola registado ao intervalo (35m).
Em busca do pleno em jogos oficiais esta temporada, o FC Porto voltou a balançar as redes adversários na etapa complementar, à passagem do 67.º minuto. Varela descobriu Lucho em zona frontal e El Comandante, com toda a genialidade de quem sabe como poucos aquilo que faz, deixou Jackson Martínez frente-a-frente com Vagner. Com classe, o avançado colombiano “picou” a bola sobre o guardião brasileiro e deu nova vantagem aos Dragões.
À entrada para os derradeiros dez minutos, o Estoril chegou de novo à igualdade, desta feita por intermédio de Luís Leal, num lance em que o avançado estorilista se encontra fora de jogo (80m). Novamente, a arbitragem condicionou o rumo do jogo. Apesar das constantes quebras e perdas de tempo provocadas pelos jogadores do Estoril, o FC Porto seguiu na procura desenfreada pela vitória e ainda viu Vagner negar o golo a Alex Sandro com uma grande defesa (90m+1). Assim se consumou o primeiro empate no campeonato no primeiro jogo oficial que o FC Porto não venceu em 2013/14.
FICHA DE JOGO
Liga portuguesa, 5.ª jornada - Estádio António Coimbra da Mota, em Cascais
Árbitro: Rui Silva (Vila Real)
Assistentes: José Lima e Bruno Trindade

ESTORIL: Vagner (cap.); Anderson Luís, Bruno Miguel, Ruben Fernandes e Babanco; Gonçalo Santos, Diogo Amado e Evandro; João Pedro Galvão, Sebá e Luís Leal
Substituições: Balboa por João Pedro Galvão (71m), Filipe Gonçalves por Diogo Amado (72m) e Mano por Evandro (85m)
Não utilizados: Ricardo Ribeiro, João Pedro, João Coimbra e Bruno Lopes
Treinador: Marco Silva

FC PORTO: Helton; Danilo, Otamendi, Mangala e Alex Sandro; Fernando, Defour e Lucho (cap.); Licá, Varela e Jackson Martínez
Substituições: Quintero por Varela (76m), Ricardo por Defour (84m) e Ghilas por Licá (90m)
Não utilizados: Fabiano, Reyes, Herrera e Josué
Treinador: Paulo Fonseca
Ao intervalo: 1-1
Marcadores:
Licá (26m), Evandro (35m, g.p.), Jackson Martínez (67m), Luís Leal (80m)
Disciplina: Cartão amarelo a Mangala (30m), Otamendi (34m), João Pedro Galvão (37m), Babanco (40m), Alex Sandro (59m), Fernando (66m), Anderson Luís (78m) e Vagner (90m)

 
Paulo Fonseca: "É difícil falar quando as coisas são tão claras"

“Antes de mais, gostaria de dar os parabéns aos meus jogadores. Tentámos por todos os meios (mas mal, digo eu) vencer, penso que tivemos bons momentos no jogo e não há nada que se lhes aponte porque tiveram uma atitude extraordinária. Parabéns ao Estoril, que é sempre um adversário difícil, e parabéns ao Jorge Jesus, porque conseguiu jogar em três campos e a estratégia dele e do Benfica resultou. Houve aqui uma clara influência da equipa de arbitragem, que esteve francamente mal. Já pudemos comprovar que o penálti do Estoril foi um metro fora da área. Tenho de dar os parabéns a quem condicionou não só este jogo, porque ontem, no jogo do Sporting, pudemos assistir a mais do mesmo. O que ganhou aqui foi a estratégia do Jorge Jesus.”
“Tradicionalmente, este é um campo difícil, jogámos perante um bom adversário e as grandes equipas têm dificuldade em jogar aqui. O Estoril teve uma estratégia que nos condicionou, mas chegámos ao golo e tivemos mais oportunidades. Em relação à arbitragem, não foi só o lance do penálti que nos prejudicou, acabámos com a defesa toda amarelada e é difícil falar quando as coisas são tão claras. Penso que fizemos uma segunda parte boa, chegámos com mérito à vantagem e depois é óbvio que não podemos sofrer um golo quando estamos a ganhar. Há mérito do Estoril e houve uma condicionante que influenciou fortemente o rendimento dos jogadores.”
“O empate não traz nenhumas consequências porque foi clara a razão por que não ganhámos aqui. Vamos continuar a entrar em todos os jogos para vencer, não é este empate, ainda para mais da maneira como foi conseguido, que nos vai retirar ambição. Vamos lutar em todos os campos contra qualquer adversário, sabendo que há coisas que não podemos ultrapassar.” (controlar digo eu)
Licá“O Estoril em casa é muito forte, entrámos a ganhar, eles empataram, voltamos a colocar-nos em vantagem e eles voltaram a empatar. Não era o resultado que queríamos, mas há que levantar a cabeça, o grupo está unido e vamos pensar já em ganhar o próximo jogo...

