domingo, 30 de setembro de 2012

Liga portuguesa de futebol- Rio Ave 2 FC Porto2

Após uma primeira parte relativamente bem jogada pelos Dragões, estes deixaram-se adormecer na segunda parte e o resultado foi o empate, por pouco os Dragões não saíram derrotados de Vila do Conde, e por conseguinte a perda de 2 pontos!
Na minha perspectiva Nuno Espírito Santo conhecedor da mentalidade dos jogadores portistas e pressentindo que dado que a equipa azul e branca tinha de jogar a meio da próxima semana, iria por esse motivo tirar o pé do acelerador, incentivou os seus pupilos a esforçarem-se um pouco mais e a arriscarem também mais no ataque.
Os futebolistas do FC Porto foram portanto de certo modo apanhados desprevenidos e não tiveram recursos para reagir a tempo e, forçar a vitória, o que no fim de contas seria até a sua (deles) obrigação, atendendo à diferença de estatuto e de proveitos que auferem.
Arbitragem: a mim pareceu-me que houve uma grande penalidade na segunda parte a favor dos Dragões que ficou por marcar . Esperemos a repetição do lance na TV a fim de confirmar ou não a minha opinião.

29 de Setembro de 2012 - FICHA DE JOGO: Liga, quinta jornada
Estádio do Rio Ave FC, em Vila do Conde
Árbitro: Bruno Esteves (Setúbal)
Assistentes: Venâncio Tomé e Mário Dionísio
Quarto árbitro: Nuno Roque
RIO AVE: Oblak; Lionn, Marcelo, Nivaldo e Edimar; Tarantini, Wires e Filipe Augusto; Braga, João Tomás e Esmael.
Substituições: Wires por Ukra (68m), Filipe Augusto por André Vilas Boas (86m) e Esmael por Vítor Gomes (90m)
Não utilizados: Ederson, Jeferson, Diego e Del Valle
Treinador: Nuno Espírito Santo
FC PORTO: Helton (cap.); Miguel Lopes, Maicon, Otamendi e Alex Sandro; Defour, João Moutinho e Lucho; James, Jackson Martínez e Atsu
Substituições: Lucho por Fernando (64m), Atsu por Varela (64m) e Defour por Kleber (83m)
Não utilizados: Fabiano, Danilo, Castro e Mangala
Treinador: Vítor Pereira
Ao intervalo: 0-1
Marcadores: Miguel Lopes (33m), Tarantini (78m e 85m) e Jackson Martínez (89m)
Cartão amarelo: Wires (11m), Braga (66m), Varela (69m), Tarantini (90+1m)

3 comentários:

  1. Rui Valente!

    Gostei do seu post porque:
    a) Estou de acordo com as suas teorias

    b) Porque além disso está muito bem escrito, elevado nível (bom português, pontuação..etc...)

    Agora se me permite gostaria de submeter à sua consideração o seguinte:

    Talvez algo precipitado, fui o ano passado um dos críticos do Vítor Pereira. Actualmente já não penso assim. Na minha perspectiva os culpados foram os jogadores e não o treinador. Talvez o facto do próximo jogo de quarta-feira ser contra o Paris Saint Germain tenha feito com que os jogadores resolvessem tirar o pé do acelerador.
    Até porque o Nuno Espírito Santo sabendo que o FC Porto vai ter na próxima quarta-feira um jogo importante e muito difícil, deve ter aconselhado os jogadores do Rio Ave a aumentarem a agressividade na segunda parte de modo a ver se intimidavam os jogadores azuis e brancos. E nós sabemos que nas vésperas de jogos da Champions ninguém se quer lesionar, daí talvez o receio de meter o pé e a falta de agressividade da equipa portista na segunda parte. Como é evidente isto são só conjecturas que faço, pois não estou na posse de toda a verdade. Relativamente ao treinador também só tenho uma dúvida: se ele com o seu discurso será capaz de mobilizar, convencer os futebolistas que com ele trabalham a dar sempre o litro.
    Deixo portanto esta ideia à sua consideração para ver se concorda com ela.

    Cumprimentos

    Armando Monteiro

    PS - Ver o meu comentário no www.dragaoatento.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Caro Monteiro,

    Não percebo a sua reverência em relação ao vila pouca. Já foi tratado abaixo de cão no blogue dele. Já teve que gramar expressões do tipo "Desampara-me a loja!" e continua muito humildemente a visitar o blogue do fulano, mendigando um pouco de atenção.

    Seja digno. Tenha personalidade própria. Levante a cabeça.

    Você não precisa dele para nada.

    ResponderEliminar
  3. Caro Anónimo,

    Até posso concordar em parte consigo, porem o facto de se permitir aconselhar-me refugiando-se no anonimato, nem uma simples sigla! Não me permite ajuizar da clarividência e da correcção do seu comentário.

    A Monteiro

    ResponderEliminar

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.