domingo, 3 de março de 2013

A faceta facciosa desconhecida de Jesualdo!

03/03/2013 - Do tempo em que Jesualdo Ferreira passou à frente da equipa do FC Porto, vi-o sempre como uma pessoa equilibrada, pelo que  desconhecia-lhe a actual faceta de facciosismo exorbitante!
Se calhar o facto do Severino candidato à presidência do Sporting ter afirmado que o Jesualdo era um infiltrado do FC Porto, pode ter-lhe causado algum trauma que lhe retirou parte do seu habitual discernimento e lucidês.
É que aquando da expulsão de Marcos Rojo, Jackson foi nitidamente ceifado por dois sportinguistas: Rojo e Rinaudo. Ora não me parece ter havido um lance identico (como referiu Jesualdo, talvez esteja a precisar de usar óculos) na área dos portistas. Pode ter havido algumas pequenas faltas do Otamendi, ou de outro portista qualquer, mas nada que se compare ao lance da expulsão do jogador do sporting, cujos protagonistas foram o Rojo e o Rinaudo! Mais, na minha óptica houve mais faltas dos sportinguistas a roçar a violência que passaram sem a respectiva sanção disciplinar. Porem nada de anormal para os leões habituados que estão desde tempos antigos, ou seja, de épocas anteriores, a distribuir lenha sempre que defrontam os Dragões em Alvalade. É aliás, sistema corrente para os lados de Alvalade, sempre que são inferiores futebolisticamente, tentam suprir essa dificuldade intimidando o adversário, procurar impor-se por processos subterrâneos.
02/03/2013 –Faltou engenho aos Dragões no último terço do campo
 FC Porto e Sporting empataram este sábado (0-0), em Alvalade, num encontro totalmente dominado pelos Dragões, que foram no entanto incapazes de marcar um único golo. A equipa de Alvalade defendeu-se com unhas e dentes, faltando inspiração aos portistas nos últimos 20 metros.
Foi um “clássico” estranho este, como o FC Porto nunca terá sentido, com tanto domínio portista no terreno leonino (64 por cento de posse de bola). E com um Sporting a jogar tal e qual uma equipa inferior, com um autocarro em frente da sua baliza e a tentar a aceitar de forma tão vincada a sua menoridade. Então o júbilo com que os adeptos do Sporting celebraram o nulo caseiro ilustra bem a situação, e foi além disso, uma confissão de alívio por terem resistido à passagem do bicampeão nacional por Alvalade.
 A primeira parte foi a mais forte dos portistas, com várias ocasiões de perigo: dois remates de Jackson e um livre de Danilo foram o cartão de visita portista nos primeiros 15 minutos. A melhor oportunidade para quebrar o nulo terá sido de Defour, aos 21, mas Rui Patrício opôs-se bem ao remate do belga.
 Houve ainda mais algumas oportunidades na primeira parte: um cabeceamento de Fernando na sequência dum pontapé de canto e um remate por cima da trave de Jackson, que foi um dos melhores jogadores do FC Porto em campo. Não obstante, o Sporting também poderia ter marcado num lance fortuíto de contra ataque por Van Wolfswinkel, mas Helton esteve à altura correspondendo com uma grande defesa.
 No segundo tempo, o jogo portista já não foi tão esclarecido, e por via disso, ficou mais atabalhoado com o passar do tempo, face à necessidade de chegar ao golo. James, arma secreta portista lançada aos dez minutos do segundo tempo, não conseguiu entrar no ritmo da partida e romper a “guarda” que lhe foi montada porque esteve lesionado e ainda não está com os normais indices de confiança.
Para concluir, os Dragãoes deram tudo por tudo nos minutos finais para ganharem o jogo, especialmente depois da expulsão de Marcos Rojo, aos 78 minutos, por acumulação de cartões amarelos. Atsu ainda dispôs duma boa ocasião aos 81 minutos para finalizar com êxito, mas Rui Patrício voltou a intrometer-se no caminho do seu remate cruzado. Liedson ainda entrou em campo nos minutos finais, mas não teve qualquer oportunidade para mostrar serviço, porque a bola não lhe chegou com a precisão indispensável, nem ele já com 35 anos terá porventura reflexos, velocidade e agressividade para causar problemas ao autocarro que os leões tinham montado em frente da sua baliza.
Mesmo nos minutos finais em que o jogo esteve partido e as duas equipas praticamente deixaram de ter meio-campo, a esforçada equipa do Sporting tapou todos os caminhos para a sua baliza, resistindo aos derradeiros ataques portistas. Pelo que se mantêm os 30 pontos de diferença entre as duas equipas e os respectivos objectivos: o FC Porto continua a lutar pelo título, o Sporting para se chegar aos lugares da classificação geral que lhe permitam aceder à Liga Europa.
Como jogaram os portistas
Helton 100% eficaz! Danilo cumpriu sem brilhantismo. Maicon idem aspas. Otamendi safou-se num ambiente em que chegou a ser agredido por uma cotovelada de Van Wolfswinkel, sem este ter sido advertido! Alex Sandro sem ter jogado mal não foi contudo tão influente no ataque como de costume.
No meio-campo notou-se a falta dum Moutinho dinamisador e esclarecido. Fernando como é seu costume: bem a defender, mas sem infuência no ataque. Defour esforçado cumpriu sem grandes rasgos. Lucho não sabe jogar mal mas apercebe-se que já lhe falta velocidade para conseguir fazer a diferença. Varela bem tentou furar a muralha leonina, continua a faltar-lhe porem a capacidade de explosão que evidenciava uns tempos atrás. Izmaylov apesar de todo o seu esforço e de ter sido muito vigiado pelos ex-colegas, o seu rendimento não foi de molde a justificar a fama que o precedeu. Jackson não obstante não ter conseguido marcar, foi a meu ver, o melhor portista em campo. Pelo que estou convencido que dada a marcação feroz que lhe foi movida seria muito difícil fazer melhor. James notou-se que está sem o ritmo que o notabilizou uns tempos a trás! Atsu é um avançado rápido mas que precisa de espaço, que ontem não teve, para evoluir e ser eficaz. Liedson nem aqueceu nem arrefeceu!

