domingo, 8 de março de 2009

07/03/2009 - Futebol-Liga Sagres - Leixões 1 FC Porto 4








Esta foi sem sombra de dúvida, uma das melhores exibições que vi a equipa de futebol do FC Porto realizar esta época!

Já a semana passada em Madrid a equipa tinha realizado uma exibição bastante consistente e convincente.

Não sei se o que me agradou mais foram as prestações individuais de cada um dos jogadores, ou se a exibição da equipa no seu conjunto (em bloco), a grande entre-ajuda que existiu entre todos os elementos da equipa azul e branca! Parabens portanto aos protagonistas que foram sem dúvida os jogadores.

Destaques: Helton: incompreensível o largar a bola que deu o golo do Leixões.

Defesa: Tomás Costa: não sendo um lateral de raíz, cumpriu perfeitamente a missão de que fora incumbido. Muito bem portanto.

Rolando e Bruno Alves: as duas autênticas muralhas do costume. Fantástica exibição!

Cissokho: é um jogador em evolução. Melhora de jogo para jogo. Tem ainda larga margem de progressão. Não comprometeu.

Meio-campo: Fernando! O Fernando está cada vez mais a transformar-se no esteio defensivo da equipa. Consegue desarmes fantásticos. A defender os Dragões não têm melhor!

Raúl Meireles e Lucho: pendulares como sempre. Bem a atacar e a defender. Aliás, eles não sabem jogar mal! Desde que em boa condição física são dois esteios da equipa na construção das jogadas ofensivas.

Ataque: de salientar a habitual velocidade, técnica e pujança do Hulk. 

O Mariano apesar de ter tido altos e baixos, creio que no computo geral também cumpriu. Nem sempre as jogadas lhe saíram bem, porem é de louvar o grande esforço que demonstrou a jogar para a equipa. 

Uma palavra final para Farias! Um jogador nitidamente de área. Estou convencido que ainda não vimos jogar o verdadeiro Farias, mais confiante e com um pouco mais de ritmo poderá vir a ser o goleador que a equipa precisa.

Jesualdo Ferreira: «Foi acima de tudo um jogo que considerámos de alto risco, no qual era preciso uma atitude extremamente positiva e agressiva. O F.C. Porto fez um bom jogo e teve momentos brilhantes do ponto de vista colectivo. Também fomos felizes na concretização, fizemos quatro golos e podíamos ter feito mais alguns. Defendemos bem e fizemos boa exibição generalizada. Foi um atestado de competência. Agora sim vamos pensar no jogo de quarta-feira. A partir de amanhã vamos entrar nesse jogo. O mais importante era manter a liderança e a distância sobre os perseguidores. Conseguimos mais uma vitória para a série fora de casa… e agora pensar em vencer a Naval, para dar mais passo no campeonato, que é a prioridade. 

Abraço aos adeptos que aqui estiveram»

Hulk: «Estou feliz por ter ajudado a equipa. Todos demos o máximo e conseguimos três pontos, que eram o nosso objectivo. Este jogo não era fácil e conseguimos resultado positivo. Agora sim vamos pensar no Atlético de Madrid. Espero dar muitas alegrias aos adeptos do F.C. Porto»

Filme do Jogo:

