terça-feira, 10 de março de 2015

Champions-FC Porto goleia Basileia e está nos quartos de final

10/03/2015 - Bravo FC Porto! Grande noite, inesquecível, a que os Dragões realizaram hoje no Dragão!

Fantástica exibição da equipa portista que começou por pressionar alto, não deixando jogar o Basileia, para depois aplicar-lhe o código: chapa quatro.
A propósito, o seu treinador, o Paulo Sousa, na antevisão, prometeu um Basileia mais empreendedor, muito melhor do que no primeiro jogo, e, capaz de colocar dificuldades à equipa azul e branca. Só que os Dragões hoje com veia goleadora, consistentes e imparáveis, não deram tempo aos suíços para pensarem o seu jogo e aplicaram-lhe a receita do costume (4-0).


Análise à equipa portista

Toda a equipa foi segura e consistente, pelo que está de parabéns, pode-se no entanto realçar o primeiro golo de livre superiormente marcado pelo Brahimi, porque teve o mérito de abrir caminho à vitória dos Dragões. A bem dizer a história do jogo resume-se às jogadas dos golos e ao empenho da equipa do FC Porto em suster as tentativas atacantes do Basileia.
Se o golo do Brahimi foi um portento de técnica, os outros três: o de Herrera num remate de meia distância, fantástico de precisão e potencia, o de Casemiro de livre, também um remate fantástico de força e precisão, e, por fim o de Aboubakar, um potente tiro à entrada da área do Basileia, com o Aboubakar a ter que aguentar a pressão dos centrais suíços, é um hino ao futebol de ataque protagonizado pelo camaronês que hoje se revelou um artista da bola. Muito bem Aboubakar *******!


FC Porto                       Oitavos-de-final, 2.ª mão                         Basileia
                                                                                  
14' Brahimi 47' Herrera 56' Casemiro 76' Aboubakar

Terça-feira, 10 Março 2015 - 19:45 - Competição:UEFA Champions League
Estádio:Dragão, Porto - Assistência:43.108

Árbitro:Jonas Eriksson (Suécia)

Assistentes:Mathias Klasenius e Daniel Wärnmark; Martin Strömbergsson e Markus

Strömbergsson

4º Árbitro:Mehmet Culum

FC Porto: 12 Fabiano, 2 Danilo (c), 4 Maicon, 5 Marcano (55'), 26 Alex Sandro, 6 Casemiro

16 Herrera, 15 Evandro, 11 Tello, 99 Aboubakar, 8 Brahimi

Suplentes: 1 Helton, 3 Martins Indi, (22' Danilo), 7 Quaresma, (79' Evandro)

10 Quintero, 30 Óliver Torres, 36 Rúben Neves, (74' Brahimi), 39 Gonçalo Paciência

Treinador: Julen Lopetegui 

Basileia: 1 Vaclík, 34 Xhaka, 16 Schär, 6 Walter Samuel (49') (90+1'), 19 Safari (55')

20 Frei, 33 Elneny, 7 Zuffi, 25 Derlis González (38'), 9 Streller (c), 11 Gashi (30')

Suplentes: 18 Vailati, 3 Traoré, 4 Philipp Degen, 5 Ajeti, 14 Kakitani

(63' Frei), 36 Embolo , (57' Schär), 39 Callà, (77' Gashi)

Treinador: Paulo Sousa 


Análise ao jogo

O Futebol Clube do Porto continua como único representante português nas competições europeias. A equipa portista foi mais forte que o Basileia e conseguiu superiorizar-se por claros 4-0. 

Brahimi e Casemiro marcaram de livre direto, Herrera e Aboubakar de bola corrida, todos de fora da área suíça. Danilo assustou na primeira parte ao perder os sentidos.

O defesa brasileiro foi atingido pelo ombro do guarda-redes Fabiano e teve de sair de maca com um colar cervical. Danilo foi transportado para o Hospital de São João e chegou já consciente.

Onzes iniciais:

FC Porto - Fabiano; Danilo, Maicon, Marcano, Alex Sandro; Casemiro, Herrera, Evandro; Tello, Brahimi e Aboubakar

Basileia - Vaclík; Safari, W. Samuel, Schär, Zuffi; F. Frei, Elneny, Xhaka; Gashi, D. González e Streller

Jackson Martínez é a grande baixa na equipa portuguesa, devido a lesão. No lugar do colombiano vai estar Aboubakar, num onze sem mais nenhuma alteração a registar. No Basileia, Paulo Sousa também não apresenta surpresas.

Antes do jogo - O FC Porto parte para a receção ao Basileia em ligeira vantagem. O empate a um golo na primeira mão permite que os 'dragões' possam avançar sem marcar mais golos, desde que não sofram nenhum.

‘Dragões’ recebem o Basileia na segunda mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Empate sem golos basta para passar à próxima fase.

O Basileia deu o pontapé de partida no encontro da segunda mão dos oitavos da Champions, que se joga no Dragão.

13' - Golo de Brahimi. Livre direto cobrado de forma espetacular pelo argelino.

17' - Momento assustador no Dragão. Danilo choca com Fabiano e desmaia. Defesa brasileiro saiu de maca e foi substituído por Martins Indi.

43' - Basileia dá primeiro sinal de vida. Gashi remata com perigo ao lado da baliza portista.