FICHA DE JOGO - Liga portuguesa, 21.ª jornada
Estádio José Alvalade, em Lisboa - Assistência: 27.436 espectadores

Árbitro: Paulo Batista (Portalegre)
Assistentes: José Braga e Valter Rufo
Quarto árbitro: Luís Reforço

SPORTING: Rui Patrício; Miguel Lopes, Tiago Ilori, Marcos Rojo e Joãozinho; Rinaudo (cap.), Eric Dier e Adrien; Labyad, Van Wolfswinkel e Capel
Substituições: Labyad por Bruma (60m), Adrien por Carrillo (75m) e Capel por Fakobo (80m)
Não utilizados: Marcelo, Cédric, Zezinho e Etock
Treinador: Jesualdo Ferreira

FC PORTO: Helton; Danilo, Maicon, Otamendi e Alex Sandro; Fernando, Defour e Lucho (cap.); Varela, Jackson Martínez e Izmaylov
Substituições:
Izmaylov por James (56m), Varela por Atsu (67m) e Defour por Liedson (81m)
Não utilizados: Fabiano, Castro, Abdoulaye e Sebá
Treinador: Vítor Pereira
Cartões amarelos: Izmaylov (38m), Marcos Rojo (44m e 78m), Maicon (70m), Fernando (86m) e Miguel Lopes (89m) e Bruma (90m+1)
Cartões vermelhos: Marcos Rojo (78m, por acumulação de cartões amarelos)

O Mr. Vítor Pereira

02/03/2013 - A ansiedade, a resposta que Vítor Pereira não queria detectar na equipa, é precisamente a primeira explicação para o empate em Alvalade, segundo o treinador, que reconheceu nos jogadores falta de esclarecimento e paciência, em especial na segunda parte. Lucho reforça a opinião do técnico, acrescentando quebras de tranquilidade, antes de desejar um regresso rápido a João Moutinho.
“Vamos à luta”, diz o treinador
“Defrontámos uma equipa que se bateu sempre bem, que esteve organizada. Entrámos muito bem no jogo, fomos iguais a nós próprios, com boa circulação de bola e bons momentos de entrada no último terço do terreno, o que nos permitiu construir algumas oportunidades de golo. Na segunda parte, a ansiedade apoderou-se da equipa, que quis fazer tudo muito depressa e acumulámos uma série de erros em termos de circulação que permitiu ao Sporting algumas transições rápidas perigosas. Deixámos o jogo partir-se um pouco e esse não é o nosso estilo. Foi pena, não posso apontar nada aos jogadores, mas, na segunda parte, faltou-nos ser mais esclarecidos e pacientes. O jogo terminou desorganizado e partido, como eu não gosto. Não foi possível sairmos daqui com uma vitória, mas o campeonato está completamente em aberto. Vamos à luta. Preferia ter ganho o jogo e continuar na frente, mas o nosso adversário directo ainda vai a nossa casa e ainda temos muito tempo para virar o campeonato a nosso favor, caso ganhe amanhã.”
“Sabor amargo” para Lucho
“Obviamente, não é um resultado positivo para nós, mas ainda falta muito campeonato para jogar. É pena não termos vencido. Faltou-nos um pouco mais de tranquilidade na hora de definir os lances, de fazer a melhor opção e que a bola entrasse, que é o mais importante no futebol. Podemos ter muita posse de bola, mas, se não marcarmos, não ganhamos. O João Moutinho é um jogador muito importante para nós, mas acredito que neste plantel há jogadores para substituir quem quer que seja. Infelizmente, não pode estar connosco, mas oxalá recupere depressa, porque precisamos dele. Vamos com um sabor amargo, porque queríamos vencer.”

