sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

João Pinheiro não é isento

A equipa não fez um grande jogo, especialmente após ter marcado, mas voltou a ser prejudicada e muito pelo árbitro João Pinheiro, fazendo lembrar um outro jogo bem recente, com três penalidades por assinalar a favor da nossa equipa, aqui e aqui e finalmente aqui. E sim, o FC Porto continuará a sinalizar os erros de arbitragem cometidos contra a nossa equipa, porque são factos reais e interferem grandemente com a verdade das competições. Isso deveria preocupar os responsáveis pela arbitragem, mas a atenção parece estar virada antes para a instauração de uma lei do silêncio que não desmascare que o rei vai nu.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

João Pinheiro anti-portista primário

FC Porto 1 Feirense 1 para a Taça CTT
Relativamente à arbitragem de João Pinheiro, um árbitro que denuncia nitidamente preconceitos contra o FC Porto : o costume...!
Na dúvida favoreceu sempre o adversário.

Mas mais, foi excessivamente rigoroso contra os portistas na marcação de faltas que só ele viu e permissivo favorável aos feirenses.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

SJ tenta branquear a deplorável atitude de dois jornalistas

É miserável e vergonhosa a atitude do Sindicato dos Jornalistas em ter o atrevimento de censurar o FC Porto, o seu Presidente e os seus adeptos, que se sentiram lesados com o detestável, comportamento dos jornalistas abaixo mencionados...!
SJ, é preciso ter resmas de descaramento para vir a terreiro branquear, isentar os dois jornalistas: Nuno Martins da TSF e Soraia Ferreira da Agência Lusa, cujo comportamento na bancada de imprensa do Dragão foi: incorrecto, indigno, despresível...
SJ, há centenas de testemunhas prontas a testemunharem e confirmarem os factos narrados na newsletter do FC Porto...! Portanto vejam lá se têm juizo e comportem-se decentemente...


...Infelizmente, houve mais episódios lamentáveis num jogo que pela proximidade natalícia deveria ter sido mais tranquilo. O jornalista Nuno Martins, da TSF, insultou adeptos do nosso clube gratuitamente e com um vernáculo inapropriado, a jornalista Soraia Ferreira, da Agência Lusa, festejou o golo do Chaves. Os jornalistas têm direito a ter as suas preferências e normalmente os mais perigosos são os que as escondem, mas as bancadas de imprensa dos estádios de futebol não são locais para qualquer género de manifestação. Não o perceber é estar nos antípodas do civismo mais elementar, não ter o comportamento adequado é não ser digno de ostentar o título profissional.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

NES não é treinador para o FC Porto

NES prepara mal a equipa portista...!
Qualquer equipa do meio da tabela classificativa cria muitas dificuldades no Dragão à equipa azul e branca. E o facto é que o FC Porto tem um plantel muito superior em valores técnicos a adversários como por exemplo o Desportivo de Chaves. Com um treinador minimamente competente o FC Porto tem obrigação de golear os contrários...

NES um fala barato?

Ao tomar conhecimento na imprensa desportiva do discurso do NES, faz-me lembrar os antigos propagandistas da “pomada santa de jibóia”…!
Falar em ADN e quejandos ( semelhante, similar, do mesmo jaez) não adianta nada se entretanto não se conquistarem títulos, ou seja, basta de teorias, o que queremos é obras, pois sem as quais nada feito.

“com papas e bolos se enganam os tolos”

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

NES é um “cagão”!

O FC Porto joga contra equipas que se fecham (aglomeram) no seu meio-campo como se estivesse a jogar contra o Benfica ou Sporting! Contra equipas que jogam com um autocarro de dois andares em frente à sua baliza o técnico do FC Porto se fosse audaz, porque são os avançados criativos que fazem a diferença e marcam golos; escalava a linha avançada da equipa com: Brahimi, Diogo Jota, André Silva, Rui Pedro e Jesus Corona. E assim convidava os adversários a arriscarem mais e tentarem jogar ao ataque em vez de só defenderem… Neste sistema os laterais não precisariam de passar do seu meio-campo e os dois médios em conjugação com os dois centrais, preencheriam um quadrado que chegaria de sobra para anular as frágeis tentativas dos contrários…

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Sportinguistas de animos exaltados

Aquando do jogo Sporting 2 FC Porto 1 em Alvalade, em que o Sporting foi nitidamente beneficiado pelo árbitro do jogo, com dois golos ilegais do Sporting; o primeiro golo a nascer precedido dum offside nítido e o segundo a ser obtido depois do Bryan Ruiz ter ajeitado a bola com o braço, não vi os dirigentes leoninos tão enfurecidos e preocupados com a arbitragem...!!!
Calimeros de ânimos exaltados
O dérbi entre Benfica e Sporting ficou ‘manchado’ na ótica dos sportinguistas, por alegados casos de arbitragem.
Segundo os leões ficaram por assinalar duas grandes penalidades, lances que o Sporting defende terem sido de importância capital para o desfecho da partida.
Em declarações à Rádio Renascença, Jaime Marta Soares, presidente da Mesa da Assembleia Geral dos leões, questiona o julgamento do juiz da partida, Jorge Sousa, dizendo mesmo que este devia optar por fazer um estágio nos distritais. (Jorge de Sousa numa espécie de "JARRA")
"Não tenho dúvidas que a equipa de arbitragem foi causadora de um resultado adulterado. Árbitros desta dimensão, que não estão ao nível dum jogo entre Sporting e Benfica, deviam fazer um estágio nos distritais”, começou por referir.
“Os responsáveis pela arbitragem deviam mandá-lo fazer esse estágio. Depois, se tivesse recuperação, ia fazendo os patamares até chegar cá em cima, que eu duvido que pudesse chegar", afirma Jaime Marta Soares, lembrando que, contudo, o objetivo de conquista do campeonato continua vivo.

"Não é esta situação e a forma como perdeu que retira a chama de campeão ao Sporting".

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

FC Porto de ataque contínuo

Quanto ao facto do FC Porto ter de vender jogadores não me preocupa. Temos gente emprestada suficiente para colmatar qualquer eventualidade que seja imperiosa: Marega, SUK, Gonçalo Paciência…etc…etc… Já para não falar em tentar recuperar Aboubakar, quanto a mim, um activo fantástico que o FC Porto perdeu…!
Relativamente à equipa, o NES, pelo que vejo, conseguiu pôr a equipa a jogar bem defensivamente, mas não tem conseguido definir uma estratégia atacante minimamente eficaz.
Torna-se necessário: treinar, instruir, incentivar os médios de modo a ver se alguém se destaca a rematar de meia distância e tentar aproveitar quaisquer rematadores de meia distância que eventualmente existam no plantel. Treinar mais empenhadamente os lances de bola parada de modo a tirar mais rendimento deles… (casos exemplares: Pizzi SLB e Adrien Silva SCP).
É que as equipas adversárias quando defrontam o FC Porto jogam sempre encolhidas no seu meio-campo e jogam em antecipação a fim de interceptarem os passes dos médios para os atacantes azuis e brancos e tentam explorar o contra-ataque para criar instabilidade na equipa portista. Por outro lado os dragões têm muita dificuldade em jogar um futebol apoiado e de ataque contínuo, porque para jogar neste sistema, é preciso um aumento de velocidade nas desmarcações e o que é também muito importante, grande dose de criatividade naqueles elementos que fazem a diferença, ou seja, aqueles que através da sua técnica, virtuosismo e inspiração, conseguem desmontar os super-ferrolhos (autocarros de dois andares)…

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Comentário ao post do blogue Sou portista com muito orgulho

Com esses golos todos que menciona diga-me, porque vamos a 7 pontos do Benfica e a 5 do Sporting?!
Antes de considerar que os outros são estúpidos, que tal meditar,analisar os argumentos dos outros?!
Claro que os jogadores não são máquinas, mas uma verdade insofismável é o facto duns treinadores conseguirem tirar mais rendimento dos jogadores disponíveis do que outros.
Segundo a sua teoria é indiferente ter como treinador o Zé da Esquina ou o Guardiola, Mourinho, Wenger, ou ainda o Jürgen Klopp do Liverpool...? O que eu pretendo dizer é que estou convencido que se, por exemplo, fosse o Marco Silva o treinador do FC Porto a posição da equipa na tabela da classificação geral da liga NOS seria muito diferente!
Mas mais, porque é que por vezes acontecem as chicotadas psicológicas noutros clubes, exemplo o Capucho foi demitido, dispensado? Será por os treinadores estarem a ter sucesso?!
E mais ainda; o que se passa, ou seja, o problema é que o FC Porto está a jogar muito pouco comparado com o Benfica ou o Sporting. E na minha opinião partilhada por muitos outros adeptos portistas a culpa até não é dos jogadores mas do seu líder que não sabe mais. Tome nota, pois eu já tenho alguma experiência destas coisas, o NES veio para o FC Porto para aprender e não para ensinar o que quer que seja, pois pelo que se tem visto o homem tem demonstrado saber muito pouco da poda. Outro exemplo, vi o Belenenses do Quim Machado, jogar à defesa sim, mas quando de posse da bola, o esférico circulava duns para os outros ao primeiro toque, davam a impressão de que jogavam duns para os outros d'olhos fechados. Em contra partida a equipa portista praticava um futebol mastigado e denunciado, o que fez com que os defensores do belenenses lograssem ter êxito, ao jogar em antecipação e interceptar,anular, as investidas, as jogadas de ataque dos azuis e brancos...!
E mais preocupante ainda é o facto de se constar na imprensa desportiva que o NES tem muita dificuldade no relacionamento com os jogadores e que foi por isso que na 2ª época do Valência acabou por ser despedido.

O declínio da AFP nas esferas do poder!

