quarta-feira, 26 de março de 2008

Portugal 1 Grécia 2

Como é que uns portuguesitos mal alimentados ( tipo brinca na areia) poderão uma dia ganhar a jogadores como os gregos (cavalões), possantes, rápidos, agressivos sobre a bola, tecnicistas e, ainda por cima, muito experientes e matreiros…? A páginas tantas mais pareciam senhoras a jogar contra homens de barba rija.
Os gregos a começar pelos avançados e, para além de saberem jogar muito bem a bola, são duros, sabem pressionar (desarmar/perturbar a ação dos da outra equipa) os defesas e demais jogadores adversários, não lhes dando tempo para respirar e, muito menos raciocinar.
Enfim! Nos portugueses, poucos foram os que demonstraram ter estofo físico, capacidade atlética para o futebol internacional.
Só consegui vislumbrar o: Bruno Alves e talvez o Hugo Almeida. O Bruno então, demonstrou não só estar ao nível físico dos gregos como fez gala duma entrega total ao jogo, agressividade e raça notáveis !
E para agravar ainda mais esta situação, também no aspecto táctico/estratégico da equipa fomos desgarrados, cada um a puxar para o seu lado. Precisamos urgentemente de ter na equipa Nacional uma estrutura sólida em termos de conjunto, de entre-ajuda, de jogarem uns com os outros de olhos fechados, de adivinharem o que cada um se propõe fazer em cada momento, o que equivale a dizer de jogadas mecanizadas, de modo a que quando a bola é colocada em determinada zona do terreno (não esteja lá mas) apareça sempre lá alguém para recebê-la, e, ontem não se viu nada disto. Foi tudo muito denunciado !

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.