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

FC Porto B perde na Madeira frente ao Marítimo B (reforçado)

18/09/2013 - O FC Porto B perdeu com o Marítimo B, por 2-0, esta quarta-feira, no que foi a primeira derrota dos Dragões nesta edição da Segunda Liga. Numa partida em que nunca conseguiu assumir o controlo das operações, a jovem equipa portista sofreu dois golos no início da segunda parte e não conseguiu reagir à desvantagem.
A primeira parte da partida teve poucos motivos de interesse, com a equipa do FC Porto B a denotar dificuldades de adaptação a um relvado pequeno e de qualidade sofrível. Os poucos motivos de interesse prenderam-se com algumas iniciativas individuais dos atacantes portistas, nomeadamente de Kelvin.
Kléber ainda ensaiou um remate perigoso no início da segunda parte (47m), mas logo de seguida vieram dois rudes golpes para a equipa portista, com os dois golos de rajada do Marítimo B (Kukula, aos 50m e Nuno Rocha, aos 55m). O FC Porto B acusou em demasia estes cinco minutos aziagos e apenas reagiu aos 75m, com duas boas hipóteses para Zé António e Tiago Ferreira.
Até ao final, e apesar das alterações efectuadas por Luís Castro, a equipa portista não conseguiu alcançar um resultado positivo, ficando na retina uma jogada do reforço Kayembe, com a bola a embater, caprichosamente, no poste da baliza maritimista.

FICHA DE JOGO
Marítimo B 2 -FC Porto B 0 
Segunda Liga, 7.ª jornada - Campo da Imaculada Conceição

Árbitro: Tiago Martins (Lisboa)
Assistentes: André Moreira e José Borges.

Marítimo B: Wellington, Armando, Gegé, Nuno Rocha (cap.), Patrick Bauer, Luís Olim, Pana, Amar (Yi Guo, 89m), Edivândio (Alemão, 80m), Jorge Chula (Tiago, 72m) e Kukula.
Não utilizados: Rui Vieira, Filipe Oliveira, Luís Miguel e Fábio Abreu.
Treinador: Ivo Vieira

FC PORTO B: Kadú, Víctor García, Zé António, Tiago Ferreira (Leandro, 84m), Quiño (David Bruno, 59m), Mikel (Kayembe, 59m), Carlos Eduardo, Pedro Moreira (cap.), Kelvin, Tozé e Kléber.
Não utilizados: Caio, Ruben Macedo, Bruno Silva e Caballero.
Treinador:
Luís Castro
Ao intervalo: 0-0
Marcadores:
Kukula (50m) e Nuno Rocha (55m).
Disciplina: Cartão amarelo a Nuno Rocha (24m), Carlos Eduardo (38m), Gegé (45m), Amar (64m), Kukula (69m) e Kelvin (90+4).

Porque não joga o Ghilas?!

Opiniões: ...e complicou muito por culpa da equipa portista que e em particular nos primeiros 45 minutos, esteve muito aquém do que se exigia. Durante a etapa inicial, o conjunto de Paulo Fonseca foi uma equipa apática, lenta, previsível, pouco intensa e pouco pressionante, deu espaço, sentiu dificuldades, expôs-se...

Na minha opinião, o que é afirmado acima é um pouco exagerado, pois acredito que foi: a velocidade e  capacidade de luta (choque do adversário) que provocou o menor acerto dos Dragões. Ou seja, há mais mérito dos austríacos do que demérito dos portistas...!
Além disso como foi o primeiro jogo da Champions, tudo leva a crer que a equipa portista não estaria a contar com tamanha agressividade (frenesim) do adversário...!

Em conclusão, o que interessa é que conseguimos os três pontos.
Embora pense que a equipa portista tem de melhorar muito se quiser passar os oitavos de final da Champions League...!