Há uns tempos atrás no Estoril, o presidente da A.F. de Lisboa, Nuno Miguel Novais Grangeon Cárcomo Lobo enfrentou Pinto da Costa dizendo-lhe frontalmente que o FC Porto estava com os dias contados. A AFL ir-se-ia tornar numa força aglutinadora dos clubes do distrito de Lisboa para derrubar a hegemonia da AF Porto. Não é que acabou mesmo por acontecer ?!
E então a Associação de Futebol do Porto liderada pelo Dr. Lourenço Pinto deixou-se ultrapassar pela AFL liderada pelo Nuno Lobo. Ao que parece Lourenço Pinto não quer governar, mas apenas ficar com o cargo! Resultado a AFP perdeu influência nos órgãos de poder da FPF: Conselho de Arbitragem e de Disciplina. Resumindo, perdeu-se nos corredores do poder, e ainda não encontrou forma de dar a volta à situação. Nem encontrará enquanto os decrépitos dirigentes lá permanecerem agarrados ao cargo!
Como o nosso grande timoneiro também ele tramado pelo inexorável avanço da idade que tolda as faculdades e a energia, já não consegue só como o F.C. PORTO lutar contra o centralismo da capital cada vez mais forte e pujante, inverter a situação, mesmo que tenha todos os indefectíveis adeptos do FC Porto a ajudá-lo.
É portanto necessário que a AFP volte a ser poderosa, a maior associação, e que faça jus á sua magnifica história de 104 anos! Cabe aos clubes da Associação de Futebol do Porto trazer sangue novo, com ambição e carácter, para reerguer e colocar a AFP ao lugar que é seu por inteiro mérito.

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Problemas azuis e brancos

Vicissitudes!
A equipa liderada por NES "não joga a ponta dum corno" e a culpa não é dos jogadores
A circulação de bola eficaz é sempre feita entre os defesas e os médios.
Na frente os médios não se entendem com os avançados, ou seja, como o espaço para penetrar é muito menor devido à aglomeração de jogadores (portistas e contrários), seria preciso maior precisão e mais velocidade nos passes, algo que não está a acontecer, resultando na grande maioria dos casos, na intercepção dos passes pelos adversários que tentam e conseguem jogar em antecipação...!
E a culpa é de quem lidera a equipa que não consegue adoptar processos e estratégias eficazes; instruir devidamente os seus pupilos sobre a melhor solução a adoptar, ou a melhor forma de proceder... Ponto final.
Prevejo, mas já de há muito tempo que com NES vai acontecer o descalabro, ou no mínimo, no fim do campeonato, o terceiro lugar da equipa azul e branca na classificação geral da Liga NOS... Claro está, atrás do Benfica e do Sporting...
Oxalá me engane...

Rodolfo junta-se aos críticos à gestão da SAD

Por fim, Rodolfo Reis criticou a gestão desportiva do clube.
Mais um jogo, mais um empate para o FC Porto.
Não está fácil a vida para os dragões e Rodolfo Reis, antigo médio dos azuis e brancos, teceu duras críticas ao actual momento da equipa.
“O FC Porto tinha de entrar no Restelo como fez o Benfica ou o Sporting no Bessa. Por que é que os jogadores do FC Porto não chutam? Os jogadores estão em brasa. O treinador andou sempre a falar em falta de eficácia e isso entra na cabeça dos jogadores. Pode corrigir isso nos treinos mas não pode vir dizer cá para fora: falta classe, falta categoria, falta o Jardel ou o Fernando Gomes”, comentou no programa Play-off, da SIC Notícias.
“Às vezes vou na rua e aparecem adeptos do FC Porto a dizerem-me para defender mais o FC Porto e eu respondo que não posso ser um mentiroso, um aldrabão. Tomara eu dizer bem do FC Porto e do treinador”, acrescentou Rodolfo.
Lapidar:
Aboubakar, avançado cedido ao Besiktas. “Como é possível ir buscar o Depoitre e mandar embora o Aboubakar?”
Rodolfo Reis
Dragaoatento
E eu afirmo: o problema não está só nos futebolistas, está no NES não saber mais e vir com a conversa mole do costume… A conversa do “somos porto” é fixe mas já deu o que tinha a dar, não garante vitórias e só serviu para iludir o “velhote” que está à frente da direcção…
Alem disso, como confirmação de que algo está mal na gestão da FC Porto-Futebol,SAD , são os fiascos das contratações das equipas técnicas (Paulo Fonseca, Lopetegui, Peseiro e agora NES) das últimas três épocas e só Pinto da Costa na sua teimosia de garantir que ele é que sabe, não quer reconhecer…
Contrafeito, visto eu ser fã do Jorge Nuno que ganhou títulos cá dentro e lá fora , sou no entanto obrigado a reconhecer que presentemente o Grande Timoneiro já não consegue ser o que era tempos atrás… enxergar direito…

sábado, 26 de novembro de 2016

Nuno tens de te convencer que és uma nódoa

NES desiste, tu não és a solução, tu és a fonte do problema. Não tens dedo para treinar o FC Porto... É uma empreitada demasiado complicada para ti...
Vieste com a treta do "somos Porto" e deste a volta ao velhote (JNPC), mas na realidade, para já, és uma nódoa como: treinador de campo, como estratega, lês mal o jogo e não sabemos se algum dia virás a ser um técnico competente... Também não é para admirar, que percebe um guarda-redes de: domínio de bola, de técnica individual dos avançados, de matreirice, de jogo subterrâneo, para instruir os seus pupilos e liderar um plantel complexo como o do FC Porto?
Até quando vai continuar o sofrimento dos sócios e adeptos portistas?
O FC Porto é uma equipa desorganizada no ataque, cada um por si em completo prejuízo do colectivo. Falham as assistências por falta de precisão dos passes pelo que são facilmente interceptadas pelos adversários. Os lances de bola parada não são aproveitados porque não são treinados devidamente de modo a serem eficazes. A equipa portista controla, domina no meio campo, mas é um domínio inglório, infrutífero...
PS - Falta-me saber o que fizeste para desmobilizar o Aboubakar e o Brahimi e por outro lado consta-se que patrocinaste a vinda do Depoitre que é um profissional empenhado mas algo tosco...!

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

FPF-Conselho de Disciplina quer impor a lei da rolha à Dragões Diário?!

Dragão atento em itálico:
Voltamos ao tempo do fascismo?!
Será que o Conselho de Disciplina da FPF pretende impor a lei da mordaça à Dragões Diário?!

Os jornais Record e A Bola noticiaram ontem a abertura de um processo disciplinar ao FC Porto por causa das críticas deste Diário à arbitragem. A notícia já de si pareceria estranha, mais própria de outras paragens e de outros tempos, quando se tenta limitar a liberdade de expressão, de opinião, de indignação, mas o pior ainda estava para vir.
O FC Porto não recebeu nenhuma notificação de qualquer processo, nem deste que terá sido instaurado anteontem, nem de um outro alegadamente instaurado a 3 de Novembro. Se não há notificação não há processo, como parece ser elementar, mas a verdade é que há uma possibilidade do arguido não ser notificado, que é não prejudicar a investigação. Mas é aqui que se levantam interrogações. Se o FC Porto não é notificado para salvaguarda da investigação, se não é oficialmente anunciado em lado algum que o FC Porto tem um processo – no site da federação diz apenas que foi “instaurado processo disciplinar a sociedade desportiva por afirmações respeitantes ao exercício da função da arbitragem” – como é que os jornais Record e A Bola sabem que é o FC Porto o arguido em questão? Só o podem saber porque alguém do próprio Conselho de Disciplina ou da Comissão de Instrutores da Liga – os únicos com acesso a essa informação – resolveu revelar aos jornais. Mas então se divulgou aos jornais cai por terra a tese da não notificação do arguido para não prejudicar a investigação. Complicado não é? Não é nada complicado, mas é kafkiano qb. Explicar isto tem de ser o passo seguinte do Conselho de Disciplina e da Comissão de Instrutores, para não ficarmos todos a pensar que vivemos num mundo virado do avesso.
Dando como boa a informação dos jornais Record e A Bola, até porque só pode vir de fonte interna, não deixa de ser preocupante que o Conselho de Disciplina queira condicionar o que se escreve neste diário. Tudo o que aqui se tem dito baseia-se em factos. O sr. João Pinheiro transformou um penálti em amarelo por simulação a Otávio no jogo de Setúbal e o sr. João Capela não assinalou três grandes penalidades a favor do FC Porto em Chaves – e posteriormente mais uma em prejuízo do Chaves, como aqui também se escreveu. Isto são factos e o que as entidades do futebol, sejam elas quais forem, têm de se preocupar é com esta adulteração da verdade desportiva e não com o que este diário escreve. Esta inversão da moral é preocupante e segue aquela ideia totalitária e ditatorial se não se fala não aconteceu. Aconteceu sim, aconteceu demasiadas vezes e continua a acontecer e o Dragões Diário não se vai calar enquanto as 18 equipas da competição não forem tratadas da mesma forma.

domingo, 20 de novembro de 2016

Contra factos não há argumentos

É inevitável voltar à arbitragem de Chaves – se é que aquilo se pode chamar arbitragem. O Dragões Diário recebeu durante o dia de ontem muitas mensagens de adeptos indignados e revoltados com a sucessão de erros grosseiros e inadmissíveis em prejuízo do FC Porto.
E houve mesmo quem lembrasse que o mesmo sr. Capela, incapaz anteontem de ver não um mas três penáltis, teve apito leve numa final da Taça da Liga entre FC Porto e Braga e que terminou com a vitória dos minhotos com um golo de penálti oferecido pelo senhor Capela, a premiar um mergulho de Mossoró.