Desfecho expressivo, condizente em absoluto com as acções desenvolvidas dentro do terreno de jogo, o sétimo triunfo consecutivo do Dragão fora de portas para a Liga Sagres teve bases consolidadas ao longo da primeira parte, e confirmação na segunda. Indiscutivelmente categórico, consistente e convincente a equipa azul e branca hoje, foi muito superior ao Leixões. Duelo intenso entre as duas equipas, logo a partir dos instantes iniciais, pareceu exibir um equilíbrio durante os primeiros quinze minutos de jogo, que acabou por se desfazer em virtude da demonstração de classe que os Dragões deram. Lucho como habitualmente comandou as operações azuis e brancas e foi o primeiro a marcar, a castigar uma mão dum defensor do Leixões na grande área deste, logo seguido por Hulk, que, aos 17 minutos, ultrapassou dois adversários, numa arrancada à sua imagem, travada in extremis pela primeira das várias defesas decisivas, com os pés, do Beto. O golo foi o trampolim para a equipa do FC Porto assumir definitivamente a superioridade que a actual classificação do campeonato evidencia. Não foi portanto surpresa, as oportunidades criadas, primeiro por Farias, e Hulk depois, as quais embora não concretizadas, criaram no entanto bastante perigo. No reatamento da segunda parte a equipa azul e branca surgiu com o mesmo ritmo da primeira, e decidida a resolver em definitivo o jogo a seu favor. Um minuto bastou para que Hulk, Mariano e Lucho, numa demonstração de grande entendimento, construissem três oportunidades de golo uma das quais o remate espontâneo do Lucho falhou por um trizHulk, logo a seguir, aproveitando a oferta do Laranjeiro isolou-se, e, na cara de Beto, não perdoou, rematando sem possibilidade de defesa, marcou assim o que seria o segundo golo dos Dragões. O golo de Raul Meireles, aos 65 minutos, após entendimento com Farias e Mariano, foi apenas a confirmação do que já era evidente, e, que sairia reforçado onze minutos depois, quando Farias cabeceou para golo o canto cobrado por Mariano. O golo caseiro, acabou por  acontecer devido a uma falha incompreensível do Helton que deixou escapar das mãos uma bola que parecia fácil, aproveitando o Diogo Valente para chutar para a balisa deserta, ao minuto 90. Tarik, ainda antes do apito final, com um pouco mais de arte e calma poderia ter ampliado o score, marcado mais um golo, mas o remate do marroquino saíu à figura de Beto.

FICHA DE JOGO

Liga Portuguesa 2008/09 – 21ª jornada
Estádio do Mar, em Matosinhos

Árbitro: Rui Costa (AF Porto)
Árbitros Assistentes: Serafim Nogueira e Fernando Pereira
4º Árbitro: Augusto Costa

LEIXÕES: Beto; Laranjeiro, Elvis, Nuno Silva e Angulo; Roberto Sousa, Bruno China «cap.», Hugo Morais e Ruben; Diogo Valente e Rodrigo Silva 
Substituições: Ruben por Chumbinho (37 min), Elvis por Joel (46 min) e Hugo Morais por Zé Manuel (58 min)
Não utilizados: Berger, Braga, Castanheira e Jean Sony
Treinador: José Mota

F.C. PORTO: Helton; Tomás Costa, Rolando, Bruno Alves e Cissokho; Fernando, Raul Meireles e Lucho «cap.»; Mariano, Farias e Hulk 
Substituições: Raul Meireles por Andrés Madrid (68 min), Hulk por Tarik (75 min) e Lucho por Lisandro (79 min)
Não utilizados: Nuno, Pedro Emanuel, Rabiola e Ivo Pinto
Treinador: Jesualdo Ferreira

Ao intervalo: 0-1
Marcadores: Lucho (23 min, g.p.), Hulk (49 min), Raul Meireles (65 min), Farias (76 min) e Diogo Valente (89 min)
Disciplina: cartão amarelo para Hugo Morais (22 min), Hulk (57 min), Farias (76 min) e Fernando (90 min)

5 comentários:

  1. Um Porto de Honra.

    Magnífica exibição, que na segunda-parte, teve períodos de grande brilhantismo. Um Campeão muito forte colectivamente - difícil por isso destacar alguém -, banalizou o Leixões, que pareceu uma equipa fraca, coisa que o conjunto de José Mota, não é.
    Foi um Porto corajoso, audáz - Jesualdo ao meter Tomás Costa, reconheceu , que errou contra o Sporting -, que mostrou a sua faceta de grande equipa.
    O jogo mostrou também, que há banco, que com mais minutos e mais confiança, temos jogadores para compensar lesões, castigos ou abaixamentos de forma.
    Muita pena, mesmo muita pena, que o público do Dragão, raramente tenha oportunidade de ver, este Porto que fora de portas, parece outra equipa.
    Grande apoio dos adeptos portistas que invadiram o Mar.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Vila Pouca!

    Bom comentário. Completamente de acordo contigo.

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. o fcp tinha um jogo muito dificil pela frente e superou com distinção.
    grande entrega de todos e concentração no máximo.
    hulk teve em grande como já nos vem habituando enquanto que os 3 argentinos entrados na equipa estiveram acima do razoavel (farias, mariano e tomi).
    passamos 1 obstaculo mas temos que mostrar este rendimentos tambem nos jogos que disputamos no dragão.
    fomos grandes!
    abraço

    ResponderEliminar
  5. Caro José Campos!

    Exactamente. Estamos de acordo.

    Abraço

    ResponderEliminar

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.