sexta-feira, 19 de março de 2010

Alan Kardec - Um goleador alto e possante


Bem prega Frei Tomás...! 

É só para chamar a atenção: por onde anda o Scouting do FC Porto que não justifica o vencimento que aufere...!
Fartei-me de chamar a atenção dos responsáveis pela FC Porto-Futebol,SAD em vão. Andam nitidamente a dormir porque deixam fugir os craques para o nosso principal inimigo que são os "galinhas", finalmente a actuar como águias, reconheço.

"Fiquei à espera e foi um belo chuto"

Um verdadeiro herói improvável. Assim se pode definir Alan Kardec no encontro de ontem com o Marselha, no qual saltou do banco para oferecer literalmente a passagem dos encarnados aos quartos-de-final da Liga Europa. O golo não só foi de belo efeito, como ajudou a fazer a história: o emblema da Luz bateu os franceses no seu reduto e Jorge Jesus pode orgulhar-se de já ser o treinador com mais vitórias numa caminhada europeia em toda a história do clube.
No final do encontro, o ponta-de-lança não conseguia esconder o contentamento pelo tento alcançado. "Foi uma tremenda felicidade marcar este golo", sublinhou, partindo para a descrição do lance: "Fiquei à espera da bola e foi um belo chuto!" Na altura, confessou o reforço benfiquista, sentiu "um grande alívio, porque foi importante." "Ainda para mais foi um golo já nos descontos. Foi o golo 100? É uma bela marca, mas mais importante do que marcar é conseguir vitórias."
Selada a passagem aos quartos-de-final da Liga Europa, vem aí a final da Taça da Liga, no próximo domingo, frente ao FC Porto, onde o ponta-de-lança garante não existirem favoritos. "Agora, vamos pensar no nosso trabalho. Neste tipo de jogos grandes não há favoritos", atirou.
De resto, o camisola 31 já não marcava há mais de cinco meses. A última vez que abanou as redes adversárias foi a 13 de Outubro do ano passado, ao serviço da selecção brasileira de sub-20, tendo apontado o golo da vitória sobre a Costa Rica, que valeu na altura a passagem à final do Mundial da categoria, que decorreu no Egipto.

4 comentários:

  1. De facto, tens toda a razão, o Scouting do F.C.Porto só tinha ganhar com um especialista como tu...


    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Vila Pouca, desconhecia essa tua faceta irónica...! Será influência do teu ídolo...!

    1) Na altura chamei a atenção de quem de direito para o jogador em causa (Kardec). E não só! Se quem de direito (FCP)não andasse a dormir o médio Tiago que foi do Braga para os lampeões teria tido outro destino. Mas este jogador que joga em Itália e está na selecção Nacional tb não vale nada.
    2)É verdade que não sou expert no assunto, no entanto se prestasses um pouco mais de atenção aos comentários que deixam no teu Blog, dar-me-ías razão,porque o número dos portistas que contestam algumas das últimas contratações é grande e com tendência a aumentar.
    3)As tuas ironias no aspecto da avaliação do nível dos jogadores não me afecta grandemente, porque já constatei que eu não sei nada, mas em contra partida tu és uma autêntica sumidade no assunto!!!
    Só que enquanto eu consigo ver quem sabe jogar futebol, quer seja Azul e Branco ou adversário, tu dás a impressão que és Camões...!

    Um abraço

    ResponderEliminar
  3. O teu problema é que pensas que sabes, mas não sabes nada e o exemplo que não sabes nada é o Tiago, que tinha tudo tratado para vir para o F.C.Porto e depois o presidente do Braga, um tal Fernando Oliveira, roeu a corda e levou-o para o Benfica juntamente com o Armano Sá e o Ricardo Rocha.

    Quanto ao Camões, tens toda a razão eu só tenho olhos para o F.C.Porto...Fim de conversa.

    ResponderEliminar
  4. O facto de roerem a corda se roeram, só prova falta de habilidade negocial.
    Quanto ao facto de eu saber ou não, é claro uma sumidade como tu é o bastante para aferir a minha falta de competência!

    1)Sabes o que eu te digo: presunção e água benta cada um toma a que quer!

    2) Não vá o sapateiro alem da chinela!
    E ponto final...!

    Em questão de assuntos técnicos não há dúvida és uma sumidade...e ponto final digo eu.

    ResponderEliminar

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.