Esta época já são 12 grandes penalidades não assinaladas a favor do FC Porto. Chegou a hora dos responsáveis pela arbitragem mostrarem do que são capazes. Ou têm mão no "regabofe" em que se tornaram as arbitragens ou mais vale assumir que não têm capacidade. Ainda ontem foi assinalada uma grande penalidade no Benfica-Marítimo, por mão na bola. Ontem na Luz foi penálti, anteontem em Chaves aconteceu duas vezes e nenhuma foi penálti. Os critérios têm de ser iguais, ou então assumam que para o Benfica há umas regras e para o FC Porto outras, porque o que se tem visto não é sério e, por incrível que pareça, ainda é pior do que nas últimas épocas.


sábado, 19 de novembro de 2016

O C A da FPF incapaz de assegurar a verdade desportiva

O actual Conselho de arbitragem da FPF é incapaz de assegurar, tal como os das épocas anteriores, a verdade desportiva, mas mais grave ainda, tem demonstrado descaradamente ser nitidamente anti-FC Porto.
Será interessante conhecer a nota que os responsáveis pela arbitragem irão atribuir a João Capela, pela sua prestação no Chaves x FC Porto para a Taça de Portugal... Saber se são coniventes com actuações que nada prestigiam a arbitragem portuguesa...
Ver o vídeo dos lances que mostram 12 grandes penalidades sonegadas até agora aos Dragões em 2016/17

12 penáltis não assinalados a favor do FCP_Ver aqui

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Capela patrocina fantochada em Chaves

João Capela está muito longe de poder ser considerado um juiz do apito ISENTO.
Disciplinarmente a arbitragem de João Capela  foi uma vergonha. Na dúvida decidiu sempre contra a equipa portista. Fez vista grossa a várias cargas nas proximidades da área flaviense, dos defensores do Chaves sobre os avançados azuis e brancos. Mas fez mais, o que é gravíssimo, pois deixou passar em claro duas flagrantes grandes penalidades que foram sonegadas ao FC Porto.
Já não é a primeira vez que este juiz do apito João Capela prejudica miseravelmente e deliberadamente os azuis e brancos.
Fez uma arbitragem habilidosa ao utilizar um critério largo mas sempre contra os portistas.
Em conclusão, mesmo admitindo os falhanços devido à inépcia/precipitação dos portistas, pode-se dizer em boa verdade, que foi Capela que patrocinou a eliminação do FC Porto e por conseguinte, a continuação do Chaves na Taça de Portugal. E portanto pode-se assegurar sem receio de errar que se o Chaves continua na Taça deve-o a este abominável árbitro de seu nome João Capela...!

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Entrevista de Nuno Espírito Santo ao Porto Canal

Dragaoatento
Muito bem, talvez NES até esteja certo em tudo que diz, mas na minha opinião, é crucial ter um representante do FC Porto no Conselho de Arbitragem da FPF, para zelar pela ética desportiva e garantir que as regras serão iguais para todas as equipas que estão a disputar o campeonato nacional.
Mas mais, também é preciso que o FC Porto tenha um director de comunicação social: competente, assertivo, incisivo e contundente quanto baste; de modo a colocar em sentido toda a Imprensa negativa e destrutiva para com o FC Porto.

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Dragões em fúria e...

Dragões em fúria e com resmas de razão...!
A FC Porto-Futebol,SAD critica a dualidade de critérios das arbitragens nos clássicos
A dualidade de critérios das arbitragens nos clássicos foi gritante, direi mesmo vergonhosa...!

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Artur Soares Dias comete erro grosseiro

As regras do futebol não são iguais para todas as equipas!
A favor dos adversários em caso de dúvida não se marca, contra os portistas marcam-se sempre. Será que o azul e branco das camisolas produz nos juízes do apito qualquer tipo de alergia...?! Parece mentira, mas é infelizmente verdade...!


Arbitragem de Soares Dias
Uma palavra para um lance que ilustra o estado da arbitragem em Portugal.
Aos 25 minutos Felipe beneficiou de uma bola que lhe bateu no braço para assistir André Silva meter a bola na baliza. Artur Soares Dias marcou falta, o que em boa verdade é a decisão comummente aceite no mundo do futebol. Tudo bem, não se fala mais nisso.
Só foi pena na visita do FC Porto a Alvalade o tal critério comummente aceite pelo mundo do futebol ter merecido uma exceção que custou ma derrota à nossa equipa. De uma vez por todas, os critérios têm de ser iguais para todos.
Uma bola no braço de Felipe é mais falta do que uma bola no braço de Bryan Ruiz, ou será que é tudo uma questão da cor das camisolas? BRUXO...!
Depois, há pelo menos um lance na área para os especialistas se pronunciarem.

Artur Soares Dias comete erro e prejudica o FC Porto
Tribunal unânime
Lance de golo mal anulado ao FC Porto por alegada mão na bola de Felipe aos 25 minutos




quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Ou há moralidade ou comem todos

Exigências mais que justas
"Queremos que haja cuidado com as nomeações. Há muitos jovens árbitros, alguns com valor, mas, como se costuma dizer, quando vamos para uma operação, queremos ser operados por alguém com provas dadas. A maior parte dos árbitros são inexperientes. Eles têm de perceber que marcar penáltis a favor do F. C. Porto não os diminui. Não têm de ter medo de os assinalar. Se são penáltis e são claros, têm de os marcar. Ou só têm dúvidas quando apitam o F. C. Porto? Essa é a minha dúvida, que espero ver esclarecida sem demorar muito tempo", referiu, mostrando-se incapaz de explicar a razão desse eventual medo.

Artur Soares Dias é o árbitro do clássico
O Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol anunciou esta terça-feira a nomeação de Artur Soares Dias para o jogo entre o FC Porto e o Benfica, no Estádio do Dragão, relativo à décima jornada da Liga NOS (domingo, 18h00). O juiz da Associação de Futebol do Porto terá como assistentes Rui Licínio e Paulo Soares e o quarto árbitro será Rui Costa.
Árbitro da primeira categoria desde 2004, internacional desde 2010, Soares Dias dirigirá o primeiro jogo do FC Porto em 2016/17. Esta temporada, em Portugal, o árbitro já apitou quatro encontros da Liga NOS e três da Ledman LigaPro, tendo exibido um total de 39 cartões (38 amarelos e um vermelho), o que perfaz uma média de aproximadamente seis cartões por jogo.

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Moussa Marega o goleador

Marega não teve êxito no Dragão porque o colocaram a jogar pelas faixas laterais. Marega para atingir o máximo rendimento tem de jogar pelo meio do ataque e de preferência em contra ataque...! 
Marega - 
Desde Óscar Cardozo que a I Liga não via nada igual.
O avançado paraguaio levava 11 golos à nona jornada de 2009/10, mais um do que o avançado do Vitória de Guimarães leva actualmente.
Após meia época pouco conseguida no FC Porto, onde somou apenas um golo em 13 jogos, Moussa Marega foi cedido ao Vitória de Guimarães, com vontade de mostrar que a passada temporada não foi mais do que um contratempo.
Agora no Castelo, o internacional maliano puxou dos galões e é já o melhor marcador da I Liga, com dez golos, mais três do que André Silva (FC Porto) e mais cinco do que Pedro Santos (Sporting de Braga).
Este início de época verdadeiramente demolidor tem surpreendido tudo e todos, de tal maneira que, segundo as contas do jornal A Bola, já desde 2009/10 que ninguém levava tantos golos à nona jornada.
Na altura, Óscar Cardozo somava, em igual período de tempo, 11 tentos, tendo acabado a temporada com 26. Marega leva, por exemplo, tantos golos quantos os do portista Pena, na temporada 2000/01.
Em toda a Europa, só Anthony Modeste, do Colónia, supera o avançado do Vitória de Guimarães, com 11 tentos.

"É hora de dizer chega! São penáltis a mais"

Luís Gonçalves assume a revolta com as arbitragens. Grande penalidade por assinalar em Setúbal tirou a paciência aos dragões

Dois meses depois de ter assumido o cargo de diretor geral do futebol portista, Luís Gonçalves quebrou ontem o silêncio.

Em declarações exclusivas ao JN, assumiu enorme desagrado com o prejuízo que os dragões têm tido com as arbitragens, levado ao extremo no jogo de sábado no Bonfim, quando o árbitro João Pinheiro não assinalou um penálti sobre Otávio, a cinco minutos do fim, transformando-o num amarelo ao brasileiro, por simulação.

Leia mais: F.C. Porto: "É hora de dizer chega! São penáltis a mais"
http://www.jn.pt/desporto/interior/e-hora-de-dizer-chega-sao-penaltis-a-maisexpulsao-acho-estranho-e-fico-por-aqui-5473842.html#ixzz4Oku4ZYA2

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Haja memória

Haja memória do blogue do Miguel
Manobras benfiquistas
Os dirigentes benfiquistas sempre escolheram os árbitros convenientes para apitar os seus jogos...


quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Nápoles derrota Benfica

Nápoles 4 Benfica 2
O Benfica até é uma boa equipa só que em Itália não teve a habitual ajuda dos juízes do apito portugueses...! 