PS - Continuo a não saber porque é que Paulo Fonseca não dá minutos de jogo ao Ghilas...!!!

19/09/2013 - PS1- À atenção do Paulo Fonseca!
É um crime o que estão a fazer ao Ghilas! Quando é que o Mr.Paulo Fonseca se convence que tem de dar minutos de jogo ao Ghilas?!
PS - O Molenga do Jackson quer jogue bem ou mal, joga sempre os 90 minutos!

“O IMPORTANTE ERA VENCER”

18/09/2013 - 
No rescaldo do jogo com o Áustria de Viena, o treinador Paulo Fonseca sublinhou o mais importante: os três pontos foram conquistados, apesar da exibição da equipa não ter sido brilhante. Lucho, Fernando e Josué foram unânimes na análise: os Dragões falharam mais passes do que é habitual e isso “emperrou” o jogo azul e branco.
Paulo Fonseca
“O importante era vencer e obviamente que estou satisfeito por isso. Na primeira parte poderíamos ter feito outro jogo, mas sabíamos que não iria ser fácil – ao contrário do que muita gente pensa, este adversário tem qualidade. Antevíamos uma fase inicial difícil e isso sucedeu porque, às vezes por culpa própria, perdemos bolas em zonas e de formas que não podemos permitir.”
“Tivemos dificuldades, algumas vezes por demérito, outras por mérito do Áustria de Viena, que entrou de forma agressiva e pressionante. Não fomos equilibrados nesse período do ponto de vista emocional e não resolvemos as questões de forma simples, permitindo ao Áustria ganhar confiança e ir acreditando. A segunda parte foi muito diferente, controlámos e dominámos, a equipa foi mais segura defensivamente e no passe e a chegar ao último terço, mesmo sem criar grande perigo. Pelo que fizemos na segunda parte, merecemos amplamente a vitória.”
Lucho
“Obviamente que marcar é sempre fantástico para qualquer jogador. Para mim era uma data importante pelo que aconteceu com o meu pai há um ano. Estou contente por termos conseguido os três pontos. A primeira parte custou-nos, mas, na segunda parte, jogámos melhor, controlámos o ritmo e poderíamos ter marcado mais golos. Não fiquei surpreendido com o Áustria de Viena, que é um rival de qualidade e que em casa pressiona muito. Falhámos muitos passes e não estamos habituados a isso, mas nesta competição tudo é difícil, só há grandes equipas.”
Fernando
“Na Liga dos Campeões as equipas são muito fortes e há sempre dificuldades. O adversário foi muito agressivo na primeira parte, por isso tivemos de deixar de ser passivos e passámos também a jogar com muita agressividade. Na segunda parte, fizemos um golo e depois conseguimos controlar. O importante foi conseguir os três pontos, o nosso objectivo é marcar posição num grupo difícil, ganhar jogo após jogo e classificarmo-nos em primeiro lugar. Se não for possível, queremos pelo menos passar a fase de grupos.”
Josué
“Concretizei um sonho, que era jogar no meu clube de coração na Champions. Sabíamos que ia ser um jogo difícil, mas o mais importante são os três pontos. Falhámos passes que não são habituais e eles cresceram. Depois marcámos o golo e controlámos até ao fim.”

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Champions League: Saborosa vitória dos Dragões na Austria

