domingo, 14 de agosto de 2011

Futebol_Liga: Vitória de Guimarães o FC Porto 1

Começo a análise do jogo com um reparo à actuação do juiz do apito o Sr. Benquerença. Se é verdade que teve a coragem de marcar a grande penalidade contra o Vitória quase ao findar a primeira parte, por carga do Olímpio sobre o Sapunaru, também é certo e motivo de crítica o facto de na segunda parte ter fechado os olhos a muitos agarrões/cargas à margem das leis, dos defesas do Vitória aos avançados do FC Porto que ficaram sem a respectiva sanção disciplinar! Algumas vezes em plena grande área do Vitória! Com outro juiz do apito com mais firmeza de carácter, por exemplo um árbitro inglês ou alemão, os defesas vimaranenses ou moderavam as suas  entradas ilegais, ou de certeza que acabariam por ir tomar banho mais cedo. E seriam mais as grandes penalidades contra o Vitória.
É por isso que daqui, do meu blog, exorto os avançados do FC Porto a serem mais corajosos e a terem mais espírito de sacrifício quando acontecer jogarem em estádios como o do Vitória de Guimarães, onde o público parece preocupar-se pouco com as leis do jogo e se os seus jogadores actuam ou não dentro das regras estabelecidas! E meus amigos o FUTEBOL é um desporto de alta competição com regras bem definidas, as quais existem para não serem constantemente violadas. 
O que é preciso é que os juízes do apito em Portugal tenham firmeza de carácter e coragem suficiente para resistirem à pressão dos espectadores presentes nos estádios, e estejam à altura da missão confiada que é fazer cumprir os regulamentos. E isto não só contra os Dragões...! Ou há moralidade ou comem todos!

























VITÓRIA SC: Nílson; Alex, N’Dyaie, João Paulo e Anderson; El Adoua e Leonel Olímpio; Faouzi, Barrientos e Targino; Toscano
Substituições: Leonel Olímpio por João Alves, Targino por Paulo Sérgio e Faouzi por Saucedo (65m)
Não utilizados: Douglas, Freire, Bruno Teles e Pedro Mendes
Treinador: Manuel Machado
FC PORTO: Helton «cap.»; Sapunaru, Rolando, Otamendi e Fucile; Souza, Guarín e João Moutinho; Hulk, Kleber e Varela
Substituições: Guarín por Rúben Micael (48m), Kleber por Falcao (67m) e Varela por Belluschi (73m)
Não utilizados: Bracali, Maicon, Alvaro e Djalma
Treinador: Vítor Pereira
Ao intervalo: 1-0
Marcadores: Hulk (45m, g.p.)
Disciplina: cartão amarelo a João Moutinho (39m), Luís Olímpio (44m), Anderson (45m), El Adoua (45m+3), Souza (70m), Rolando (77m) e Paulo Sérgio (90m+2)

14/08/2011 - "GANHÁMOS COM TODA A JUSTIÇA"

Vítor Pereira: “ Foi complicado assentar o jogo”
“Tentamos circular e ter mais bola, mas isso não é fácil com este Guimarães, que aposta muito nas bolas longas e nas segundas bolas. Ou se tem bola para marcar o ritmo ou o jogo entra numa espécie de ténis, com a bola ganha e batida na profundidade. Foi complicado assentar o jogo, ainda para mais num terreno como este, que não nos permitiu circular a bola como deve ser. Sentimos dificuldades, face a um Guimarães muito agressivo, e que fez uso dessa agressividade em crescendo, com a permissão do árbitro. Penso que ganhámos com toda a justiça.”
Sacrifício, empenho e solidariedade
“Estamos no primeiro jogo. Quem atribuiu o favoritismo ao FC Porto foi a própria imprensa. O que eu admiti foi que, face ao que fizemos na época passada, é normal que os jornalistas nos atribuam o favoritismo, mas ele tem que ser provado em cada jogo, com sacrifício e muito trabalho. Quando não é possível ter muita qualidade, apelamos ao sacrifício e ao compromisso colectivo. O FC Porto adapta-se às circunstâncias, os jogadores são solidários e comprometidos com as vitórias. Foi um jogo complicado, num campo complicado, perante uma massa associativa que dá um apoio muito grande à equipa. Foi o jogo possível e uma vitória conseguida com sacrifício, empenho, solidariedade e, a espaços, qualidade.”
João Moutinho: "Soubemos sofrer"
“Foi um jogo muito difícil contra um adversário bom tacticamente, bem posicionado. Sabíamos que tínhamos de ter a bola para conseguir os melhores espaços para finalizar. Foi um bom jogo em que soubemos sofrer, o que também é preciso, e saímos daqui com uma excelente vitoria na primeira jornada.”
Atitude e trabalho
“Entramos em todos os jogos para conseguir a vitória. Foi difícil, mas há que realçar a atitude dos jogadores e adeptos e continuar a trabalhar para que as vitórias continuem a surgir. O que importa somos nós, não os resultados dos outros, pelo que vamos continuar a trabalhar da mesma forma, para que o FC Porto entre em todos os jogos para ganhar. Estou muito bem aqui, sempre o disse, e vou continuar a trabalhar.”

1 comentário:

Gaspar Ribeiro Lança disse...

Começámos da melhor maneira o campeonato. Não pela maneira de jogar, mas pela conquista dos três pontos pontos.

Num terreno (que de campo não tem quase nada...) muito difícil, contra um Vitória extremamente agressivo, conseguimos sobreviver e saímos de Guimarães com a segundas vitória oficial na temporada em outros tantos jogos. Uma das mais difíceis visitas já foi ultrapassada, agora é continuar a trabalhar para melhor cada vez mais o nosso jogo e revalidar o(s) título(s).

Um abraço