quarta-feira, 9 de abril de 2008

Jesualdo Ferreira e Carlos Azenha dupla de sucesso

É com grande apreensão que vejo a possibilidade desta notável dupla se desfazer ...!
Carlos Azenha, adjunto de Jesualdo Ferreira na conquista dos dois últimos títulos, não deverá continuar no FC Porto. Ao que se consta, ainda há uma reunião agendada, provavelmente para depois da meia-final da Taça de Portugal, mas o cenário mais provável é mesmo a saída. Depois de dois títulos conquistados, o treinador equaciona a hipótese de abraçar um projecto a solo, socorrendo-se da experiência acumulada nos últimos 18 anos, com maior visibilidade desde que se transferiu para o Dragão. A renovação recente de Jesualdo, que se pressupunha extensível aos adjuntos, poderá, deste modo, implicar mexidas na estrutura técnica. João Pinto, Rui Barros, Wil Coort e Rui Silva são os restantes elementos que trabalham de perto com o treinador portista.
É vulgar , durante o treino, ouvir-se o Carlos Azenha gritar um "capriche no passe", expressão repetida vezes sem conta. Carlos Azenha é quem costuma assumir o protagonismo nos minutos de trabalho a que os jornalistas têm acesso, orientando a preparação física e parte das directivas específicas do trabalho com bola. Em recente entrevista a um jornal desportivo, Pepe elogiou os métodos do ainda adjunto e apontou-o mesmo como treinador de futuro, antecipando passos que deverão ser dados depois de encerrar o ciclo no FC Porto.
Curiosamente, Carlos Azenha cruzara-se com o FC Porto de Co Adriaanse no primeiro estágio efectuado em Doorwerth. Na altura, Azenha estava em estágio com Louis van Gaal, no AZ Alkmaar.
Na minha opinião nenhum dos outros adjuntos que compõem a equipa técnica está ao nível do Carlos Azenha, pelo que prevejo grandes dificuldades para o futebol do FC Porto, se não conseguir encontrar um substituto à altura do actual conceituado adjunto.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.