domingo, 4 de maio de 2008

É de atletas assim que o FCP precisa


2,5 Filipe Lopes

Foi a grande surpresa no "onze". É um jovem valor, mas nunca se deixou impressionar com o adversário e a moldura humana do estádio. Fez valer a sua estatura elevada, varrendo quase todos os raides aéreos na direcção da baliza nacionalista. Num desvio oportuno de cabeça, chegou a roçar o golo.

3,5 Cardozo

Imponente do ponto de vista físico, comandou a defesa com segurança, assumindo dimensões assustadoras para os atacantes contrários. Implacável no um contra um, quase transformou Lisandro num jogador banal e ainda apareceu na área do FC Porto a causar perigo na sequência de um livre. Só não lhe saiu bem a direcção do remate, desferido de cabeça.

2,5 Ricardo Fernandes

É duro como uma rocha e fartou-se de destruir as ondas ofensivas do adversário. Bem sintonizado com os companheiros do sector, cumpriu bem a missão de aguentar a suposta pressão inicial dos visitados, sempre de olho em Lisandro, como manda a lei. Nas dobras, esteve impecável.


Digo eu agora :
Até porque para competir por exemplo na Champions League (onde se pratica um futebol eminentemente físico) com algumas provabilidades de êxito, não basta ter habilidade (técnica), a par disso, ter força é preponderante, capacidade de choque, dispôr de pujança física, velocidade de execução, resistência, etc ... são atributos fundamentais.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.