quinta-feira, 22 de abril de 2010

Estrutura duma equipa - Estratégia - Exemplo


Apologista e fiel seguidor do 4x4x2, à imagem de Jorge Jesus, o ainda técnico vimaranense terá de reestruturar todos os sectores. Na defesa - Paulo Sérgio adopta marcação à zona, inclusive nas bolas paradas, sem marcações individuais -, o eixo da mesma poderá ficar sem Polga e Caneira, devendo entrar dois novos defesas-centrais, um dos quais polivalente, capaz de desempenhar outras posições na linha mais recuada, onde, na esquerda, para dar o desejado andamento e profundidade - já que João Pereira, no lado contrário, é intocável -, deverá chegar um lateral para pelo menos discutir o lugar com Grimi. A contratação de Pedro Mendes e o regresso de André Santos, cedido ao Leiria, ajudam a preencher o leque de opções para médio-defensivo, mas no sector intermediário as dúvidas subsistem devido às previsíveis saídas. Médios-interiores, dotados de capacidades para se tornarem alas, alargando o jogo, dando-lhe profundidade, e capazes de contribuir para o assumir do jogo e da posse de bola, serão necessários, em particular na esquerda, onde Yannick Djaló tem sido a solução... possível.
Liedson, lá na frente, terá companhia para ajudar a materializar em golos o futebol de ataque que Paulo Sérgio tanto aprecia. O 31 será sempre a referência do ataque dos leões, mas com o apoio de um homem que se sinta confortável a jogar entre linhas. Saleiro e Pongolle manter-se-ão, ao que tudo indica, contudo falta presença física e altura junto às redes contrárias.

Cá está mais um treinador que afina pelo meu diapasão!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.