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Pedro Henriques o vendido

Pedro Henriques um vendido ao "tacho" na televisão
Mais cego é o que não quer ver

O ex-árbitro agora transformado em analista de arbitragem Pedro Henriques deve estar muito perto de entrar no livro de recordes por maior número de jogos sem ver um erro de arbitragem em prejuízo do FC Porto. Henriques é assim, fica cego, certamente por não querer ver, quando se trata de analisar os lances do nosso clube, em especial quando os adversários utilizam jogo violento. Foi assim no jogo de anteontem, em Tondela, em que não vislumbrou uma só entrada das muitas que o jogo teve, tinha sido assim em Alvalade, imune às cotoveladas dos jogadores do Sporting. Mas bem vistas as coisas também não é de estranhar, em 2009/10, ainda de apito na boca, o sr. Henriques não viu uma cotovelada num jogo em Olhão que levou Tomás Costa à sala de operações, com os ossos do nariz fracturados, sem que sequer tivesse assinalado falta. Com toda a certeza o analista Pedro Henriques isentaria o árbitro Pedro Henriques porque nenhum deles gosta do azul e branco. Sobre isso não há problema nenhum, cada um sabe de si, mas não fica bem apresentar-se como independente quando não o é.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Critérios disciplinares dos juízes do apito

E faltou também, como infelizmente se está a tornar demasiado habitual, mais acerto da equipa de arbitragem, que tranformou numa falta a meio-campo um lance aos 73 minutos que o assistente considerou fora de jogo quando Adrian López ficou isolado com um companheiro, ambos só com o guarda-redes pela frente.
A verdade é que o Conselho de Arbitragem está a ser coerente nas nomeações e para os jogos fora do FC Porto designa árbitros de Lisboa com um critério que se define simplesmente como canela até ao pescoço - impressionante a dureza sucessiva não sancionada pelo árbitro, o que pode confirmar aqui. De uma vez por todas, os critérios têm de ser iguais para toda a gente e não estão a ser. E as regras são para cumprir, as técnicas e as disciplinares. Que não volte a acontecer a equipa alguma tantos lances sem sanção disciplinar, porque adultera a verdade do jogo, com interferência no resultado, como é óbvio. 
Os jogadores e as tendências dos juízes do apito
Os jogadores durante o jogo também se apercebem das tendências, como se percebe nesta frase do jovem médio (Rúben Neves): "O árbitro só começou a admoestar a equipa contrária a partir dos 80 minutos e permitiu que eles continuassem a fazer esse tipo de jogo".

Dureza excessiva não sancionada pelo Hugo Miguel de Lisboa   
               


sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Futebol-Campeonato inquinado

A roubalheira na arbitragem do futebol tem um nome: José Fontelas Gomes
Nas últimas três épocas 
(passadas) imperou o "NOMEAÇÕES" afecto ao Benfica.
Depois de na época passada ter incendiado o ambiente, os dirigentes do Sporting lá conseguiram, esta época, colocar na presidência do Conselho de Arbitragem da FPF um dos seus 
(fanáticos) homens a controlar a arbitragem...!
Excerto da crónica de Pedro Marques Lopes 

…Mas, claro, não terá sido por erros de arbitragem que o FC Porto estará atrás na classificação. Será não por não conseguirmos jogar contra catorze, mas por não marcarmos cinco golos por jogo. Basta que continuemos a assistir como se nada fosse ao que se vai passando e vai ser este o filme.
Mas o até quando que mais me preocupa é o nosso. Até quando vamos ficar impávidos e serenos a assistir a tudo isto? Até quando os nossos dirigentes vão fingir que nada se passa?
É preciso reagir. Se não invertemos o estado de coisas, se não conseguirmos fazer com que os erros contra nós tenham o mesmo significado dos cometidos contra os nossos rivais, se deixamos que seja normal sermos prejudicados e os outros beneficiados, podemos nos sentar e chamar o título Gogot.
A queda da máscara
NÃO é que me espantem as risadinhas mal disfarçadas de quem rasgava as vestes de cada vez que não eram marcados cinco penalties a favor do seu clube e que agora se diverte muito a ver as roubalheiras descaradas contra o FC Porto. Também não me surpreende constatar que os lutos por um futebol limpo e transparente não passavam de tácticas para que o clube de que se é adepto fosse beneficiado, mesmo que escandalosamente.
É um triste espectáculo ver a queda da máscara, mas agora fica à vista de todos o rosto da hipocrisia. in A Bola

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Futebol- É urgente filtrar quem tem qualidade na arbitragem

Dragões Diário
O presidente da APAF veio a público defender a arbitragem de Tiago Martins no Sporting-FC Porto. Para lá da posição corporativista, incompreensível e inaceitável que alguém com um mínimo de responsabilidade no futebol português defenda o jogo violento que todos vimos em Alvalade e uma sucessão de erros tão grande como a de domingo. Para o presidente da APAF a entrada a pés junto de Bruno César sobre Otávio, as cotoveladas de Coates, Slimani e William Carvalho não existiram, e bem expulsos foram o Alex Teles em Vila do Conde e o Chidozie em Freamunde (FC Porto B). Se queremos uma arbitragem melhor, reduzindo à mínima expressão os erros de avaliação, mas assumindo e castigando os erros grosseiros, como os de Alvalade, não é com este género de dirigentes. É urgente filtrar quem tem qualidade e quem não tem, porque o campeonato nacional merece ser arbitrado pelos melhores e os melhores não erram sucessivamente contra uma das equipas em jogo. Para que serve um dirigente da arbitragem assim? Com este presidente da APAF a arbitragem e o futebol saem a perder.

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Tácticas sujas de Jorge Jesus

Na minha opinião, Jorge Jesus matou o jogo ao mandar deslocar o Bruno César para o meio campo e incentivou os sportinguistas a dar cacete se fosse preciso.
Sempre fez isso nos Corruptos de Carnide (SLB) quando, neste caso o Porto, o olhava nos olhos. Jorge Jesus é um mestre no jogo sujo, subterrâneo e rasteiro.

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Árbitro de Lisboa beneficia Sporting

Infelizmente, a nossa equipa não teve sorte com as decisões do árbitro. A verdade é que os dois golos do Sporting nascem de faltas não assinaladas por Tiago Martins, que pode ver aqui e aqui, só para falar nas mais relevantes e com influência muito directa no resultado. Impressionante a quantidade de vezes que os jogadores do Sporting usaram os cotovelos, sem serem devida e severamente punidos pela equipa de arbitragem, como aqui Slimani, reincidente neste tipo de comportamento em jogos com o FC Porto. Na terça-feira, em Roma, o árbitro puniu o jogo violento sem olhar a nomes, mas infelizmente em Portugal continua a haver uma inaceitável complacência com o jogo subterrâneo. É só comparar.
Depois, há coisas que parecem só ser possíveis no futebol português. Jorge Jesus recebeu ordem de expulsão, mas até cumprir a determinação do árbitro passaram uns intermináveis três minutos, com o treinador do Sporting a ser filmado pela televisão a dar instruções ao seu adjunto no banco dos suplentes, que devia ter abandonado imediatamente após a expulsão.


Coates sarrafeiro-mor e reincidente habitual




quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Os bitaites do Rui imbecil

Escreve o Rui imbecil em A Bola
“É verdade que falhei uma previsão tão normal de acontecer quanto as casas de apostas a achavam muito mais possível que a oposta. É verdade que vencer contra 9 foi tão fácil como era ganhar contra 11 nos tempos do Apito Dourado”.

 Vencer contra 9?
Oh Rui, tu que és tão esperto esqueces-te que o futebol tem regras que é preciso respeitar? E que as faltas violentas são passíveis de ser sancionadas com a expulsão de quem as comete? Pois, eu sei, que para ti, só são faltas passíveis de expulsão aquelas que são cometidas contra os futebolistas do Benfica…!!!

 Apito Dourado?
Oh Rui, outra vez, o disco arranhado do Apito Dourado? Se calhar estás-te a referir ao Kit Eusébio com os (vouchers) convites para 4 jantares que o Benfica oferece aos árbitros, assistentes e observadores.
Por falar em Apito Dourado, já te perguntaste porque é a investigação do Apito Dourado não passou de Leiria para baixo? É que se tivesse passado, ter-se-ia tornado público que o Luís Filipe Vieira escolhia os árbitros convenientes para apitar o Benfica: o João? Pode ser o João…etc…etc…!

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

O anti-jogo do central sportinguista Sebastián Coates

Os juízes do apito portugueses têm de estar mais atentos ao anti-jogo  do central sportinguista. É um futebolista que abusa do físico e faz muitas faltas...
Um exemplo: 
No passado jogo com o Paços Ferreira, Coates para cortar a bola levantou o pé até à altura da cabeça do avançado do Paços Ferreira atingindo o jogador do Paços na cabeça sem que o árbitro do jogo sancionasse a falta!!! 
Porque é que o juiz do apito não actuou em conformidade...?!
Disparidade de critérios
No jogo de preparação p.p. para o Euro, entre a selecção nacional e a selecção inglesa, o árbitro italiano do jogo mostrou o cartão vermelho directo ao Bruno Alves por uma entrada exatamente igual (atingir com o pé o adversário na cabeça).
Daqui se pode depreender que se os juízes do apito portugueses não actuam , é porque estão condicionados pelo palavreado incendiário de Bruno Carvalho e Jorge Jesus.

Resposta do FC Porto à altura

O FC Porto não só não perdeu por muitos, como era desejo dos Rui Gomes da Silva deste mundo, como mostrou muito dos ingredientes que fazem as grandes equipas, como solidariedade, espírito coletivo e ambição. O que custa a essa gentinha é que a Liga dos Campeões vai para a 25.ª edição e o FC Porto vai participar pela 21.ª vez, com o pormaior de pertencer à restrita elite dos clubes que já a ganharam. De resto, FC Porto, Barcelona e Real Madrid são as três equipas com mais participações. Não é para todos. E das quatro edições que falhámos, em duas ganhámos a Taça UEFA/Liga Europa. O ex-ministro do PSD fala muito, acerta pouco e quando se trata de futebol se lhe tiram o colinho não é ninguém. Claro que há quem faça a vontade ao menino Silva, afinal a CMTV geneticamente é idêntica, como pode comprovar aqui.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

O anti-jogo da equipa romana

Se o Árbitro que apitar em Roma (2º jogo do play-off) for tão permissivo como o holandês que apitou no Dragão, imagens como esta vão continuar em Roma, com os defesas da Roma a placarem os avançados portistas...!
Os futebolistas da equipa romana não olham a meios para atingirem os seus fins e são capazes de tudo...!

