domingo, 29 de junho de 2008

Propaganda para saloio (lampeões) ver


Mais um oportuno artigo do notável jornalista Jorge Maia, que merece meditação.

Propaganda

Jorge Maia

A utilização da propaganda para influenciar a consciência colectiva durante um conflito não é exactamente uma novidade. O conceito de apresentar informação de forma parcial e conscientemente falsa com o objectivo de servir uma determinada agenda é quase tão ancestral como a civilização ocidental e o termo em si tem origem na Sagrada Congregação Católica Romana para a Propagação da Fé, em pleno século XVII. De resto, foi durante a Primeira e a Segunda Guerra Mundial que a sua utilização nos grandes conflitos atingiu o auge, mas a verdade é que, pelos vistos, continua tão actual hoje como nos tempos em que Joseph Goebbels dirigia o Ministério da Propaganda de Hitler. Tomem-se como exemplo as últimas notícias sobre as contratações do Benfica para a próxima temporada. De repente, todos os jogadores que assinam pelos encarnados e até alguns dos que já deixaram o clube da Luz, das grandes vedetas internacionais aos mais obscuros ex-juniores, todos, sem excepção, garantem ter sido contactados pelo FC Porto. Sem sucesso, claro, graças à intervenção determinada dos dirigentes encarnados. De tal forma que não tenho dúvidas: se fizermos as contas, lá mais para o final do defeso, vamos todos chegar à conclusão que o FC Porto tentou "roubar" uma boa dezena de jogadores aos encarnados, mas apenas foi bem sucedido no caso de Rodríguez. Ora, um resultado de 10-1 é coisa que já não se usa. Mais ou menos como este tipo de propaganda.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.