sexta-feira, 7 de abril de 2017

Enredos benfiquistas

O filósofo (vermelho)
"As únicas cartilhas bem conhecidas são a cartilha da fruta, do Apito Dourado, do Canelas e agora da Operação Fénix em que arguidos e dirigentes se acusam entre si de serem responsáveis por darem ordens a alegados casos de seguranças ilegais". Esta fuga para a frente é de Luís Bernardo, diretor de comunicação do Benfica que cai no ridículo de negar a existência da cartilha com esta manobra de diversão à mr. Burns. E quem é Luís Bernardo? É um saltitão que tem um especial jeito para escolher patrões com problemas com a justiça. O atual todos sabem quem é, depois de anos ao serviço de José Sócrates. Deve ser karma.

Edição os selvagens do Porto

Ontem ao fim da tarde o ex-ministro do PSD lá foi com o discurso bem ensaiado dizer na SIC que a cartilha é um sinal de profissionalismo, de capacidade, rebebéu pardais ao ninho. Sabem de onde vieram essas palavras? De uma nova e desta vez curta edição de quatro páginas da cartilha distribuida pouco antes a todos os comentadores benfiquistas - e um portista, não há como negar - e que começa assim: "A existência e partilha de notas informativas entre os comentadores do Benfica representa apenas Organização, Profissionalismo e Competência". Francamente, de um ex-ministro esperava-se mais "salero" - fica a obediência. Mas o melhor desta nova edição é a caracterização das gentes do FC Porto, uns perigosos delinquentes, que nada têm a ver com "os meninos de coro de Alvalade". "A Comunicação do Porto é muito mais agressiva e capaz de recorrer aos meios ilícitos para tentar destabilizar, provocar, ofender e descredibilizar o Benfica". Agradecemos o respeitinho e os elogios chegam a comover, mas não recorremos a meios ilícitos. Basta deixar-vos brilhar, como se diz, a uma só voz, numa singela homenagem ao lema E pluribus unum - vá lá, aproveitem a dica, que afinal até somos uns selvagens simpáticos.

O defenestrado (afastar, livrar-se de alguém)
Para saber o autor desta nova edição da cartilha basta seguir os seguintes passos. Depois de clicar neste link carregue na opção “download” na JANELA do browser, no canto superior direito, o que faz abrir uma JANELA pequenina e aí escolhe a opção “doc”. Depois abra a JANELA de “transferências” e com o documento fechado com o botão do lado direito do rato escolha a opção “propriedades” e abre-se uma nova JANELA. Aí, escolha a opção “detalhes”, o que faz mudar de JANELA. Então aí pode analisar quem interveio no texto, quem fez a última gravação, a data de criação, etc. Se ficou com um sorriso amarelo feche a JANELA. Se não é desses, delicie-se com o vício em cartilhas mal amanhadas do Benfica. Assim ruiu mais uma ficção, mas fica o conselho para a Madraça da Luz, não neguem à partida uma ciência que desconhecem. E pronto, façam lá a caça às bruxas com discrição mas desconfiem uns dos outros. O mais que puderem. Da minha parte podem contar com o máximo sigilo.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.