Conforme a imagem ilustra

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Rui Gomes da Silva um sem vergonha

Rui Gomes da Silva um sem vergonha, instrumentalizador e escamoteador compulsivo...!
Oh Rui porque não mencionas as falcatruas em que o teu clube, o da águia, participa, ou seja, está envolvido?!!!
Como por exemplo o célebre caso dos "vouchers" oferta aos árbitros de futebol do (pack premium) uma camisola do Eusébio e convites para o Museu Cosme Damião com quatro jantares incluídos.
Mas mais! E as manobras dos actuais dirigentes benfiquistas para colocar os seus homens de mão no poder dos: FPF, Conselho de Disciplina e Presidente do Conselho de Arbitragem, vulgo o Nomeações...!


Rui Gomes da Silva recorreu à crónica que assina no jornal A Bola para reagir à polémica entre o FC Porto e o Turismo de Portugal, no seguimento do convite a Mathis, o pequeno adepto português que consolou um adepto francês após a final do Campeonato Europeu.

terça-feira, 19 de julho de 2016

André Gomes

O craque que os responsáveis do FC Porto deixaram fugir para o rival

Segundo os espanhóis, o Valência fixou o preço do jogador ex-Benfica em 65 milhões de euros, valor ao qual o Real Madrid não está disposto a corresponder. No máximo, Florentino Pérez, presidente do Real Madrid, poderá acrescentar 10 milhões de euros por objetivos aos 50 iniciais.
André Gomes, recorde-se, mudou-se para Valência em 2014, depois do passe ter sido vendido pelo Benfica a um fundo de investimento por 15 milhões de euros.

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Em 1940 já exista protecção aos clubes de Lisboa

Fama e proveito já vêm de longe
Dragões Diário - Aconteceu
A 15 de Julho de 1940 os sócios do FC Porto elegem Augusto Pires de Lima para a presidência do FC Porto.
A tomada de posse seria uma semana depois, resolvendo dessa forma a irradiação do presidente Ângelo César Machado, devido à contestação à protecção aos clubes de Lisboa. Num ato simbólico, os associados elegem César Machado para a presidência da Assembleia Geral.

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Seleccionador polaco pressiona árbitro em busca de privilégios

Seleccionador polaco pressiona árbitro em busca de privilégios
Adam Nawalka, seleccionador polaco, aproveita elogios a Robert Lewandowski, que considera "o melhor 9 do mundo" para exercer pressão sobre o árbitro alemão Felix Brych, que apitará o jogo com Portugal desta quinta-feira.
"É o melhor número 9 do mundo, tem umas marcações muito intensas, os adversários tentam marcá-lo nos limites, os árbitros têm de estar atentos a faltas mais brutais, em que o adversário está literalmente a tentar eliminar um jogador concreto. Árbitros têm de estar muito atentos, para que essas faltas sejam assinaladas de imediato", comentou.

terça-feira, 28 de junho de 2016

Fanatismo polaco a tentar influênciar

É caso para perguntar, oh Marian Ostafinski:

Será que na próxima quinta-feira, os futebolistas polacos vão começar por dar o exemplo e jogar macio contra os avançados portugueses…?!

Vergonhosa tentativa de influenciar a opinião pública
Marian Ostafinski, antigo campeão olímpico pela Polónia em 1972
“Os portugueses são artistas, mas por vezes também são palhaços. Certamente vão-nos provocar e, à mínima falta, mesmo que a brilhantina do cabelo não caia, vão fingir”, afirmou, em conversa com o Sport, passando depois à análise individual do compatriota Lewandowski.
“Provavelmente, o Lewandowski deve ter mais algumas lesões na cabeça, dadas as constantes cotoveladas que sofre em cada jogo. E quando isso não acontece, é travado com golpes nos tornozelos. Às vezes, mais parece que há uma caça ao homem”.

domingo, 19 de junho de 2016

Desmascarar um trafulha

O Ferreira Nunes das vigarices...
Estes benfiquistas, autênticos trapaceiros, estão constantemente a dar provas de: falta de isenção, de serem trapaceiros, de corrupção, mas têm o descaramento de apontar o dedo aos outros como se eles próprios fossem: um modelo exemplar a seguir. Pode...?!
Quem não os conhecer que os compre...
Dragões Diário - Primeira fila
Ferreira Nunes foi nos últimos anos o todo-poderoso responsável pela classificação dos árbitros.
Para uns, entre os quais nos incluímos, fez um mandato deplorável, mas para outros foi de uma eficácia inquestionável. Entre outras façanhas, foi ele que conseguiu despromover um dos melhores árbitros do país, manter no primeiro escalão, apesar de ter ficado em lugar de descida, outro. Agora, menos de um mês depois da comissão de serviço eis que surge na primeira fila no camarote presidencial do Pavilhão da Luz, no jogo de futsal entre o Benfica e o Sporting. Os amigos são para as ocasiões e nunca trates mal quem te trata tão bem.
E esta hein...!

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Jagunços benfiquistas da arbitragem

Os jagunços benfiquistas da arbitragem portuguesa

O TOP FIVE da arbitragem portuguesa segundo Vítor Baptista o Nomeações:(!!!)

1º Artur Soares Dias, 2º João Capela, 3º Nuno Almeida, 4º Tiago Martins, 5º Jorge Ferreira

Escolhidos a dedo por Vítor Pereira com a especial missão de prejudicarem o FC Porto e “levarem ao colo” (beneficiarem) o clube da águia do L.F. Vieira…

Vítor Pereira finalmente fora da arbitragem
Com a substituição do jagunço-mor da arbitragem portuguesa, a saber, Vítor Pereira, há quem alimente a esperança (portistas da blogosfera) de que as coisas mudem, que acabe o "colinho" ao clube dos encarnados. Esperanças vãs, pois tal como as coisas estão, com o SLB bem representado na Federação (FPFP), Conselho de arbitragem, Liga de Clubes Profissionais e ainda com a maioria de jornalistas alfacinhas encarnados que se movimentam de bandeira na mão e cachecol ao pescoço, a escamotear e instrumentalizar a opinião pública, não é de esperar, senão, a continuação dos campos inclinados a favor dos benfiquistas…

terça-feira, 14 de junho de 2016

Os equívocos de Fernando Santos

Até para um leigo, seria mais que evidente, que contra a selecção da Islândia, seria necessário jogarem os defesas portugueses mais altos e possantes:
1 - Contra a equipa da Islândia que pratica um futebol directo e aéreo porque dispõe de atletas altos, possantes e com grande capacidade de choque; tanto no ataque como na defesa; impunha-se a utilização dos defesas portugueses mais altos e possantes.
O central José Fontes é mais possante, tem mais capacidade de choque e poder de elevação do que Ricardo de Carvalho.
2 - Para o jogo com a Islândia Vieirinha nã era o defesa direito mais indicado...

sábado, 4 de junho de 2016

Um cretino: Miguel Cadete

Dor de corno
O mundo está cheio de gente intolerante, cheia de preconceitos, profundamente discriminatória. Os mais perigosos são os que o fazem veladamente, sob uma capa bem-falante. Neste capítulo insere-se Miguel Cadete, diretor-adjunto do Expresso e epidermicamente anti-Porto, daqueles que são incapazes de reconhecer mérito nas nossas vitórias e inventam cenários mirabolantes para as tentarem diminuir. Ontem assinou um texto deplorável, com insinuações que desqualificam o próprio jornal. Aguardamos que o Expresso esclareça se subscreve as palermices do seu diretor-adjunto e se acha que os insultos de Miguel Cadete se inserem no simples exercício do direito à opinião. Como disse sabiamente Manuel Machado, "um vintém é um vintém e um cretino é um cretino".

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Técnico com personalidade precisa-se

Treinador com personalidade precisa-se...
Nuno Espírito Santo? Estou farto de treinadores bons rapazes que são uns autênticos (flops) fracassos. Se Pinto da Costa optar pelo Nuno, será mais uma época sem títulos.
Pinto da Costa tem de se convencer, duma vez por todas, que se quiser ganhar, tem de contratar um treinador: competente sim, mas acima de tudo, um técnico com personalidade forte, discurso incisivo, convincente, que atrofie a imprensa alfacinha anti-FC Porto; e, galvanizador, mobilizador, para os sócios e adeptos dos dragões.
Actualmente, com as características certas, só vejo Marco Silva, um técnico de personalidade forte que teve escroto d'aço para enfrentar o fanfarrão barato do Bruno de Carvalho.

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Aconteceu (Calabote)

Há 60 anos o FC Porto conquistava a primeira “dobradinha” da história.
Foi a 27 de maio de 1956, ironicamente frente ao Torreense.
Ironicamente porque foi frente ao Torreense, em Torres Vedras, que nesse mesmo ano, jogadores, técnicos, dirigentes e adeptos tiveram de esperar pelo final do interminável Benfica-CUF, que Inocêncio Calabote prolongou para lá do razoável.
Hernâni foi o herói da final, autor dos dois golos com que o FC Porto venceu.
O onze escalado por Yustrich foi: Pinho; Virgílio e Oswaldo; Pedroto, Miguel Arcanjo e Monteiro da Costa; Hernâni, Gastão, Jaburu, Teixeira e Perdigão.

