sábado, 4 de outubro de 2008

Preparação física um caso muito sério para as equipas de futebol

*
Caro Vila Pouca! Ainda a respeito d'algumas decisões tomadas pelos dirigentes do FC Porto. Devido ao facto de por vezes, assistir como espectador surpreendido e em desacordo com algumas decisões que a FC Porto-Futebol-SAD toma, muitas vezes pergunto-me se terá sido o PdaC que decidiu, ou estará a dar corda a certas pessoas para se enforcarem nela. Temos os casos da época em que foram contratados "n" treinadores, dispensam-se uns jogadores e contratam-se outros, de qualidade inferior aos que se dispensaram...etc...etc. Como sabes depois que foi criada a FC Porto Futebol-SAD, esta através dos seus accionistas de referencia é que mexe os cordelinhos. Portanto o nosso Clube actualmente está refém de quem tem dinheiro e investiu na FCP Futebol-SAD e não de quem tem competência. É por isso que eu digo que há muita gente por lá a pavonear-se cujo mérito são ùnicamente os milhares (cifrões $)deles. Mais ou menos a propósito vou contar-te o seguinte: Há uns anos atrás na época em que o preparador físico era um tal Prof. Mota deputado do PSD, eu pude assistir a algumas sessões de preparação física ministrada pelo ditocujo. Só que o Prof.Mota em vez de puxar devidamente pelo físico dos atletas, dava assim como que umas aulas de ginástica base para meninos, para não cansar muito, e, não chatear as vedetas. Passava o tempo mais preocupado em conversar e na borga com os jogadores do que a propiciar-lhes uma sessão de preparação física a sério. E é preciso notar que estamos a falar dum desporto de alta competição como é o futebol. Isto no tempo do Ivic da primeira vez que cá esteve. Ora o Ivic que não era parvo, assistia a isto impávido e sereno sem levantar ondas, mas depois de acabado o treino com bola em metade do campo, o Ivic sabendo que a sessão de preparação física ministrada pelo Prof.Mota, não tinha sido conveniente e eficaz, reunia os jogadores no antigo campo de treinos do estádio das Antas, perto da baliza do topo Sul, e, dois a dois fazia-os sprintar até à baliza do topo Norte. Isto durante pelo menos uma hora. Resultado, a equipa ficava bem preparada fisicamente e durava os 90 minutos à vontade.
Outra. Antes do Yustrich chegar tinhamos uma excelente equipa onde pontificavam, entre outros, o Barrigana, o Araújo, o Porcel...etc...etc. Só que eram todos uns malandros, e trabalhavam pouco. Quando o Yustrich chegou e se lhe deparou esta situação, como deves estar lembrado, teve de (fazer sangue) correr com o Barrigana, o Porcel e o Carvalho lateral esquerdo. Os que entretanto ficaram, inclusive o Virgilio, tiveram de adaptar-se e passar a suar a camisola, trabalhar no duro. Resultado com a super preparação física dada pelo Yustrich a equipa jogava vencia e convencia.Tempos maravilhosos em que tinhamos um dos melhores goleadores de todos os tempos, Jaburu. Era um regalo vê-lo jogar, muito alto, possante e tecnicista. Detentor dum remate poderoso e preciso. Isto já para não falar nos: C.Duarte, Hernâni, Gastão, Perdigão, Pedroto, Miguel Arcanjo, Virgilio...etc.
Como vês o factor a salientar nas equipas que obtêm êxito está na qualidade da preparação fisica que lhes é dada.
Não vamos mais longe, a actual equipa do Benfica está neste momento muito mais forte porque, não sei se sabes, tem um super-preparador fisico a colaborar com o Quique.

Mais, 50% do êxito alcançado pelo JMourinho deve-o ao Rui Faria que é o preparador físico que colabora com ele. Vi-o, ao Rui Faria, uma vez trabalhar, e, Amigo Vila Pouca, o homem é um caso sério a dar preparação física. As sessões ministradas por ele são fantásticas. 100% profissional, ninguém lhe vê os dentes. É trabalhar a sério!

PS - Bibó PoRtO,Carago!Amigos,admiro todos aqueles que não obstante manifestarem opiniões diferentes,defendem apaixonadamente o FC Porto.Tb gostaria de deixar aqui uma opinião sobre como eu me comportaria no caso de ser comentador televisivo.Tentaria defender o nosso FC Porto com unhas e dentes contra tudo e contra todos.E se preciso fosse pediria ajuda documentada a quem me pudesse fornecer elementos para atestar as nossas razões.Isto porque todos juntos jamais seremos vencidos.Abraço

PS 1 - Sugestão. À atenção do Jorge Nuno. Em face dos últimos acontecimentos, a confiança que depositava no Jesualdo ficou seriamente abalada. Qualquer que seja o resultado hoje no Alvalade XXI, a fim de prevenir outro descalabro como o de Londres, sugiro que proponha ao Professor Carlos Azenha um contrato (para já), como director técnico do futebol. E assim, o futebol do FC Porto ficava a salvo de qualquer tempestade (furacão) imprevista.

4 comentários:

  1. Meu caro Monteiro, eu assisti de cátreda a muitos treinos do F.C.Porto desde os tempos de Pedroto até à criação do Centro de Treinos.
    Posso-te dizer, que mesmo não sendo um expert em preparação física, dava para ver as diferenças.Assim J.Mota e H.Gonçalves, tinham limitações, o que não acontecia por exemplo, com
    Rui Faria.
    Mas, Monteiro, a base de tudo era o treino dado pelo treinador principal, que pegava na batuta e naquela hora, a seguir ao chamado aquecimento, incutia uma dinâmica, que obrigava os jogadores a correr, a mudar de direcção, a saltar, a pressionar, a sprintar, que eles, mesmo que o preparador físico fosse fraco, tinham uma boa capacidade física.
    E nisso o melhor que vi, foi o B.Robson.
    Sobre a tua postura se fosses comentador, posso dizer-te, que eu seria como tu.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  3. Vila Pouca ainda não recebi o tal e-mail em que sugeres "the our meeting".

    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Na minha opinião,não devemos escolher a equipa porque o técnico é o Profe,e por conseguinte é ele que sabe quem está em melhores condições para jogar.Treinou-os durante toda a semana.
    Podemos e devemos sim,é questionar a forma como jogam. Se os elementos escolhidos pelo treinador jogarem mal,então sim podemos pedir responsabilidades a quem os escolheu,porque ou escolheu mal,ou orientou mal.Tb pode dar-se o caso de ser a equipa no seu conjunto a jogar mal.Neste caso o falhanço seria colectivo.

    Abraço

    ResponderEliminar

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.