segunda-feira, 16 de abril de 2018

Denunciar as manobras benfiquistas e exultar com o sucesso da equipa

Dragões Diário - De casa
O FC Porto “meteu toda a carne no assador” e bateu o Benfica por
1-0.
Herrera foi o “menino querido” a fazer o gosto ao pé, como “meninos queridos” foram todos os jogadores do Dragão. Todos sabemos que “hoje o Benfica manda mesmo” no que circunda o jogo, mas é falso que os outros “já não mexam nada”. A equipa de Sérgio Conceição mexeu e muito no jogo e o adversário acabou a questionar “o que passou se?”.

Destaque para a entreajuda dos nossos jogadores, como quem diz: “Sabes que estou e sempre estive ao teu lado”. É verdade que o Benfica entrou à procura de ser feliz, mas a resposta dos nossos jogadores foi inequívoca: “Temos de dar-lhe cabo da nota”. E deram. O FC Porto é líder do campeonato com toda a justiça e se alguém quiser contrariar esta ideia a resposta só pode ser: “Ainda querem me fazer atrasado mental”.

Com serenidade, pelo menos aparente, porque as emoções tinham sido fortes pouco antes, Sérgio Conceição lembrou que mexeu na equipa sempre para lhe dar força ofensiva e alertou que “
nada está ganho”, que “ainda há muito campeonato para disputar”.

Se alguém merecia ser feliz era Herrera, que destacou a fé da equipa na vitória: “
Acreditámos até ao fim que poderíamos vencer aqui, que é muito difícil. Estamos contentes, mas ainda nada acabou. Faltam quatro finais e não podemos errar”, disse o mexicano, ele que foi sucessivamente provocado na flash interview da BTV, tal como Sérgio Conceição, com um lance entre Zivkovic e Ricardo Pereira. Velhos hábitos de quem conta sempre com um empurrãozinho, mas o que Ricardo Pereira fez não foi isso, limitou-se a ganhar o espaço.

Jorge Nuno Pinto da Costa também comentou a vitória da equipa e garantiu que no FC Porto todos vão continuar a pensar “
jogo a jogo”.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.