quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Lançar a confusão:se não há matéria factual fabrica-se

Comunicação escondida com rabo de fora

HUGO SOUSA em OJogo

Frase de Einstein a abrir, por dois motivos: porque fica sempre bem e porque vem a propósito. "Se os factos não encaixam na teoria, modifique os factos." Melhor ainda: se não há matéria factual, invista-se no seu fabrico, porque, mais do que aos factos, o futuro pertencerá às interpretações que se fazem deles. Dito isto, uma pergunta: afinal, tanta volta para quê? Para chegar às imagens da suposta, mas já comentada, agressão de Rodríguez a Nuno Gomes. Ou melhor, à interpretação que faço delas. Também aqui, parece-me que o facto em si é capaz de ser irrelevante se comparado com o impacto paralelo escondido, mas com rabo de fora: a hipótese de lançar a confusão. Se foi um pontapé, um tropeção ou uma simples provocação típica de um jogo, tal passa a segundo plano, quando se consegue a visibilidade, mesmo que desfocada, de um protesto. No fundo, tudo se resume a uma coisa muito simples: estratégia de comunicação. Nos dias de hoje, ela é tão ou mais importante do que uma estratégia de campo. Politiquices.

1 comentário:

  1. Monteiro quando comentaste ainda não tinha um novo post, vai lá ver e terás de alguma forma a resposta à tua pergunta.
    A política de Comunicaçõa só resulta, como bem sabes, se os orgãos de C.Social funcionarem como caixa de ressonância, o que no caso do Benfica...nem é preciso pedir.
    Um abraço

    ResponderEliminar

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.