sexta-feira, 6 de maio de 2016

Extracto da crónica de Pedro Marques Lopes

…A terceira impotência é a que diz respeito ao autêntico bullying * que a arbitragem tem feito ao FC Porto.
Mas ninguém pode esquecer (escamotear reforço eu) que tendo sido marcado aquele escandaloso, aquele evidente, aquele monstruoso penalty a favor do FC Porto, com a subsequente expulsão do Coates, o jogo teria sido outro.
Digamos que, apesar da nossa fraca qualidade de jogo, empatar o jogo e jogar com mais um jogador o tempo que faltava, faria toda a diferença. E já dou de barato a dualidade do critério disciplinar, as faltas cirúrgicas e todo o reportório arbitral que quem vê futebol há muitos anos percebe imediatamente quando há vontade de inclinar o campo. E o que mais incomoda é saber que Soares Dias é um bom árbitro.

(Pedro! Soares Dias é indiscutivelmente um bom árbitro, mas preocupado com a sua carreira de juiz do apito e condicionado, que foi, antes do jogo, pelo comentário: “o jogo vai decidir-se fora das quatro linhas” da autoria de Bruno de Carvalho, foi pusilânime, deixou-se amedrontar e não teve força de carácter, personalidade, para realizar uma arbitragem dentro das regras do futebol) .

E algum ficou surpreendido com a exibição de Soares Dias? Claro que não. A pouca vergonha do ano passado continuou neste. Claro que o penalty e a expulsão fariam diferença, como os erros dos árbitros nos jogos contra o Arouca, contra o Braga e em muitos outros que prejudicaram gravemente o FC Porto. Mas essa dualidade de critérios é conhecida pelos adeptos do FC Porto e tem sido constante ao longo dos anos. O que não estamos habituados é à inexistência de reacção a estes insultos. O que não pode acontecer é engolirmos estes desaforos como se fossem apenas erros naturais. Convenhamos, são demasiados e com consequências devastadoras. E o facto é que temos sido impotentes para parar o presente estado de coisas.

…Finalmente, a moral e os bons costumes chegaram ao futebol português
MUITO edificante o ambiente do futebol português. Malas de dinheiro, acusações para ali, insultos para aqui. Sim senhor, edificante a valer. Agora sim, está estabelecida a moral no nosso futebol. Agora sim, respira-se um ar novo e puro. Agora sim, a regeneração por que tantos ansiavam está à vista de todos.

- Bullying é a prática de actos violentos, intencionais e repetidos, contra uma pessoa indefesa, que podem causar danos físicos e psicológicos às vítimas. O termo surgiu a partir do inglês bully, palavra que significa tirano, brigão ou valentão, na tradução para o português.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.