terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Apito Final. Conselho de Justiça nega provimento ao recurso do FC Porto

Enquanto os "jagunços" afectos ao SLB estiverem em maioria no CD da Liga de Clubes e no CJ da Federação,será impossível rever seja o que for. É a justiça que lhes convém a eles,e, não abrem mão disso...!

Apito Final Conselho de Justiça nega provimento ao recurso do FC Porto
A Federação Portuguesa de Futebol anunciou hoje que foi negado provimento ao recurso apresentado pelo FC Porto há duas semanas, relativamente aos castigos impostos ao clube campeão nacional no âmbito do processo Apito Final. Os azuis-e-brancos recorreram no passado dia 11 e o Conselho de Justiça da FPF analisou com rapidez o pedido do FC Porto, com o processo, em que é recorrida a Comissão Disciplinar da Liga, a ter deliberação com data de 17 de Dezembro, e hoje tornada pública. O FC Porto interpôs o recurso para o CJ, depois de o plenário da CD da Liga de Clubes ter indeferido, a 4 de Dezembro, uma reclamação dos dragões, por considerar que caberia ao clube o envio dos processos relacionados com o Apito Final. O FC Porto pedia à CD da Liga a revisão dos castigos aplicados no âmbito do processo Apito Final (perda de seis pontos ao clube e suspensão de dois anos ao presidente Pinto da Costa), na sequência da sentença do Supremo Tribunal de Justiça, que impede a utilização de escutas num processo disciplinar a João Bartolomeu, presidente do Leiria. A CD da Liga informou o FC Porto que não poderia, “por ora”, analisar o pedido de revisão, por não ter em sua posse os processos originais, que se encontram no Tribunal Administrativo de Lisboa. A CD esclareceu ter pedido ao CJ federativo para que os processos fossem devolvidos e, assim, lhes fossem juntos os requerimentos de revisão do Boavista e do FC Porto. O CJ, no entanto, respondeu à CD que os processos estavam no Tribunal Administrativo de Lisboa, dando disso nota aos clubes envolvidos a Comissão Disciplinar da Liga. A 28 de Novembro, o FC Porto anunciou recurso para o plenário da CD e qualificou a resposta de “lamentável atitude” e “um veto de gaveta e um esforço patético de evitar o acesso ao direito e à justiça a que todos têm direito”.

3 comentários:

  1. Está começar bem e adizer ao que vem, este C.Justiça...até se dá ao luxo, pasme-se, de arrasar um Tribumal Administrativo.
    Mais vale ter gente dos orgãos federativos que boas equipas...
    Um abraço e feliz Natal

    ResponderEliminar
  2. Vila Pouca!

    Será que incumbiste alguém de visionar e criticar,os comentários de quem escreve no teu Blog?!

    É que volta e meia,aparece alguem que se arvora em crítico altamente documentado,e, a transbordar de competência...!!!

    Tem por (péssimo) hábito repetir o que os outros escrevem,atribuindo-se (a ele próprio)o mérito de sentenciar (defenir)o certo e o errado!

    Que se há-de fazer?! "Presunção e água benta cada um toma a que quer".

    Admiro a paciência com que aturas personalidades deste tipo!
    Tu próprio já foste vítima da lenga,lenga, da "personalidade" em causa.

    No meu blog certos comentários vão direitinhos para o lixo sem ler.
    É que ali é obrigatória a identificação dos autores.

    Confesso que na minha idade já não tenho paciência para contemporizar com a prosa (pretensiosa) de certa gente.

    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Caro Dragaoatento

    Agradeço o link para o meu blog. Espero continuar a merecer a sua visita, já que pretendo que o mesmo seja um espaço onde todos os dragões atentos, como tento ser, se revejam.

    Quanto ao novo/velho CJ da FPF está tudo dito no seu post.

    Boas festas.

    ResponderEliminar

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.