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Nova trapalhada do Nomeações

Vítor Pereira a despedir-se em grande da arbitragem
Nomeações ajuda Benfica B
Extracto da crónica de Miguel Sousa Tavares in abola
5 – O Benfica B passou a época inteira a ser sovado por todo e qualquer um emblema da 2ª Liga, ao ponto de a sua descida de divisão parecer um facto inevitável (facto esse que, segundo um seu dirigente, seria “uma tragédia”). Mas subitamente, mesmo no final da recta final, o Benfica B desatou a ganhar jogos a equipas com que antes perdera sem remissão. No meio, teve uma vitória na secretaria contra o Farense, quando estranhamente os algarvios, contrariando os regulamentos, alinharam com um jogador emprestado… pelo Benfica: isso custou ao Farense uma derrota por 0-3, mais dois pontos extra de penalização – exactamente o suficiente para, pela diferença de um ponto, descerem eles e não… o Benfica. E assim chegaram os encarnados à última jornada com necessidade absoluta de vencerem em casa o Freamunde (que ainda alimentava esperanças de subida à 1ª Liga) e esperar que o Mafra não vencesse o seu jogo. O Mafra empatou e o Benfica venceu o Freamunde por 5-0, uma goleada aberta com dois golos de penalty e a expulsão de um adversário. Não vi o jogo, não sei se foram ou não penalties bem assinalados e expulsão bem ordenada.
Mas o que é extraordinário é o nome do árbitro que Vítor Pereira escolheu para a jornada decisiva: Bruno Paixão, nem mais! É preciso ter lata! Eu não acredito em milagres, mas que os há, há. Perguntem ao Benfica.

domingo, 15 de maio de 2016

Tri-campeonato da fraude

Filipe Silva: "A I Liga está minada por falta de transparência e ética"
O Presidente do União, Filipe Silva, diz-se disponível para fazer denúncias ao Ministério Público
Norton de Matos, técnico do União da Madeira considera "ingrata" a descida dos insulares à II Liga, mas na hora do adeus aponta o dedo a erros de arbitragem.


Mas mais, vejam-se as declarações dos dirigentes do Sporting.

Octávio Machado recorda erros grosseiros de arbitragem que favoreceram os benfiquistas. Grandes penalidades que ficaram por marcar contra o Benfica.


E muito importante também realçar que o FC Porto por erros grosseiros de arbitragem foi lesado em pelo menos 12 pontos, que lhe foram subtraídos da classificação geral, arredado portanto do título... A não ser assim, com arbitragens isentas, os Dragões teriam discutido, taco a taco, o 1º lugar com benfiquistas e sportinguistas...


O bi-campeonato ganho pelo Benfica ficou conhecido como o campeonato do #colinho, tantas foram as decisões das equipas de arbitragem que favoreceram os benfiquistas...

Este tri-campeonato fica manchado por várias decisões erradas dos juízes do apito sempre a favor dos encarnados. E várias grandes penalidades contra o Benfica que ficaram por marcar...

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Futebol - Parabéns equipa "B"

O trajeto brilhante do FC Porto B nesta época culminou com a mais do que merecida conquista da Ledman LigaPro. A festa começou no sofá, à hora de almoço, foi interrompida à tarde por mais uma bela exibição e uma não menos saborosa vitória sobre o Benfica B por 3-1, e foi retomada no fim do jogo com a entrega da taça ao capitão Francisco Ramos. Mais do que inédito no futebol português, é um feito notável alcançado num campeonato tão longo quanto equilibrado, por um plantel com uma média de idades a rondar os 20 anos, integrado por 18 jogadores que passaram pela nossa formação. Os 33 campeões merecem de todos nós um enorme aplauso, porque melhor era mesmo impossível.

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Extracto da crónica de Pedro Marques Lopes

…A terceira impotência é a que diz respeito ao autêntico bullying * que a arbitragem tem feito ao FC Porto.
Mas ninguém pode esquecer (escamotear reforço eu) que tendo sido marcado aquele escandaloso, aquele evidente, aquele monstruoso penalty a favor do FC Porto, com a subsequente expulsão do Coates, o jogo teria sido outro.
Digamos que, apesar da nossa fraca qualidade de jogo, empatar o jogo e jogar com mais um jogador o tempo que faltava, faria toda a diferença. E já dou de barato a dualidade do critério disciplinar, as faltas cirúrgicas e todo o reportório arbitral que quem vê futebol há muitos anos percebe imediatamente quando há vontade de inclinar o campo. E o que mais incomoda é saber que Soares Dias é um bom árbitro.

(Pedro! Soares Dias é indiscutivelmente um bom árbitro, mas preocupado com a sua carreira de juiz do apito e condicionado, que foi, antes do jogo, pelo comentário: “o jogo vai decidir-se fora das quatro linhas” da autoria de Bruno de Carvalho, foi pusilânime, deixou-se amedrontar e não teve força de carácter, personalidade, para realizar uma arbitragem dentro das regras do futebol) .

E algum ficou surpreendido com a exibição de Soares Dias? Claro que não. A pouca vergonha do ano passado continuou neste. Claro que o penalty e a expulsão fariam diferença, como os erros dos árbitros nos jogos contra o Arouca, contra o Braga e em muitos outros que prejudicaram gravemente o FC Porto. Mas essa dualidade de critérios é conhecida pelos adeptos do FC Porto e tem sido constante ao longo dos anos. O que não estamos habituados é à inexistência de reacção a estes insultos. O que não pode acontecer é engolirmos estes desaforos como se fossem apenas erros naturais. Convenhamos, são demasiados e com consequências devastadoras. E o facto é que temos sido impotentes para parar o presente estado de coisas.

…Finalmente, a moral e os bons costumes chegaram ao futebol português
MUITO edificante o ambiente do futebol português. Malas de dinheiro, acusações para ali, insultos para aqui. Sim senhor, edificante a valer. Agora sim, está estabelecida a moral no nosso futebol. Agora sim, respira-se um ar novo e puro. Agora sim, a regeneração por que tantos ansiavam está à vista de todos.

- Bullying é a prática de actos violentos, intencionais e repetidos, contra uma pessoa indefesa, que podem causar danos físicos e psicológicos às vítimas. O termo surgiu a partir do inglês bully, palavra que significa tirano, brigão ou valentão, na tradução para o português.

terça-feira, 3 de maio de 2016

Gomes da Silva quer amordaçar adversários

Rui Gomes da Silva, vice-presidente do Benfica, defende a utilização da "mordaça" para calar as reivindicações dos adversários...!!!
Vice-presidente do Benfica diz que a tolerância em relação às acusações dos rivais tem de acabar.
Pelos vistos habituados que estão a ser beneficiados pelos juízes do apito, consideram este um direito conquistado, que deve ser consolidado... Pode?!
Eis uma atitude digna dum Hitlerzinho de algibeira...!

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Critérios de arbitragem encarnados

Taça da Liga (ctt). Benfica elimina Braga beneficiando dos critérios disciplinares favoráveis do árbitro e seus assistentes. Com a actual dualidade de critérios disciplinares favoráveis aos encarnados, que é utilizada pelos árbitros, é muito mais fácil vencerem-se os jogos...
Por aquilo que pude presenciar, as regras não são iguais para todas as equipas. Existe de facto dualidade de critérios disciplinares nos jogos do Benfica, com os juízes do apito a protegerem descaradamente os benfiquistas e a desprezarem nitidamente os adversários destes.
Enquanto que uma simples carga de ombro, se um dos intervenientes for benfiquista que se atire para a piscina é considerada e assinalada falta, com a agravante de grande parte das vezes o adversário ser intimidado com o cartão amarelo, já o contrário, se for um adversário dos benfiquistas a cair, a falta é muitas vezes ignorada.
O mesmo se passa com os cartões amarelos ou vermelhos. Os árbitros não permitem certas cargas dos adversários aos jogadores benfiquistas, mas fecham muitas vezes os olhos quando são os adversários dos encarnados que são lesados...!!!

Um exemplo/confirmação do texto acima - Treinador do Braga

Críticas a Tiago Martins (Benfica x Braga - Taça CTT): "Não gostei da arbitragem. Fiquei com dúvidas na legalidade do segundo golo. Ao longo do ano não falámos de arbitragens, mas nestes jogos as coisas pendem sempre para o mesmo lado. Em caso de dúvidas, não existem dúvidas. As minhas críticas vão para os ataques nossos que foram anulados por foras de jogo. E deixaram passar o lance do segundo golo. Só peço critérios iguais para as equipas grandes e para as outras".
Paulo Fonseca... critérios iguais para as equipas grandes?
Se o que realmente queres, é beneficiar dos mesmos critérios aplicados pelos juízes do apito ao FC Porto, então estás tramado...
Recordo-te o lance do
Coates (SCP) a empurrar o Aboubakar que ficou impune...!

sexta-feira, 29 de abril de 2016

O Sistema com o Nomeações

Digno de realce, importante por decisivo nas contas do título
Sem fugir às responsabilidades da própria equipa, que podia ter feito “melhores exibições” e “marcar mais golos”, José Peseiro relembrou a influência decisiva da arbitragem em quatro jogos, que retiraram o FC Porto da discussão na recta final do campeonato. Com o Arouca tivemos o golo anulado, frente ao Braga dois penáltis (não assinalados a favor do FCP), com o Tondela um penálti, em Paços de Ferreira outro penálti. Seriam 12 pontos a mais e teríamos os mesmos do Benfica. Isto para não serem só os outros a queixar-se, também nos podemos queixar, apesar de estarmos longe na classificação”.


