sábado, 2 de dezembro de 2017

Crítica honesta e construtiva


Estádio do Dragão foi ontem palco de uma das maiores farsas de que há memória no futebol português: 48.809 espectadores pagaram bilhete para assistir a uma mentira. O zero zero final do clássico entre FC Porto e Benfica é o resultado de três erros de arbitragem tão graves quanto difíceis de compreender e de aceitar: aos 19 minutos, Jardel pisou Marega na área, mas não foi assinalado penálti; aos 45, Luisão jogou a bola com a mão na mesma área, mas também nem foi assinalado penálti nem lhe foi mostrado o segundo amarelo; aos 57, foi mal invalidado um golo a Herrera, por suposto fora de jogo – na realidade, tanto o mexicano como Aboubakar, outro interveniente na jogada, estavam vários metros em jogo.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.