terça-feira, 26 de outubro de 2010

Liga ZON Sagres - FC Porto 5 UD Leiria 1

Mais uma excelente exibição da equipa de futebol do FC Porto! O jogo foi praticamente de sentido único: ataque permanente do FC Porto, sustentado em muita posse de bola. Circulação rápida, ao primeiro toque, que agradou imenso aos adeptos. Com Hulk imparável, especialmente na primeira parte, os Dragões encantaram, pondo pressão nos adversários que assistiram ao jogo.
Com pouco mais de 10 minutos de jogo, já os azuis e brancos 
somavam três oportunidades de golo, incluindo um «tiro» de Falcao ao poste. Aos 14 minutos, a bola girou no carrossel portista, Ruben Micael meteu a bola «redondinha» em Hulk, que, à saída de Gottardi, fez um chapéu perfeito. Estava feito o 1-0, num lance de sonho.
Porém, não seria o único da noite. Cinco minutos volvidos, num contra-ataque fulminante, Falcao foi isolado por Hulk, mas, altruisticamente, serviu o «Incrível» para o segundo tento. Falcao provou no relvado o que significa jogar para a equipa e o brasileiro fez o oitavo golo em sete partidas da Liga.
A partir daí, o ritmo, como seria de esperar, baixou, sem que no entanto o domínio deixasse de pertencer aos Dragões. Os Azuis e Brancos continuaram atentos, como demonstrou João Moutinho: depois de sofrer falta junto à bandeirola de canto, serviu rapidamente Varela, que fez «gato-sapato» de Bruno Miguel e disparou para o terceiro do FC Porto.
A segunda parte arrancou com o 4-0: Varela combinou com Alvaro P
ereira, que cruzou para a cabeça de Falcao. Estava consumada a goleada, que podia ter continuado a crescer. Porém, Carlão, na conversão de uma grande penalidade, amenizou a desvantagem leiriense, aos 74 minutos. Um tento que fez o FC Porto voltar a acelerar e logo Falcao «bisou», fazendo o 5-1.
Segue-se opróximo jogo em Coimbra, já no sábado.
FICHA DE JOGO - Liga 2010/11, oitava jornada
Estádio do Dragão, no Porto - Assistência: 29.112 espectadores 

Árbitro: Vasco Santos (AF Porto) Assistentes: João Santos e Tomás Santos Quarto árbitro: Hugo Pacheco FC PORTO: Helton; Fucile, Rolando, Maicon e Alvaro Pereira; Fernando, João Moutinho e Ruben Micael; Varela, Falcao e Hulk
Substituições: João Moutinho
 por Souza (58m), Varela por James (69m) e Hulk por Walter (78m)
Não utilizados: Beto, Belluschi, Cristian Rodríguez e Otamendi
Treinador: André Villas-Boas

UNIÃO DE LEIRIA: Gottardi; Panandetiguiri, Bruno Miguel, Zé António e Patrick; Marcos Paulo, Pateiro e Leandro Lima; Zhang, N’Gal e Rúben Brígido
Substituições: Rúben Brígido por Marco Soares (46m), Bruno Miguel por Mamadou Tall (46m) e Zhang por Carlão (63m)
Não utilizados: Djuricic, Diogo Amado, Paulo Sérgio e Rodrigo Silva
Treinador: Pedro Caixinha
Ao intervalo: 3-0

Marcadores: Hulk (14m e 19m), Varela (37m), Falcao (50m e 76m) e Carlão (74m)
Disciplina: cartão amarelo para Pateiro (41m), Rolando (56m), Fernando (72m) e Marco Soares (84m)

26/10/2010 - «SÓ JOGADORES DE TOPO JOGAM COM ESTA QUALIDADE SOB PRESSÃO»
André Villas-Boas juntou o resultado à exibição e viu um tónico na soma. A adição simples foi feita em conferência de imprensa, depois da goleada imposta à UD Leiria, que serviu também para uma primeira antevisão às duas jornadas que seguem, nas quais o treinador do FC Porto quer reaver a vantagem perdida em Guimarães.
Exibição como tónico
«Conseguimos um bom jogo e uma excelente exibição, que poderão funcionar como um bom tónico para as jornadas que vêm aí, para a deslocação a Coimbra e para a recepção ao Benfica, nas quais pretendemos alargar a vantagem. Esse é o nosso compromisso.»

Reaver vantagem
«A Académica está forte, como nunca esteve. É importante mantermos a distância para eles e para o Benfica, para podermos reaver aqui, no Dragão, a vantagem que tínhamos antes de Guimarães.»

Jogadores de topo
«Só jogadores de topo são capazes de jogar com esta qualidade, sob a pressão dos adversários, que tinham conseguido resultados positivos.»

Transcendente
«Em termos de coesão e trabalho de grupo, esta Académica é comparável ao FC Porto de 2002/03. Tem uma enorme capacidade de se transcender.»

Semana longa
«O calendário continua a apertar, mas esta semana até é longa comparativamente àquelas a que estamos habituados. Jogamos no sábado, em Coimbra, a nosso pedido, para podermos ter mais um dia para preparar o jogo com o Besiktas, porque cremos que se trata de um encontro para garantir a passagem à fase seguinte da UEFA Europa League.»

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.