domingo, 21 de março de 2010

Taça da Liga - S L Benfica 3 FC Porto 0

Ao intervalo SLB 2 FC Porto 0
Mais um vergonhoso desaire ! Tão mal se joga no reino do Dragão!
Nada que eu já não tivesse previsto nos comentários que tenho vindo a fazer.
Se bem que em alguns pormenores o árbitro  Jorge Sousa possa ter tido alguma influência no desfecho do jogo pois foi permissivo para a equipa do Benfica e extremamente rigoroso com os jogadores Azuis e Brancos mostrando aos Dragões alguns amarelos injustificáveis, há no entanto acima de tudo a registar uma grande atitude (agressividade, velocidade, resistência), uma maior capacidade dos encarnados para defender, marcando em cima os adversários mais perigosos, e jogando em antecipação.
Está visto que Jesualdo Ferreira como treinador é muito inferior ao Jesus. Só um insensato põe um reformado cheio de reumático (Nuno) na baliza do FCPorto...!!!
A equipa Azul e Branca provou estar mal preparada mal treinada...etc...etc...!
                  
Ficha do jogo - Final da Taça da Liga 2009/10 (21 de Março de 2010)
Estádio do Algarve
Assistência:
 23.437 espectadores

Árbitro: Jorge Sousa Assistentes: José Ramalho e José Luís Lima 4º árbitro: Duarte Gomes


BENFICA: Quim; Maxi Pereira, Luisão «cap.», David Luiz e Fábio Coentrão; Airton e Carlos Martins; Ruben Amorim, Aimar e Di Maria; Kardec
Substituições: Aimar por Saviola (62m), Carlos Martins por Ramires (67m) e Kardec por Cardozo (77m)
Não utilizados: Moreira, Javi Garcia, Nuno Gomes e Sidnei
Treinador: Jorge Jesus


FC PORTO: Nuno; Miguel Lopes, Rolando, Bruno Alves «cap.» e Alvaro Pereira; Fernando, Rúben Micael e Raul Meireles; Belluschi, Falcao e Rodríguez
Substituições: Miguel Lopes por Fucile (46m), Rúben Micael por Valeri (46m) e Belluschi por Orlando Sá (70m)
Não utilizados: Beto, Guarín, Maicon e Tomás Costa
Treinador: Jesualdo Ferreira 


Ao intervalo: 2-0 Marcadores: Rúben Amorim (9m), Carlos Martins (44m) e Cardozo (90m)
Disciplina: Cartão amarelo a Miguel Lopes (10m), Belluschi (37m), Maxi Pereira (38m), Bruno Alves (45m), Aimar (45m), Raul Meireles (51m), Fábio Coentrão (85m) e Ramires (89m)


JESUALDO FERREIRA: «FC PORTO TEVE UMA GRANDE ATITUDE»
«Foi um resultado volumoso para aquilo que foi o jogo. O FC Porto, durante 90 minutos, teve uma grande atitude. Passámos por cima dos problemas e das infelicidades, que continuaram no jogo, do ponto vista do momento dos golos e da forma como aconteceram, quando não havia uma definição do jogo. Os golos acabaram por marcar o resultado e a conquista do troféu. Não houve superioridade de uma equipa sobre a outra, foi um encontro equilibrado. Apraz-me registar como a equipa se bateu e lutou com muita dignidade. Foi um jogo que nos correu mal. Perdemos um troféu que queríamos ganhar, mas há outros ainda para conquistar.»

O que correu mal (o meu comentário)
A opção pelo Nuno para defender a baliza do FC Porto revelou-se acima de tudo uma decisão desastrada. Depois contra uma equipa a atravessar um bom momento de forma, que defende bem e utiliza um contra ataque eficaz, aconteceu a catástrofe. Já era difícil contra uma equipa altamente moralizada e levada ao colo pelas arbitragens, então com os dois escandalosos frangos do  Nuno transformou-se numa missão impossível.

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Resposta de portista para portista.

    Eu bem digo mas o amigo prefere ignorar, afinal a julgar pela totalidade dos comentários feitos no seu blog, quem tem razão sou eu e não o amigo, embora tente camuflar (distorcer) este facto.
    É que o amigo por mais que tente dourar pílula, está visto que com paninhos de lã não vamos lá...

    ResponderEliminar
  3. Não há palavras para descrever o jogo de ontem. Por quanto tempo vai isto continuar? É triste muito triste, mas mais triste ainda é a atitude da claque. Pior que isso, só o Bruno Alves, que a partir de ontem deixaria, por mim, de ser capitão.

    ResponderEliminar
  4. Tem razão Gaspar, porem é muito difícil remar contra a maré. E a maré foi o facto do Jorge Sousa, talvez influenciado pela conversa que teve antes do jogo com o Rui Costa, ter usado dois pesos e duas medidas na avaliação dos lances, tendo sido deveras permissivo para os jogadores encarnados e extremamente rigoroso para os jogadores Azuis e Brancos, digo até que intimidou com a amostragem de alguns cartões amarelos injustificáveis. Temos de concordar que esta situação enerva e de que maneira...!Só quem lá está dentro é que pode avaliar.

    ResponderEliminar

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.