18/09/13 - Áustria de Viena 0 FC Porto 1
Excelente vitória da equipa portista no difícil terreno do adversário!
Os austríacos senhores duma técnica muito razoável e duma capacidade física assombrosa, que lhes permite correr o campo todo durante os 90 minutos do jogo, não foram "pera doce" para os Dragões que tiveram de recorrer a toda a sua capacidade de: luta, técnica e paciência; para conseguir levar de vencida esta equipa do Áustria muito difícil de bater no seu terreno. 
De realçar portanto o espírito de luta, a atitude e capacidade atlética da equipa azul e branca, bem treinada pela equipa técnica do Paulo Fonseca.
Só tenho dois reparos a fazer:
1 - As substituições pareceram-me tardias. Transpira cá para fora a sensação de que o Paulo hesita muito na hora de alterar o sistema, ou seja, o plano "B" ainda não parece estar bem definido...!
2 - Na minha opinião não há justificação para o Ghilas não jogar. Um atleta possante como ele e bom de bola, deve pelo menos jogar sempre os últimos 30 minutos do jogo.
O FC Porto iniciou a 18.ª presença na Champions League com uma vitória por 1-0 frente ao Áustria de Viena, graças a um golo de Lucho González, que assim marca pela nona época consecutiva na prova milionária. O Ernst Happel foi, mais uma vez, acolhedor para os Dragões, na estreia de Paulo Fonseca, Licá, Josué, Herrera e Quintero na competição.
A equipa portista que neste jogo adoptou o equipamento branco, comemorativo dos 120 anos do clube, brilhou apenas na segunda parte. Mais concentrada e segura de si, a equipa reentrou bem em campo e chegou ao golo aos 55 minutos, num entendimento brilhante entre Lucho e Danilo - jogada começada pelo argentino e finalizada também por ele.
Com o resultado e o tempo a correr contra si, a equipa do Áustria de Viena abriu mais as linhas e isso permitiu que o FC Porto pudesse trocar a bola com mais certezas. O resultado não sofreu alterações até ao final, apesar de algumas boas combinações no (reforçado) meio-campo portista, fruto das mudanças operadas por Paulo Fonseca, e duma iniciativa de Jackson cortada “in extremis” pela defesa austríaca.

FICHA DO JOGO
UEFA Champions League, 1.ª jornada - Estádio Ernst Happel, em Viena

Árbitro: Craig Thompson (Escócia)
Assistentes: Alan Mulvanny e David McGeachie Assistentes adicionais: Steven McLean e Kevin Clancy

ÁUSTRIA DE VIENA: Lindner; Rogulj, Ortlechner (cap.), Suttner, Koch; Mader, Holland, Royer; Jun, Hosiner, Stankovic
Substituições: Simkovic por Jun (68m), Kienast por Hosinere e Okotie por Holland (83m) Não utilizados: Grünwald, Rotpuller, Leovac e Dilaver.
Treinador: Nenad Bjelica

FC PORTO: Helton; Danilo, Otamendi, Mangala e Alex Sandro; Fernando, Josué e Lucho (cap.); Varela, Jackson Martínez e Licá
Substituições: Izmaylov por Licá (67m), Herrera por Varela (79m) e Quintero por Lucho (87 m) Não utilizados: Fabiano, Fucile, Reyes e Ghilas
Treinador: Paulo Fonseca
Ao intervalo: 0-0
Marcador:
Lucho (55m)
Disciplina: Cartão amarelo a Koch (43m), Alex Sandro (44m), Hosiner (67m) e Varela (73m).

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Bruno de Carvalho com sede de protagonismo

O Bruninho armado em "chico esperto" tenta desestabilizar ainda mais o ambiente...!
É caso para dizer: de que é que estás à espera ó Bruno?!
Claro que no Dragão vais ser recebido condignamente, ou seja, de acordo com os ventos que tens andado a semear...!
Para asno só te faltam as penas, ora como os asnos não têm penas, nesse caso não está faltando nada...!

Os dois primeiros só se defrontam à oitava jornada, no final de outubro, mas o presidente já faz jogo psicológico: garante que, quanto mais hostil for o ambiente, melhor será a resposta.
BRUNO DE CARVALHO: "Quero ser mal recebido no Dragão"
Pois! O FC Porto até já está a pensar contratar os Bombos de Santa Maria de Jazente Amarante "zés pereiras" para te receber com pompa e circunstância...!
 

Paulo Fonseca leva 19 futebolistas a Viena

16/09/2013 - O treinador do FC Porto chamou 19 jogadores para a viagem a Viena, onde o FC Porto defronta o Áustria Viena na ronda inaugural na UEFA Champions League. Steven Defour, castigado, e Maicon, lesionado, são as duas ausências forçadas na convocatória para a estreia europeia.
O jogo entre Áustria Viena e FC Porto, referente à 1.ª jornada do Grupo G da UEFA Champions League, realiza-se esta quarta-feira, às 19h45, no Estádio Ernst Happel, em Viena.
Lista de convocados: Helton e Fabiano (g.r), Danilo, Lucho, Fucile, Josué, Jackson Martínez, Quintero, Ghilas, Reyes, Izmaylov, Herrera, Varela, Licá, Ricardo, Mangala, Fernando, Alex Sandro e Otamendi.

