segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Rio Ave 0 FC Porto 0

*
21 de Setembro de 2008

FICHA DE JOGO

Liga 2008/09, 3ª jornada
Estádio do Rio Ave, em Vila do Conde

Árbitro: Pedro Proença (AF Lisboa)Árbitros Assistentes: Tiago Trigo e André Campos
4º Árbitro: Vasco Santos


Rio Ave: Paiva; Miguel Lopes, Gaspar, Bruno Mendes e Sílvio; André Vilas Boas, Niquinha «cap.», Livramento e Delson; Chidi e Evandro
Substituições: Livramento por Tarantini (65m), Chidi por Semedo (70m) e Niquinha por André Carvalhas (92m)
Não utilizados: Mora; Jorge Humberto, Wires e Ronaldo
Treinador: João Eusébio


F.C. Porto: Helton; Sapunaru, Rolando, Bruno Alves e Fucile; Fernando, Lucho «cap.» e Raul Meireles; Mariano, Lisandro e RodríguezSubstituições: Mariano por Hulk (60m), Fucile por Lino (60m) e Raul Meireles por Candeias (78m)
Não utilizados: Nuno; Pedro Emanuel, Farías e Tomás CostaTreinador: Jesualdo Ferreira


Ao intervalo: 0-0
Disciplina: cartão amarelo para Rolando (21m), Fucile (23m), Livramento (29m), Lucho (47m), Hulk (81m) Rodríguez (90m)

Mesmo admitindo que Pedro Proença é um árbitro deliberadamente desonesto, dada a sua conotação ao SLB, pois conseguiu escamotear duas grandes penalidades a favor do FC Porto. A primeira: transformou uma falta descarada sobre o Hulk, num cartão amarelo a penalizar uma suposta tentativa de enganar o juiz do jogo. A segunda: resolveu fechar os olhos a uma mão evidente do defensor Gaspar do Rio Ave.
Não obstante a exibição do FC Porto não foi suficientemente consistente, autoritária de modo a convencer e agradar aos adeptos do FC Porto. Em contra partida o modesto Rio Ave demonstrou uma excepcional atitude, uma grande entre-ajuda entre todos os elementos da equipa, um futebol de conjunto muito promissor! E se compararmos os orçamentos das duas equipas, fàcilmente chegaremos à conclusão que a equipa do Rio Ave justifica muito mais os valores que aufere.
Outra questão que me parece pertinente chamar a atenção, é o baixo rendimento de algumas pedras base da equipa do FC Porto. O ritmo lento de jogo. A ausência de automatismos que ainda se verifica na equipa.
Lacuna: esta equipa do FC Porto tem necessidade de encontrar urgentemente um especialista para a posição de trinco. Que tenha grande personalidade, autoritário, detentor de boa técnica, tanto no jogo aéreo (jogo de cabeça) como nas intercepções do futebol à flor da relva. Com boa colocação no terreno e boa visão de jogo. Exemplo: Costinha, Patrick Vieira. Isto se quiser realmente ter pretensões à conquista do título de campeão português, e, inclusíve pretensões a chegar longe na Champions.
O Fernando poderá vir a ser um bom trinco, porem neste momento tenho a certeza absoluta que não tem nível técnico nem experiencia suficiente para jogar nesta equipa do FC Porto. Tem dificuldade em recepcionar um simples passe dum colega, atrapalha-se com a bola, perdendo algumas vezes o controle do esférico para os adversários. Ainda não consegue ter serenidade, nem segurança no passe, alem da já referida falta de experiencia.

Constatações / Análises
Pelos vistos qualquer treinador de qualquer outra equipa do nosso campeonato, é tão bom ou melhor estratega do que Jesualdo Ferreira, actual técnico do FC Porto, com a agravante destas equipas terem todas orçamentos muito mais baixos!
Lances polémicos
PS - Bruno Alves, aos 80, na marcação de um livre directo, viu Paiva defender para o poste esquerdo. No seguimento desse mesmo lance, surgiu a grande penalidade de Gaspar a que o juiz do jogo resolveu fechar os olhos.
Cartão amarelo exibido ao Hulk por pretenso atirar-se para a piscina! O que eu vi nas imagens da Sport TV1 foi o Gaspar a rasteirar por trás o Hulk.

Dado que neste momento a equipa de futebol do FC Porto não tem um jogador que desequilibre, um jogador que verdadeiramente faça a diferença, tem de ser a equipa no seu conjunto a resolver os problemas, a ganhar os jogos.

João Eusébio - Treinador do Rio Ave (declarações)
... "O jogo teve dois momentos. O Rio Ave esteve muito por cima até ao intervalo e foi uma equipa segura nas transições, até porque, e ao contrário do que muita gente pensa, o FC Porto não é uma equipa de futebol organizado. Sem posse de bola faz um bloco médio/baixo e procura espaços para explorar o seu ponto forte, as transições", disse o técnico, elogiando os seus jogadores que, "nos momentos em que estiveram por cima, tentaram fazer um golo".Reconhecendo que a sua equipa teve "um pouco de sorte" na segunda parte, Eusébio lembra, porém, que o Rio Ave "soube sofrer, foi solidário e teve um ou outro jogador experiente que soube alterar ritmos quando o FC Porto esteve por cima". Apesar do equilíbrio, reconheceu que se o jogo tivesse um vencedor, "esse seria o FC Porto". "Mas os jogadores estão de parabéns, pois cumpriram com tudo", completou.

2 comentários:

  1. 60 minutos miseráveis, do pior que tenho visto e eu já vi muita coisa. Depois, 30 minutos melhores, porque o R.Ave deu o estouro e deixou de atacar.Mas, mesmo no melhor período a exibição foi confusa, trapalhona, com vários jogadores no mesmo lado - houveram jogadas do lado esquerdo com Lino, C.Rodríguez e Lisandro todos juntos e ninguém na área para finalizar - e ninguém capaz de encontrar as melhores soluções, para marcar apenas um golinho.Já tinha sido assim na Luz quando o Benfica recuou.

    Árbitro errou de facto,mas desculpar-mo-nos com esse erro, é redutor, é fazer, o que fazem os Chorinhas Clube de Portugal e é para sacudir a água do capote.
    Equipa cansada?!...O F.C.porto tem um orçamento 30 vezes superior ao do R.Ave se aqueles estavam cansados, jogavam outros que é para isso que temos planteis de 25 jogadores. Se eles não servem, se estão lá apenas para fazer número, então está alguma coisa mal.

    Depois das criticas aos assobios, os profissionais do Porto perderam a oportunidade de "dizerem", com uma vitória e uma exibição normal, que os adeptos tinham sido injustos.

    O que faz um treinador quando tem um jogador super-moralizado como estava Lino? Mete-o no banco?

    Não é caso para atirar a toalha, mas é caso para reagir em voz alta contra a pobreza franciscana da exibição portista.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Vila Pouca, tens razão como sempre.
    Por aquilo que pude ver,há ainda uma outra razão que me parece importante referir e que contribui imenso para o insucesso da equipa do FC Porto.O Fernando pode vir a ser um bom trinco,neste momento atrapalha-se na recepção da bola a passes dos colegas,chegando a perder o controle do esférico para os adversários.Ontem pelo menos,aconteceu algumas vezes!
    A equipa precisa dum trinco "mandão,autoritário,experiente,com boa colocação no terreno e boa visão dos lances.Tipo: Patrick Vieira ou até Costinha.Isto é se quiser ter pretensões a chegar longe no campeonato e na Champions.

    Abraço

    ResponderEliminar

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.