Intervalo - Porto em vantagem por 1-0. Brahimi fez um grande golo de livre, mas acabou por ser Danilo o destaque. O lateral-direito foi atingido pelo ombro de Fabiano e perdeu os sentidos, tendo de sair com um colar cervical.

46' - Herrera amplia vantagem 'azul e branca'. Grande remate em arco do mexicano.

55' - Mais um golaço no Porto. Casemiro inspirou-se em Brahimi e fez mais um golo de live direto.

75' - Continua o espetáculo de golos. Aboubakar enche o pé direito e faz o melhor da noite.

90' - Fim do jogo no Dragão. Porto acaba com vitória 'gorda' e elimina Basileia. Quatro golos em remates de meia distância fizeram as delícias dos adeptos.

O FC Porto garantiu pela quinta vez a qualificação para os quartos-de-final da Champions League, após bater por 4-0 o Basileia, na segunda mão dos "oitavos". Após o empate (1-1) na Suíça, os Dragões garantiram um lugar entre as oito melhores formações da Europa com uma exibição vibrante e momentos de grande futebol, como os dos golos de Brahimi e Casemiro, em execuções irrepreensíveis de livres directos.

Esta demonstração de superioridade e classe fez relembrar a goleada (4-0) aos também suíços do Sion nas Antas, em 1992, que valeu o primeiro apuramento dos portistas para a prova, mas é importante realçar que foi apenas mais uma página numa prestação irrepreensível na competição. Apenas Chelsea e FC Porto se mantêm invictos e os azuis e brancos têm o segundo melhor ataque, com 21 golos, menos um do que o Real Madrid, o outro apurado para os quartos-de-final já conhecido.

No arranque do jogo os dados eram claros: os Dragões estavam em vantagem pelo empate fora, mas assumiriam as despesas do jogo. Isto confirmou-se, assim como uma maior passividade do Basileia, que juntava muito as suas linhas quando perdia a bola. Porém, não se esperava que os suíços exercessem uma pressão tão forte e tão alta sobre os jogadores do FC Porto. No entanto, todos estes dados passaram a ter menos importância aos 14 minutos, quando Brahimi, na conversão perfeita de um livre à entrada da área, em folha seca, fez o 1-0 e o seu 12.º golo em jogos oficiais esta temporada. O Estádio do Dragão, quase cheio, festejou efusivamente um grande momento: isto é Champions! O lance surgiu depois de uma falta de Walter Samuel, que escapou ao amarelo, sobre Tello.

Casemiro, com um remate de fora da área, aos 15 minutos, esteve perto do 2-0, mas logo a seguir os Dragões sofreram uma grande contrariedade: Danilo chocou com Fabiano e caiu desamparado no relvado, aparentemente inconsciente. O brasileiro, que era pela primeira vez, desde o início de um jogo oficial, capitão dos Dragões, teve de sair do estádio numa ambulância. Alex Sandro passou para o lado direito da defesa e Martins Indi entrou para o lugar de Alex, posicionando-se na esquerda da defesa.

Nos minutos seguintes sentiu-se, fora e dentro do campo, pelo menos entre os portistas, algum desconforto. Porém, um tiro de Aboubakar que rasou a baliza de Vaclík, aos 33 minutos, voltou a focar os azuis e brancos, que bem precisavam de atenção para evitar as entradas dos suíços. Para além da dureza habitual de Samuel - é quase milagroso que apenas tenha sido expulso já nos descontos -, destaque para um lance em que Gashi deu uma cotovelada na face de Martins Indi mas escapou apenas com amarelo. O Basileia só rematou à baliza de Fabiano aos 42 minutos e criou perigo pouco depois, num lance finalizado por Gashi.

Apesar da já prevista, devido a lesão sofrida em Braga, ausência de Jackson, e da saída de Danilo, os forasteiros passaram grande parte da primeira parte em busca de uma máscara de oxigénio, tal era a avalanche dos azuis e brancos. Porém, o pior para os suíços ainda estava para vir. O FC Porto voltou a ter uma entrada fortíssima no segundo tempo e chegou ao 2-0 logo aos dois minutos, num remate de fora da área de Herrera. Apenas nove minutos depois, Casemiro arrumou de vez com a eliminatória, ao fazer o 3-0 em mais uma conversão fantástica de um livre directo, tanto em força como em colocação. O jogo bem que poderia ter terminado aqui, com o Basileia a acenar uma bandeira branca e o espectáculo a terminar no seu momento alto.

Havia porém que cumprir o tempo que restava, necessariamente menos intenso do que os primeiros 56 minutos. Deu para Fabiano brilhar, na defesa a um remate de Zuffi, e para Aboubakar fazer o 4-0, num slalom impressionante que terminou com mais um remate ao ângulo da baliza de Vaclík, que bem deve ter amaldiçoado esta viagem a Portugal.

 
Lopetegui: “É um dia para estar muito orgulhoso”

Um FC Porto que chegou aos limites, que deu uma resposta à altura do momento; em suma, um FC Porto das grandes noites europeias.


“É um daqueles jogos em que um treinador tem que estar muito orgulhoso. A equipa fez um grandíssimo jogo, mostrou carácter, ambição e personalidade durante todo o jogo. É, de facto, um dia para estar muito orgulhoso por tudo o que fizemos. Parabéns à equipa pela grande exibição”, afirmou o técnico espanhol, em declarações no final do jogo no Estádio do Dragão.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.