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Casos do futebol: registo para futuro

1 - Engraçado como esses seguidores da IURV - Igreja Universal do Reino do Vieira - têm a mania, o complexo de dizer que tudo o que lhes diga respeito é sempre melhor!
Só pode ser mesmo um complexo de inferioridade pois estão sempre a: aldrabar, aumentar, empolar, a mentir…etc...!

 
2 - O Trio d' Ataque é uma vergonha, mas era o Miguel Guedes que podia e devia dizer qualquer coisa, tinha mais impacto.
Porém falta agressividade ao MG para enfrentar os seus adversários…!

3 - Fora de jogo_Ver aqui

4 - O rapaz das bilheteiras
Ver aqui

Quintero nas alas...?

Alguns portistas são de opinião que o Paulo Fonseca devia colocar o Quintero a jogar encostado a uma das alas.
Sou de opinião contrária porque em primeiro lugar é preciso saber se o Quintero apesar de bom de bola, sabe jogar nas alas, e depois ter em conta que o colombiano não é um (sprinter) um jogador explosivo como por exemplo o Hulk, ou um Cristiano Ronaldo, estes sim, com velocidade (de pernas) suficiente para jogar nas alas.
Uma vez sugeri ao Mr. Fernando Santos ex-treinador do FC Porto um jogador como solução para jogar nas alas, e ele disse-me pura e simplesmente: não pode ser porque ele não sabe jogar nas alas. Como é evidente deixou-me sem argumentos para contrariar a sua ideia e impor minha tese...!

“Tivemos momentos brilhantes na primeira parte"

14/09/2013 - 

Quatro vitórias em outros tantos jogos e a liderança isolada na Liga. Após o triunfo sobre o Gil Vicente (2-0), Paulo Fonseca destacou a excelência da exibição portista na primeira parte mas realçou que a sua equipa podia e devia ter feito mais na etapa complementar.
“Nunca procuro desculpas quando as coisas não correm bem. Fizemos uma grande primeira parte, na qual tivemos momentos brilhantes, mas não soubemos gerir o jogo da segunda, na qual podíamos e devíamos ter feito mais”, começou por afirmar o técnico dos tricampeões nacionais, que sublinhou a sua satisfação por um resultado que considerou justo.
“Estou naturalmente satisfeito pela vitória. Aliás, vencemos todos os jogos oficiais até ao momento, algo que era um dos nossos objectivos, porque queremos vencer sempre. Esta vitória, que não sofre qualquer contestação, assume particular importância por ser no início de uma semana difícil, em que iniciamos a nossa participação na UEFA Champions League”, considerou Paulo Fonseca.
Relativamente à ausência do castigado Steven Defour na estreia na UEFA Champions League 2013/14, frente ao Áustria de Viena, Paulo Fonseca acredita que a equipa não se irá ressentir. “O que o Defour tem feito pela equipa é grandioso mas nem sempre é valorizado. É um jogador muito importante e, ao mesmo tempo, muito diferente do João Moutinho. Tenho a certeza que a equipa saberá responder à altura”.

sábado, 14 de setembro de 2013

Uma 2ª parte sofrível sucedeu a uma excelente 1ª parte

14 de Setembro de 2013 - Depois duma primeira parte muito bem jogada pelos portistas na qual não deram qualquer hipótese ao Gil, seguiu-se o tempo complementar no qual os gilistas construíram algumas jogadas em que podiam ter também feito funcionar o marcador...!
Conclusão: não gostei da 2ª parte dos dragões...! 
Registo - (de assinalar): Varela – que ainda nem tinha jogado nesta edição da Liga, devido a lesão – esteve perto de “bisar”, aos 66 minutos, num remate cruzado que falhou o alvo por pouco. De resto, registo ainda para um lance em que o extremo foi derrubado na grande área do Gil Vicente, aos 76 minutos, recebendo como “prémio” um incompreensível cartão amarelo da mão de Hugo Pacheco, por uma simulação que nunca poderia ter existido.
FICHA DE JOGO

FC Porto 2 Gil Vicente 0
Liga, quarta jornada - Estádio do Dragão, no Porto - Assistência: 36.517 espectadores
Árbitro: Hugo Pacheco (Porto)
Assistentes: Alexandre Freitas e Pedro Miguel Ribeiro
Quarto árbitro: Manuel Oliveira