PS - Manuel José ex-treinador e agora comentador de futebol

"Para deitar bolas fora é contigo"
"Quando falas fazes boa figura, mas calado fazias um figurão"

quinta-feira, 21 de abril de 2016

A nova corrupção do Benfica

A ligação umbilical entre árbitros e o Benfica
A questão dos vouchers trouxe à baila a promiscuidade que existe entre o os árbitros e o Benfica.
O proteccionismo que se viu e a maneira como tudo foi silenciado mostrou bem a podridão. Mas, tal como qualquer “sistema”, isto tudo não é uma árvore que apareceu este ano do nada. Isto é um processo que tem vindo a ser semeado e do qual o Benfica começa agora a colher os seus frutos.
Há quase 5 anos o Benfica, através da sua fundação, associou-se ao Inatel e ao ACIDI num projecto chamado “Tu Decides Bem” onde participa directamente na formação de árbitros de futebol.
A actividade vem descrita no seu Relatório e Contas de 2011 que pode ser consultado aqui. O essencial está na seguinte imagem (não assimilada):
Ou seja, o Benfica (através da sua fundação) tem decisão directa sobre candidatos a árbitros de futebol e participa na sua formação! Influenciando, desde o inicio, a sua tomada de decisão e alavanca o seu capital de simpatia em futuras tomadas de decisão.
A técnica é semelhante às utilizadas pelos ditadores na subida ao poder. Pegam num conjunto de pessoas em situação de risco e dão-lhes um poder relativo que suporta o poder totalitário do ditador.Em 2013 o protocolo foi estendido e vai-se mantendo em vigor de forma a continuar a formar árbitros que mantenham o tal manto protector que permite ao Benfica passear nas competições nacionais.Esta é a nova corrupção! A manipulação da verdade desportiva que começa numa “inception” (beginning, princípio) e que toma conta do futebol.

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Enredos entre benfiquistas e sportinguistas

Vitória de Setúbal hipoteca futuro em benefício do Benfica!
"O que leva uma equipa, que luta pela não despromoção, aceitar fazer um jogo importante, cujo adversário antes teve um jogo difícil e muito desgastante, dando-lhe, em vez das 72 horas regulamentares, umas extraordinárias 120 horas de descanso?"
O Benfica jogou com o Bayern de Munique para a Liga dos Campeões na passada quarta-feira. "Poder marcar um jogo legalmente no sábado seguinte, intervalo de 72 horas, com uma equipa vinda de um jogo intenso da Liga dos Campeões  e aceitar esperar por segunda-feira (120 horas), merece reflexão, mas deve haver de certeza uma explicação. O Setúbal está perto da zona da despromoção e todos os pontos são necessários como de pão para a boca. Acreditamos que os sadinos queiram pontuar".
Mas, deste modo, a facilitar a vida ao adversário... Realmente dá que pensar…!


José Manuel Antunes, antigo dirigente do Benfica, deixa duras críticas ao clube leonino.
A vitória do Sporting em Moreira de Cónegos continua a dar que falar. O lance do golo apontado por Slimani está no centro da polémica. "Dizer que o lance de Slimani é duvidoso... são ridículos. A pressão do Sporting tem valido a pena", declarou José Manuel Antunes, à Rádio Renascença.
"Não foi uma vitória convincente, mas sim com Paixão", atirou, continuando com duras críticas ao clube de Alvalade. ""Tudo é possível vindo desta Direcção de Bruno de Carvalho. Vivem no mundo da ficção, num mundo imaginário e que nada tem a ver com a realidade.

Os apitos, dourado e encarnado

Acho piada à desfaçatez de alguns lampeões anónimos que de vez em quando aparecem por aqui a tentarem justificar a "roubalheira" a favor do Benfica com o "apito dourado"...! Esquecendo-se deliberadamente, que Luís Filipe Vieira foi apanhado ao telefone a escolher árbitros "joão pode ser o joão" precisamente na época do apito dourado. E exactamente por isso é que o ministério público, na altura presidido por M. J. Morgado mulher dum conhecido benfiquista, fez abortar o apito dourado, o qual não passou de Leiria para baixo, para não se descobrir os podres do apito encarnado.
Relativamente à fruta oferecida a alguns árbitros, refiro o seguinte:
Não obstante serem analisados vários jogos do FC Porto por peritos de arbitragem, não foram encontrados quaisquer benefícios dos árbitros à equipa do FC Porto nesses jogos em causa ligados ao apito dourado...
Pelo contrário, o Benfica, principalmente, depois que se apoderou dos órgãos de poder da FPF relativos à arbitragem (Nomeações) é constantemente, escandalosamente, beneficiado impunemente... Mas mais, é o caso dos Vouchers, jantares que os benfiquistas oferecem aos árbitros... etc... recentemente denunciados pelo presidente sportinguista Bruno Carvalho, que outra coisa não quer senão beneficiar dos mesmos privilégios, entenda-se, ter para o Sporting o mesmo tratamento, igual ao que é prestado aos benfiquistas pelos juízes do apito.
Bruno Carvalho ao provocar todo o ruído inconcebível sobre a arbitragem, não visa a isenção dos árbitros para os jogos do Sporting, o que ele quer é beneficiar das mesmas regalias/vantagens do Benfica, porque é indubitável que adulterando as regras do futebol em benefício duns contra outros, será sempre mais fácil ganharem-se os campeonatos.

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Coerência de Vieira ou falta dela

Mudam-se os tempos mudam-se as vontades (Conveniências de L.F.Vieira)
Memórias por Jorge Maia
A preocupação de Luís Filipe Vieira com a credibilidade das competições é um fenómeno recente
Alguém disse uma vez que o segredo para uma consciência tranquila é uma má memória. Tome-se como exemplo as declarações de Luís Filipe Vieira, ontem, em Ansião. O presidente do Benfica mostrou-se preocupado com o clima de suspeição que se vive no futebol português, questionando até que ponto "os principais parceiros, que são a MEO e a NOS, vão continuar a estar disponíveis para investir, quando todos os dias algumas pessoas tentam desacreditar esta indústria e quem está à frente das respectivas instituições". Palavras inquestionavelmente sensatas.
Claro que há cerca de três meses era Luís Filipe Vieira quem dizia que gostava de ver "nas manchetes dos jornais desportivos o título "roubo" em letras bem grandes". Roubo, nada menos. Aconteceu na sequência do jogo com o Rio Ave, da 14.ª jornada, apitado por Manuel Oliveira, que, por sinal, os encarnados venceram por 3-1, tendo o presidente do Benfica dado a entender que ficaram por marcar três grandes penalidades a favor do Benfica. "O mais estranho", acrescentou na altura, "é que o líder dos árbitros é o mesmo da última época." Portanto, suspeitas de roubos e críticas ao líder da arbitragem: assim de repente, parece ser a própria matéria de que é feita a desacreditação da indústria e de quem está à frente das respectivas instituições, não?
Curiosamente, essas declarações do presidente do Benfica foram produzidas cerca de uma semana depois de anunciado o acordo milionário do clube com a NOS, um dos tais parceiros do futebol português que agora preocupam o presidente encarnado, mas que na altura não o impediram de disparar contra a arbitragem. Claro que Luís Filipe Vieira não é um caso isolado a este nível. Numa altura ou noutra, já todos os dirigentes de todos os clubes se queixaram da arbitragem, lançando suspeições sobre a indústria e sobre quem dirige as instituições. Se ao fim de tantos anos o continuam a fazer, é por sentirem que a coisa resulta. Como? Quando Luís Filipe Vieira pediu aos jornalistas para fazerem manchetes com o título "roubo" em letras bem grandes, o Benfica estava no terceiro lugar a cinco pontos do líder. Agora que está preocupado com a credibilidade da indústria, o Benfica é líder com dois pontos de vantagem sobre o segundo. Não é assim tão surpreendente que outros tentem a sua sorte.
(Com sublinhados meus a grosso)

segunda-feira, 11 de abril de 2016

João Gabriel admite manipular árbitros

Dragões Diário uma voz que denuncia as arbitrariedades dos juízes do apito fraudulentos que procuram acima de tudo agradar ao Big Boss do Conselho de Arbitragem a fim de progredirem na carreira de árbitro.
Quando uma equipa vive uma crise de resultados costuma-se dizer que não vale a pena falar das arbitragens, mas o que dizer desta série de lances, todos decididos contra o nosso clube. O agarrão a Suk no minuto 74 é tão evidente que é difícil entender a interpretação do árbitro Fábio Veríssimo, que passou o jogo a apitar por tudo e por nada.
PS - Prova e confirmação de manipulação/condicionamento dos árbitros
...acompanhada duma foto duma entrevista que João Gabriel deu ao jornal "A Bola", em que o título principal é uma citação do director de comunicação das águias: "Não temos de mudar de treinador, temos é de mudar de árbitros".
"
A hipocrisia de João Gabriel Mr. Burns não tem limites!

Escreveu ele: "podem começar já a coagir o próximo árbitro", mas "esqueceu-se" das resmas de vezes que têm dito mal dos árbitros e na realidade tentado condicioná-los!

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Aos benfiquistas

SLB 5 SC Braga 1
O Benfica goleia com os adversários a serem condicionados disciplinarmente pelos juízes do apito, no caso: o algarvio Nuno Almeida
E ao SC Braga para fazer melhor, faltou-lhe a colaboração do Carlos Xistra do Braga – FC Porto…
Análise de Paulo Fonseca treinador do Braga – O momento do jogo
“Até acontecer o golo do Benfica, tivemos duas oportunidades claras para marcar. O primeiro golo do Benfica resulta numa perda de bola nossa e o penálti trouxe estabilidade ao Benfica e complicou a nossa tarefa”.
E pronto está tudo dito e realçado no sublinhado. Para bom entendedor meia palavra basta…!
Deste modo, vencer campeonatos de futebol é muito, mas muito, mais fácil…!

segunda-feira, 14 de março de 2016

Clubes que facilitam a vida ao Benfica

O campeonato da mentira.
Está tudo montado, já vem desde o ano passado, mas esta época tem ainda mais aficionados/colaboradores...!
Belenenses, Paços de Ferreira, Boavista, Marítimo, União da Madeira, Guimaraes, etc... tudo clubes comprometidos duma ou doutra forma, que chegam aos jogos com o SLB e facilitam de forma evidente/gritante.

quarta-feira, 9 de março de 2016

António Salvador faccioso fanático

O senhor Xistra deve ter terminado o jogo com a noção da missão cumprida, para agrado de António Salvador, o presidente do Braga que falou para elogiar o trabalho do árbitro. Claro, o árbitro foi cúmplice da excessiva agressividade dos jogadores do Braga e ainda lhes perdoou duas grandes penalidades claras. Se era para nos meter medo para a final da Taça, desenganem-se.

