segunda-feira, 2 de maio de 2016

Critérios de arbitragem encarnados

Taça da Liga (ctt). Benfica elimina Braga beneficiando dos critérios disciplinares favoráveis do árbitro e seus assistentes. Com a actual dualidade de critérios disciplinares favoráveis aos encarnados, que é utilizada pelos árbitros, é muito mais fácil vencerem-se os jogos...
Por aquilo que pude presenciar, as regras não são iguais para todas as equipas. Existe de facto dualidade de critérios disciplinares nos jogos do Benfica, com os juízes do apito a protegerem descaradamente os benfiquistas e a desprezarem nitidamente os adversários destes.
Enquanto que uma simples carga de ombro, se um dos intervenientes for benfiquista que se atire para a piscina é considerada e assinalada falta, com a agravante de grande parte das vezes o adversário ser intimidado com o cartão amarelo, já o contrário, se for um adversário dos benfiquistas a cair, a falta é muitas vezes ignorada.
O mesmo se passa com os cartões amarelos ou vermelhos. Os árbitros não permitem certas cargas dos adversários aos jogadores benfiquistas, mas fecham muitas vezes os olhos quando são os adversários dos encarnados que são lesados...!!!

Um exemplo/confirmação do texto acima - Treinador do Braga

Críticas a Tiago Martins (Benfica x Braga - Taça CTT): "Não gostei da arbitragem. Fiquei com dúvidas na legalidade do segundo golo. Ao longo do ano não falámos de arbitragens, mas nestes jogos as coisas pendem sempre para o mesmo lado. Em caso de dúvidas, não existem dúvidas. As minhas críticas vão para os ataques nossos que foram anulados por foras de jogo. E deixaram passar o lance do segundo golo. Só peço critérios iguais para as equipas grandes e para as outras".
Paulo Fonseca... critérios iguais para as equipas grandes?
Se o que realmente queres, é beneficiar dos mesmos critérios aplicados pelos juízes do apito ao FC Porto, então estás tramado...
Recordo-te o lance do
Coates (SCP) a empurrar o Aboubakar que ficou impune...!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.