quinta-feira, 5 de junho de 2014

Enredos e candidatos à presidência da Liga de Clubes

05/06/2014 - Rui Alves e Paulo de Carvalho, candidatos à presidência da Liga de Clubes nas eleições agendadas para o próximo dia 11 deste mês de Junho, vão, segundo consta, fundir as respectivas listas.
A lista única resultante dessa aliança deverá ser anunciada nas próximas horas.
Recorde-se que o prazo estipulado para entrega das listas concorrentes ao ato eleitoral encerra às 11 horas desta sexta-feira, na sede da Liga de Clubes, no Porto.

Boas ideias

Paulo de Carvalho, que foi presidente do Rio Ave durante uma década, formalizou na manhã desta terça-feira, na Alfândega do Porto, a sua candidatura à presidência da Liga de Clubes, sob o lema "Acredita Futebol", com um projecto "verdadeiramente profissional" que assenta em três pilares: clubes, adeptos e sponsors. O candidato não deixou de tecer críticas a outros concorrentes à cadeira da presidência do organismo do futebol profissional. "Espero que a demagogia não ganhe nas urnas", vincou, para depois esclarecer:
"Não nos candidatamos para ser a comissão liquidatária da Liga! Não fui nem sou autarca, como não fui nem sou comentador desportivo. Assim, podem julgar-me pelo meu trabalho como dirigente desportivo", disse Paulo de Carvalho, deixando um aviso:
"Pretendo fugir ao subsidiarismo e também de uma eventual troika que possa surgir no futebol".
Os cinco compromissos assumidos por Paulo de Carvalho como candidato à presidência da Liga de Clubes passam por criar uma "central de compras" (Liga Comercial), mas também a Liga Portugal TV e a Academia da Liga (Formação Técnica), além de dinamizar a promoção do espectáculo e potenciar os sponsors.

O que faz correr os candidatos do Benfica?!
(não basta controlarem a FPF, agora também querem a Liga)

Rui Rangel anunciou hoje o seu apoio à candidatura de Fernando Seara à presidência da Liga, abdicando, assim, de avançar para o cargo. "Foi possível fundir os princípios de duas listas com ideias, estratégias e programas comuns. Pretendemos uma Liga forte, coesa, sustentável financeiramente e credível, sem sem estar em rota de colisão com a FPF", disse Rangel.
(a favor do Benfica digo eu...!)

Mário Figueiredo agarrado como lapa ao poder, não se revê no ridículo

Mário Figueiredo, actual presidente da Liga de Clubes, convocou, ao princípio da noite deste domingo, os jornalistas para anunciar a sua recandidatura a um novo mandato.

Recorde-se que este deverá ser o acto eleitoral (11 de Junho) mais concorrido de sempre na história da Liga de Clubes, já que para além de Mário Figueiredo perfilam-se candidaturas à presidência de Fernando Seara, Vítor Ferreira, Paulo Teixeira, Paulo Carvalho, Rui Rangel, Júlio Mendes e Rui Alves.

O truculento Bruno de Carvalho no seu melhor

Em trânsito em Ponta de Delgada a caminho de Boston, Bruno de Carvalho foi corrosivo quando questionado sobre qual o candidato que apoiará nas eleições para a presidência da Liga. O presidente do Sporting denunciou o que entende estar podre nas estruturas que regem o futebol nacional com uma linguagem satírica, mas ainda sem revelar qual será a sua escolha.
"Gosto de explicações simples para fenómenos complexos. O futebol português funciona como um ânus, que tem duas nádegas a dizerem uma para a outra 'eu sou melhor do que tu'. Aquilo ou funciona ou sai trampa e vento mal cheiroso. É disso que o futebol português está cheio", atirou para sem se deter reforçar: "Qual será o nosso candidato? Vamos ver quem tem o autoclismo maior."
Sem citar os nomes dos clubes, Bruno de Carvalho aludiu ainda a uma suposta união de forças do futebol português, bipolarizando-o para excluir o Sporting. "O futebol também tem o seu Deus, temido por todos, amado por cada vez menos e odiado por muitos. Apesar de não fazer parte direta do mundo do futebol, mas montam o sistema de que todos falam. São as rajadas violentas do norte, que se juntam aos ventos do sul através desse Deus. Assim, o futebol fica bipolarizado sem ódios. Só existem circos para fora. Por dentro estão unidos na manutenção desses sistema, que manipula os clubes mais pequenos e faz com que um grande como o Sporting nunca chegue onde quer, por ser incómodo e dizer sempre a verdade"(entenda-se: a verdade que convém ao Sporting).

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.