terça-feira, 29 de outubro de 2013

Liga portuguesa- FC Porto 3 Sporting 1

Ganhou a equipa que provou ter mais argumentos para obter a vitória. Mesmo que a exibição portista não tivesse sido empolgante (do outro mundo), foi no entanto muito meritória! E não foi desta vez que Paulo Fonseca foi desfeiteado no Dragão. Mas apesar de ter ganho o jogo a uma equipa do Sporting esta época muito mais atrevida e consistente do que em épocas anteriores, a equipa portista precisa ainda de melhorar os seus processos de jogo, por exemplo: os avançados precisam de aprender a defender, desarmar os defesas contrários, não os deixando começar a construir jogo logo a partir da defesa. E alem disto a equipa portista tem de melhorar a qualidade de passe, pois acontecem ainda muitas vezes passes transviados interceptados pelos adversários, devido à falta de precisão no passe...!
 
27/10/2013 - Num estádio quase cheio, e com a bancada sul cheia de bandeiras azuis e brancas, foi precisamente a raça do Dragão que sobressaiu. O melhor que os lisboetas conseguiram foi o empate, durante 10 minutos da primeira parte e dois da segunda.
O resto foi domínio do Dragão, mesmo que o leão tenha surgido de peito feito na luta pelo resultado e sem recorrer a autocarros em frente à sua baliza. Talvez o adversário tenha alguma dificuldade em entender este espírito, mas, afinal de contas, o que aconteceu foi clássico: há mais de cinco anos que o FC Porto não perde em casa para a Liga e há seis que o Sporting não vence no terreno azul e branco.

A primeira parte do encontro nem sempre foi bem jogada, mas as duas equipas entregaram-se de alma e coração. No entanto, esteve sempre mais perto do golo o FC Porto, que conseguia a posse de bola uns metros mais à frente do que o adversário. O flanco esquerdo dos Dragões estava em destaque e seria por aí que surgiria o primeiro golo: Herrera lançou Alex Sandro nas costas da defesa sportinguista e Maurício só conseguiu travar o lateral esquerdo em falta.
Josué foi chamado a converter o penálti e rematou com êxito. No meio de tudo isto, sobrou apenas uma dúvida: onde ficou o cartão amarelo para Maurício? O jogo manteve-se nervoso, mas a emoção só voltou a estar ao rubro aos 34 minutos, quando um remate de Josué obrigou Rui Patrício a defesa para canto. O Sporting, mesmo não se encolhendo, não conseguiu colocar Helton verdadeiramente à prova no primeiro tempo.
Os Dragões entraram a dominar nos primeiros minutos da segunda parte, mas acabou por ser o Sporting a chegar ao empate, por intermédio de William Carvalho. Helton não conseguiu interceptar a bola cruzada a partir da direita, na marcação de um livre, e o trinco aproveitou o ressalto para atirar de forma certeira.
Ainda o banco do Sporting estava a festejar quando o FC Porto se recolocou em vantagem, num belo lance em que Josué lançou Danilo. O brasileiro tirou um adversário da frente e a vontade de marcar foi tanta que o “tiro” do lateral, imparável, ainda embateu no poste antes de morrer nas redes. A festa dos verde e brancos durou meros dois minutos.

Na segunda oportunidade de que dispôs em todo o encontro, o Sporting podia ter chegado ao 2-2, mas Helton negou brilhantemente o golo a Montero, aos 69 minutos. Com o Sporting mais exposto na busca pelo golo, os espaços aumentaram no meio-campo do Sporting e Varela, pela enésima vez, estilhaçou a defesa do Sporting e foi determinante na jogada do 3-1. Lançado no contra-ataque, o extremo português desmarcou Jackson na esquerda e amorteceu depois o cruzamento do colombiano, no coração da área. Lucho apenas teve o trabalho de empurrar para golo.
O 4-1 esteve mais perto do que o 3-2 (Licá forçou Rui Patrício a uma intervenção difícil). Os tricampeões estão firmes na liderança da Liga, agora com mais cinco pontos do que o segundo classificado. Só o Dragão se mantém invicto na prova.

FICHA DE JOGO 

Liga portuguesa, oitava jornada - Estádio do Dragão, no Porto
Assistência: 48.108 espectadores

Árbitro: Artur Soares Dias (Porto)
Assistentes: Rui Licínio e Bruno Rodrigues
Quarto árbitro: Rui Costa

FC PORTO: Helton; Danilo, Otamendi, Mangala e Alex Sandro; Fernando, Herrera e Lucho (cap.); Josué, Jackson Martínez e Varela
Substituições: Josué por Licá (63m), Herrera por Defour (67m) e Jackson por Ghilas (86m)
Não utilizados: Fabiano, Maicon, Carlos Eduardo e Ricardo
Treinador: Paulo Fonseca

SPORTING: Rui Patrício (cap.); Cédric, Maurício, Marcos Rojo e Piris; William Carvalho, Adrien Silva e André Martins; Carrillo, Montero e Wilson Eduardo
Substituições: Wilson Eduardo por Capel (57m), André Martins por Vítor (71m) e Carrillo por Gerson Magrão (85m)
Não utilizados: Marcelo, Slimani, Dier e Rinaudo
Treinador: Leonardo Jardim
Ao intervalo: 1-0
Marcadores:
Josué (11m, pen.), William Carvalho (60m), Danilo (62m) e Lucho (74m)
Cartões amarelos: Varela (40m), Piris (52m), Maurício (82m) e Licá (82m).

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.