quinta-feira, 26 de julho de 2012

Jogadores de futebol e os seus contratos com os clubes

Pelos vistos os clubes têm de encontrar outra solução, que não as clausulas de rescisão, fim prevenirem jogadas sujas, ou seja, protegerem os seus interesses da cobiça dos clubes (tubarões) de maior prestígio e poder de compra e, que na ânsia de contratarem atletas alheios utilizam processos indecorosos. 
É que actualmente negoceiam-se contratos e estabelecem-se clausulas de rescisão em vão, porque certos clubes, baseados, ou seja, aproveitando-se do seu prestígio, resolvem adulterar os processos de negociação com os jogadores e, em vez de começarem por entrar em contacto com os clubes detentores dos passes destes, começam por tentar aliciar os jogadores oferecendo-lhes chorudos contratos (altos vencimentos) a fim de criarem um clima de mal estar entre estes e os seus clubes de origem de modo a conseguirem obter os jogadores abaixo das clausulas de rescisão!
Extracto do artigo do Miguel Sousa Tavares - Mas como o Real Madrid não quer pagar o preço que o Tottenham entende justo (e esse é o único preço justo) vá de fazer a habitual combinação com o jogador: tu começas a forçar a saída, até que a situação fique tão insuportável que não lhes reste alternativa senão vender-te a nós e ao nosso preço. Parece que o mesmo estará o Chelsea a planear fazer com Hulk, mas valha a verdade que o brasileiro, até agora, não deu a menor indicação de que esteja disposto a prestar-se a essa suja tarefa. Chama-se a isto, da parte do Real Madrid, abuso da posição dominante, falta de respeito pelos contratos e pelos outros clubes. E, da parte de Modric, chama-se outra coisa, bem mais feia. Isto acabará no dia em que os castigos aplicados aos clubes e jogadores que assim se portam, forem de tal forma pesados que nunca mais lhes volte a ocorrer portarem-se como prima-donas.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.