FC PORTO: Helton (cap.); Danilo, Maicon, Otamendi e Alex Sandro; Fernando, Defour e Quintero; Varela, Jackson Martínez e Licá
Substituições: Maicon por Mangala (17m), Licá por Lucho (62m) e Quintero por Ricardo (77m)
Não utilizados: Fabiano, Josué, Ghilas e Carlos Eduardo
Treinador: Paulo Fonseca

GIL VICENTE: Adriano; Gabriel, Peck’s, Luan e Luís Martins; Keita, César Peixoto (cap.) e João Vilela; Draman, Brito e Diogo Viana
Substituições: Draman por Bruno Moraes (34m), Brito por Pitbull (62m) e César Peixoto por Avto (77m)
Não utilizados: Caleb, Vítor Vinha, Vítor Gonçalves e Nélson Agra
Treinador: João de Deus

Ao intervalo: 2-0
Marcadores: Varela (8m) e Jackson (27m)
Cartões amarelos: Mangala (41m), Luís Martins (62m) e Varela (76m)
Cartões vermelhos: -

Varela de regresso aos convocados

Extremo português é opção pela primeira vez neste campeonato. Mangala também volta aos convocados; Carlos Eduardo é a surpresa
A ronda de jogos internacionais terá custado os lugares a Fucile e Herrera (saltaram dos eleitos, tal como Abdoulaye, entretanto cedido ao V. Guimarães), mas não a Jackson e a Quintero. Os colombianos foram chamados para o encontro de amanhã, mas as grandes novidades são mesmos os regressos.
De todos, o de Mangala é o menos surpreendente, uma vez que só falhou o Paços de Ferreira por lesão. Varela volta a ser incluído depois da titularidade na Supertaça e está em condições de se estrear no campeonato. Carlos Eduardo também é novidade, numa lista que não tem Kelvin.
Os 18 convocados para a recepção ao Gil Vicente:

Helton e Fabiano; Danilo, Lucho, Maicon, Josué, Jackson Martínez, Quintero, Ghilas, Varela, Licá, Carlos Eduardo, Ricardo, Mangala, Fernando, Alex Sandro, Otamendi e Defour.

FC Porto B 0 Moreirense 0

Dragões empataram a zero na receção ao Moreirense. Kléber foi titular se conseguir influenciar o resultado do jogo.
O FC Porto B empatou este sábado a zero na receção ao Moreirense, na sexta-jornada da II Liga. Fabiano e Herrera também foram titulares no onze dos dragões, mas não conseguiram alterar o rumo dos acontecimentos.
O Moreirense assume a liderança do campeonato, com 14 pontos e mais um jogo do que os azuis e brancos.
Equipas iniciais:
FC Porto:
Fabiano; Vítor Garcia, José António, Tiago Ferreira e Quiñones; Mikel, Pedro Moreira, Herrera, Tozé, Ivo e Kléber.
Moreirense: Carlos; André Simões, Sandro, Ricardo Nascimento; Elízio; Filipe Melo, Luís Aurélio e Diogo Cunha; André Carvalhas, Tiago Borges e Edgar Costa

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Enredos

Constou-me que o Alexandre Pinto da Costa anda armado em empresário (de trazer por casa) a lançar      a confusão. Segundo o que me consta o novel filho do Presidente do FC Porto não se entende com Antero Henrique director geral da FC Porto- Futebol, SAD! Por isso (dizem) o Iturbe não teve hipóteses no FC Porto!

domingo, 1 de setembro de 2013

Paços de Ferreira 0 FC Porto 1

A exibição dos dragões hoje foi para esquecer. Até pareceu que foram os portistas que jogaram a meio da semana...!
Tal foi a prestação da equipa azul e branca! Desoladora, irritantemente lenta e desajeitada!
Paulo Fonseca parecia aturdido com o desenrolar dos lances: Jackson só há sua conta desperdiçou 4 ou.5 oportunidades de golo. Lucho idem aspas! A partir de certo momento atė parecia que os portistas eram incapazes de acertar com a baliza pacence!
Pergunto ? Porque demorou Paulo Fonseca tanto tempo a ler o jogo e a tomar uma atitude?!
A equipa a jogar assim displicente, lenta e inapta, não vai longe, o seu Líder tem de ser capaz de dar um murro na mesa sempre que necessário!