sexta-feira, 3 de março de 2017

Super Dragões «vítimas de manobra de diversão»

A claque Super Dragões do FC Porto utilizou as redes sociais para negar ter estado envolvida nas "pichagens no restaurante do pai do árbitro Jorge Ferreira" e sublinhou estar a ser vítima de "mais uma manobra de diversão para tentar virar as arbitragens contra o FC Porto".
Os Super Dragões vão mais longe e, apesar de descreverem Jorge Ferreira como um "mau árbitro" e "adepto ferrenho do Benfica", garantem que não se vão calar perante "a descarada campanha que está em curso para condicionar e obter proveitos com as arbitragens".

Por fim, a claque portista sublinha ainda não admitir que "se use o nome" da organização para "cultivar a campanha que está montada" e que "a tinta azul compra-se com a mesma facilidade que a tinta vermelha". "Não deixa de ser sintomático que nos últimos meses, desde que o FC Porto iniciou a recuperação na classificação, tenham surgido várias pichagens em casas de dirigentes do FC Porto, na nossa própria sede e na casa do nosso líder, Fernando Madureira", conclui.
Recorde-se que a Taberna da Esquiça, em Fafe, foi vandalizada na madrugada desta quinta-feira. Na parede exterior do estabelecimento, que perante ao pai do árbitro Jorge Ferreira, surge a inscrição: "Aqui venera-se Calabote", frase acompanhada pela sigla dos Super Dragões.
O juiz da Associação de Futebol de Braga dirigiu o Estoril-Benfica da última terça-feira, em partida da primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal, que ficou marcada pelo segundo golo de Mitroglou, responsável pelo triunfo das águias (2-1), alegadamente em posição irregular.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.