terça-feira, 2 de setembro de 2008

A história do Pelé

Pelé do Dragão fica com o número 30
F. C. Porto Médio assinou por quatro épocas e já treina hoje no Olival


MIGUEL AMORIM JN

Um desejo tornado realidade. Pelé vai jogar pelo seu clube de sempre, o F. C. Porto. Assinou por quatro temporadas, terá a camisola número 30 e começa hoje a treinar no Olival. Agora é "só" agarrar a titularidade.
Vítor Hugo Gomes Passos (Pelé), de 20 anos e mais recente reforço portista, vem de um colosso transalpino, Inter de Milão, mas para trás muito há a contar, numa carreira feita a pulso e em sentido ascendente. É disso mesmo que dá conta a seguir o JN.
Do pai, um ex-futebolista, herdou o "bichinho". Na família, todos o tratam por Hugo. No futebol é o Pelé, ainda que tenha começado por ser o Pelezinho. A alcunha ganhou-a no Boavista. Porquê? É escusado dizê-lo. O nome vale por si só. Pelé nasceu na Invicta e o F. C. Porto sempre foi o clube do coração. Tanto assim que, depois de tentar o Senhora da Hora, foi ao Boavista fazer os testes de captação equipado à F. C. Porto. Não foi renegado, mas logo aconselhado a vestir uma malha axadrezada. Assim o fez e pelo Bessa ficou, entre os oito e os 13 anos. Era ponta-de-lança e marcava muitos golos.
Depois, contra a sua vontade, foi dispensado. Ainda hoje os boavisteiros se arrependem da opção. Pelé foi para o Salgueiros, porque ficava próximo de casa (Prelada) e aí permaneceu até aos 17 anos. O "Salgueiral" vivia tempos difíceis, jogava na 2ª Divisão B com os juniores, mas Pelé aguentou-se firme. Só uma vez ganharam. O golo, de penálti, foi por si marcado. "Vi, ali, que ele tinha condições para líder. Não acusou a responsabilidade", lembra, ao JN, Ricardo Tavares, salgueirista e um dos treinadores mais marcantes.
No clube de Vidal Pinheiro passou a médio e continuou a dar nas vistas, sendo pescado pelo Benfica. Era o primeiro contrato, foi-lhe prometida a ida para a equipa B, mas ficou-se pelos juniores e em Dezembro rescindiu, voltando ao Norte. Desta vez, para o Guimarães. Ainda júnior, foi chamado por Vítor Pontes e, depois, por Cajuda à equipa sénior. A ida à selecção no Torneio de Toulon e ao Mundial Sub-20 deram-lhe a projecção internacional. Da Europa choveram propostas. A escolha foi feita pelo empresário Jorge Mendes e o Inter, do seu ídolo Patrick Vieira, o destino. Era a primeira vez fora do país, mas tudo correu bem. Ajudou a ganhar o "calcio" e marcou na meia-final (Lazio) e na final (Roma) da Taça.
Itália foi óptima e o ingresso no F. C. Porto mantém a corrente positiva. O futuro estava num impasse e isso influiu negativamente no jogo da selecção sub-21, do qual foi expulso, pelo que a entrada no Dragão foi ouro sobre azul. Dar o litro e grande rigor táctico são alguns dos seus predicados, a partir de hoje ao dispor de Jesualdo.

PS - Jesualdo Ferreira que não facilite. Que aproveite o interrupção do campeonato para limar arestas e criar os automatismos indispensáveis ao bom rendimento da equipa de futebol!

4 comentários:

  1. Monteiro eu relação ao Pelé tenho umas curiosidades interessantes.
    Ele morou a 20 metros de mim e eu não sabia.Só soube no dia da final da Taça de Portugal, quando um amigo e vizinho, que foi comigo ao Jamor me disse, numa altura em que não se falava na possibilidade de ele vir para o F.C.Porto.
    Hoje fui à médica dentista, que é portista e que gosta de falar comigo sobre o nosso clube, que me perguntou o que achava da saída do Quaresma e da entrada do Pelé.Dei-lhe a minha opinião e sobre o Pelé disse-lhe que ele tinha sido nosso vizinho, tendo ela respondido, que sabia disso e tinha sido médica dele.
    É curioso ele morou perto de mim teve a mesma médica e eu nunca me dei conta de nada.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. "Vou fugir ao tema proposto para lhe dizer o seguinte:o senhor disse que tudo no clássico da Luz correu bem que as medidas foram as correctas e que apenas aconteceu aquele incidente com o adepto.
    Como o senhor não é cego e esteve na Luz, eu pergunto-lhe: como é possível tantas tochas, tantos petardos e tantas cebolas terem entrado no estádio e terem sido atiradas para o relvado? Aliás, já na época passada era a mesma coisa e em Guimarães a rede foi queimada e jogo interrompido, tendo o Benfica sido castigado, já no defeso e apenas com uma multa.
    Estou curiosíssimo para ver qual o castigo que a Excelentíssima C.Disciplinar, sempre tão preocupada com as regras e com a justiça, quando se trata do Campeão, vai dar ao clube da simpatia do Dr,Ricardo Costa."

    Meus amigos acabo de deixar este comentário no blog do presidente da Liga e vou aguardar para ver o que acontece.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  3. Poderemos ter encontrado a alternativa ao proscrito Paulo Assunção.

    Jovem, português, com margem de progressão, Pele é uma bela aposta para o meio-campo dos campeões. Esperemos que seja feliz de Dragão ao peito...

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.