2 comentários:

  1. 1 - Mergulhos para a piscina a tentar influenciar o árbitro, não me dizem nada. E não foi um mas vários jogadores do Sporting que conhecendo a conotação do Paulo Baptista às suas cores tentaram ver se o amigo ia na onda!
    Aliás eu sei que se se tratasse dum Sporting-Benfica vocês diziam o mesmo que eu agora digo.

    2 - meu comentário para ficar registado
    ...Por razões que são conhecidas: falta qualidade no último passe, o passe de rotura, quase nunca é feito para o sítio certo, é difícil ao jogador que vai para o espaço vazio, receber a bola nas condições ideais. Se a isto juntarmos, pouca profundidade pelas alas e principalmente, poder de fogo desde trás, o melhor antídoto contra defesas cerradas, está tudo dito. Ontem e é uma constante, libertamos muitas vezes alguém e por várias vezes tivemos jogadores com bola controlada, sem oposição junto à área, para rematarem. Lá rematar, remataram, mas sempre para muito longe da baliza. Assim fica difícil e ou resolvemos este problema, ou vamos ter dificuldades, já que até ao fim do campeonato todas as equipas que vamos defrontar vão jogar da mesma forma.

    Também penso o mesmo. Por exemplo o Barça, além dos tradicionais rompedores, ou seja, dos avançados que fazem a diferença, tem médios que chutam à baliza adversária de fora da área e com precisão.
    Sem pôr em causa a capacidade técnica do Mr. Vítor Pereira não sei porque razão ele não detecta a falta de rematadores de meia distância na equipa e por conseguinte insiste mais na finalização e no último passe do que na posse!
    A grande diferença entre o futebol praticado pelo Barça e o FC Porto, está no facto do futebol de posse dos blaugrana ser um futebol de posse de qualidade: de passes muito precisos para o colega que se desmarca em velocidade. Em contra partida o futebol de posse portista acenta em trocas de bola lentas e num futebol muito denunciado,o que permite às equipas contrárias retomarem rapidamente as suas posições defensivas!

    ResponderEliminar
  2. Comentários dignos de registo!

    1 - Anónimo disse...
    Portistas
    tenho visto os últimos jogos dos
    lampiões,hoje mais uma vez tiveram sorte e arbitro.
    Parafraseando mestre Pedroto:
    -Eles não têm estofo de campeões.
    Eu acredito
    Saudações

    eidapi
    2 - Anónimo disse...
    A uns minutos atrás estava a ver Porto Canal e ouvi o Tó Neves lamentar os castigos que dão aos jogadores do FCP (seja qual for a modalidade) e os que dão aos jogadores do Clube do Regime. No caso foi um jogador do Valongo que levou dez pontos por ter sido agredido por um jogador vermelho e nada aconteceu!... No futebol foi o que se viu com o Cardozo.
    Se fossemos a ver o historial de castigos, eu diria que o FCP é um mártir destes porcos incompetentes ligados ao clube do regime.
    3 - Dragon Ball disse...
    Fixem este nome, Manuel Mota, é mais um...
    Depois do penalti cirúrgico aos 93 minutos na última jornada, mais um penalti milagroso hoje a garantir uma vitória completamente imerecida contra o último classificado!!! Uma bola cabeceada pelo Cardozo à queima-roupa bate no braço do defesa do Beira Mar QUE ESTÁ DE COSTAS E NEM SEQUER PODE VER A BOLA. Penalti a favor dos lampiões e amarelo ao central do Beira Mar, marca o Mota...
    O Luisão desvia a bola com o braço na grande área...Nada!...
    Na 2ª parte o Luisão salta completamente apoiado no Yasalde em cima da linha limite da grande área. Nada!... Aos 81 minutos o Luisão volta a saltar completamente apoiado nos ombros do avançado do Beira Mar (Yasalde ou Abel Camará) na grande área...Nada!...
    Mão do Maxi. Livre! Cartão amarelo? Nada!...
    Mão do Sálvio. Livre! Cartão amarelo? Nada!...
    Derrubes de adversários feito por trás pelos aveirenses Rui Sampaio, Ricardo Dias e Ruben Ribeiro, livres e cartões amarelos!
    Derrubes idênticos feitos pelo Melgarejo e Garay, livres e nada!...
    Cotovelada do Cardozo na cara do Ricardo Dias, nada!...
    Lance de golo iminente do ataque do Beira Mar aos 43 minutos, fora de jogo inexistente, não fosse o diabo tecê-las!...
    E assim vão eles caminhando...Uma vergonha!!! Hoje ainda foi pior do que o costume... E o que disseram desses lances os comentadores de serviço da SporTV?... Outra vergonha, fizeram de conta que não se passou nada... Se possível, também ainda pior do que o costume... Por mim, vão chamar parvo ao car...!!!

    ResponderEliminar

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.