Sabem qual é a única equipa, das 18 que compõem o campeonato, que ainda não viu um jogador adversário ser expulso, seja por cartão vermelho, seja por acumulação de amarelos? Sim, é mesmo a equipa do FC Porto. Em 25 jogos do campeonato o FC Porto é a única equipa que ainda não dispôs de um minutinho que fossse de vantagem numérica. E será que é por os adversários do FC Porto terem ataques súbitos de fairplay e boa conduta? Claro que não, como ainda se viu este domingo em Braga, quando aos dez segundos e aos oito minutos houve duas entradas duríssimas, que nem amarelo justificaram no critério especial do senhor Carlos Xistra.

terça-feira, 8 de março de 2016

Porque será?!

João Capela apoia presidente da APAF para o Conselho de Arbitragem
O árbitro afirma que José Fontelas Gomes seria uma "opção consensual". Será…?!
A pouco menos de três meses das eleições para a Federação Portuguesa de Futebol, vão-se fazendo as contas a quem será o sucessor de Vítor Pereira na presidência do Conselho de Arbitragem.
Depois de Duarte Gomes se ter afastado da ‘corrida’, o nome de José Fontelas Gomes, presidente da APAF, tem sido um dos mais badalados, e recebe agora o apoio do árbitro João Capela.
“Ainda nada está confirmado quanto ao nome de José Gomes ou de qualquer outro. Tenho trabalhado de muito perto com ele, na sua função de presidente e da APAF, e é um facto que muito tem feito pela arbitragem. Se estiver disponível para avançar, penso que será um nome consensual e poderá ser uma opção válida”, afirmou, em declarações ao jornal Record.
Recorde-se que o Desporto ao Minuto havia já adiantado que o dirigente tem disso ‘pressionado’ por vários elementos do mundo da arbitragem para avançar com uma candidatura ao órgão, mas ainda não tomou qualquer decisão.

Para não cair no esquecimento

Ainda do jogo de Braga, que não pode cair no esquecimento, porque foi demasiado grave ver um árbitro todo o jogo a prejudicar uma equipa, este apanhado de lances torna tudo muito claro. Só mesmo quem não quiser ver. São 20 fotos, que ilustram a anormal quantidade de erros no jogo, sempre em prejuízo da mesma equipa.

segunda-feira, 7 de março de 2016

Paulo Fonseca só vê dum olho

Dragões Diário – De casa
Não foi preciso esperar mais do que dez segundos para ver ao que ia Carlos Xistra, ontem em Braga, quando Danilo sofreu uma falta duríssima e o árbitro não agiu disciplinarmente. Mais uns minutos (oito) e nova falta duríssima, sobre Layún, e mais uma vez o senhor Xistra esqueceu-se (fechou deliberadamente os olhos digo eu) da ação disciplinar. Aos 15 minutos Suk é claramente derrubado na área, mas o apito de Xistra estava entupido. Segundos mais tarde, na primeira falta um bocadinho mais dura, amarelo para André André.
Foi assim que o senhor Carlos Xistra adulterou completamente o jogo em Braga, que terminou com a derrota por 1-3 do FC Porto, num jogo extraordinariamente mal arbitrado, com os erros relevantes sempre em desfavor do FC Porto – com o resultado em branco voltaria a não assinalar uma grande penalidade, novamente sobre Suk.
Os lances na área do Braga não são sequer daqueles difíceis de ver, bastava ter atenção à bola, que em qualquer das jogadas nunca foi tocada pelo defesa do Braga, e aos jogadores, para poder ver os dois claros derrubes. Pelo meio, expulsou ainda na primeira parte José Peseiro, que sim senhor, saiu da área técnica, o que outros treinadores fazem todos os jogos e às vezes até entram dentro do campo.

Assim se adultera a verdade duma competição. O senhor Xistra já tinha tido uma nefasta interferência nos pontos das equipas quando não assinalou pelo menos duas grandes penalidades
(contra os encarnados) no jogo Guimarães-Benfica.
O senhor Carlos Xistra está ao nível dos senhores
(famigerados digo eu) Rui Costa e Jorge Ferreira, numa perspectiva benevolente são muito maus árbitros e têm a infelicidade – ou, se calhar, a felicidade – do denominador comum do lucro dos erros ser sempre o mesmo.
Lutar contra a qualidade do adversário – e o Braga tem-na – e ainda contra as sucessivas más decisões do árbitro não é fácil e a verdade é que a equipa acabou se intranquilizar na segunda parte e acabou por ceder e cometer erros. Só que isso não pode apagar quem antes tanto prejudicou o trabalho da equipa e esse tem um nome, Carlos Xistra.
José Peseiro, que foi expulso por estar a dar indicações aos jogadores, apontou naturalmente o dedo à arbitragem e lamentou a “falta de maturidade” da equipa nos últimos minutos, que permitiram ao Braga dois golos “muito penalizantes”. O treinador reconheceu que as contas do título se complicaram:“É uma evidência que a nossa situação está muito mais difícil, mas vamos procurar vencer os nossos jogos”.

domingo, 6 de março de 2016

Vergonhosa arbitragem de Carlos Xistra

Carlos Xistra nomeado propositadamente para arredar o FC Porto da discussão do título de campeão nacional...!!!
Se dúvidas houvesse elas seriam dissipadas depois de ver a vergonhosa arbitragem anti-portista de Carlos Xistra em Braga.
Foras-de-jogo mal tirados e dualidade gritante na marcação das faltas e na atribuição dos cartões amarelos...!!!

quinta-feira, 3 de março de 2016

Podres benfiquistas (processo inquinado)

Podres benfiquistas (processo inquinado) por Jorge Coroado
Recordemos a história que Jorge Coroado considera que "era hoje susceptível de acontecer"
"Foi um jogo exigente e intenso, com comportamentos menos próprios por parte dos jogadores das duas equipas", lembra. A certa altura do desafio, Claudio Caniggia, a irreverente estrela argentina que representou o Benfica em 1994/95, reagiu a um comportamento de Peixe, então médio do Sporting, de forma injuriosa.
"Eu estava a mostrar-lhe o cartão amarelo quando ele me chama filho da p... e manda-me para a p... que o pariu. Na altura, entendi que os insultos eram para mim e não nunca permiti que pusessem em causa o meu bom nome ou insultassem a memória da minha mãe", conta Jorge Coroado.
Portanto, o árbitro, em cima do amarelo, mostra o cartão vermelho a Caniggia e o argentino é expulso, sob os protestos encarnados. "O Benfica alegava que atendendo ao número de amarelos, o seu jogador não devia ter sido expulso. Mas eu mostrei-lhe o vermelho directo", explica.
O que aconteceu foi que o Benfica conseguiu junto da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) que o jogo fosse anulado e repetido ao fim de cerca de um mês no Restelo. "Eu devia ter uma placa no Estádio da Luz a dizer que contribui para os 23 mil contos que o Benfica anunciou como receita desse jogo", ironiza.Os encarnados venceram por 2-0, com dois golos de Edilson, mas Jorge Coroado apresentou o caso à FIFA, que viria a anular esta última partida e a validar o triunfo do Sporting por 2-1. Jorge Coroado foi, ao mesmo tempo, ilibado.
"Eu (Jorge Coroado) percebi logo que o processo estava inquinado. O relator do processo, um senhor chamado Sampaio Nora, que mais tarde concorreu às eleições do Benfica, propôs inclusive a minha erradicação da arbitragem, quando essa figura jurídica já nem existia nos regulamentos".

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Rescaldo do jogo no Restelo

A primeira parte do jogo foi aceitável… O problema foi a desorientação da equipa portista na etapa complementar, devido creio eu, à falta de pernas para aguentar os 90 minutos do jogo.
Está visto que a equipa não aguenta dois jogos por semana e portanto a responsabilidade tem de ser do preparador físico. O plantel para um clube com a exigência do FC Porto, deve ser constituído com 2 jogadores de nível semelhante para cada posição, ou seja, duas equipas equivalentes. E esses 22 ou 24 profissionais (c/ os guarda-redes) têm de estar 100% aptos/preparados para renderem o seu máximo sempre que sejam chamados para dar o seu contributo à equipa. Ou então, outra estratégia possível, criar uma equipa por exemplo A para jogar nas provas internacionais e outra B para consumo interno Liga e Taça.
Logicamente os 11 titulares porque jogam sempre, têm ritmo de jogo e estão entrosados, mas mesmo os que não são habituais titulares, se forem bons profissionais e “treinarem bem”, estarão a 100% do seu rendimento sempre que sejam chamados para jogar na equipa…
Os 22 ou 24 jogadores do plantel não trabalham juntos ao longo da época…?! Porquê o problema da falta de entendimento/entrosamento dos que entram para substituir os titulares…?!
PS – Quer-me parecer que o que acontece é que os que não são habitualmente titulares,como não têm a responsabilidade de jogar, se calhar facilitam e desmazelam-se…!
Outra coisa: como é que um atleta tão promissor como o Sérgio Oliveira não consegue impor-se no futebol dos dragões…!

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Rui Gomes da Silva o mistificador

Rui Gomes da Silva um poltrão mistificador
“O Porto e o Sporting não convivem bem com a estrutura existente escolhida por Fernando Gomes. Desde sempre, ambos os clubes, dão-se mal com a verdade, com a isenção e com a competência...!
Pois, ó "Rui bombástico", isentos e competentes só são todos aqueles que levam o teu Benfica ao colo, não é...?! Quem não te conhecer que te compre...!