terça-feira, 17 de junho de 2014

Miguel Sousa Tavares- comentário sobre as eleições na Liga

17/06/2014 - Excerto da crónica de Miguel Sousa Tavares
6 – O desfecho das eleições da Liga seria de morrer a rir às gargalhadas, se não fosse o sinal que faltava da podridão em que aquela instituição caiu. Através de anunciados “ventos e fezes”, Bruno Carvalho lá conseguiu fazer eleger o seu candidato imaculadamente limpo, garantindo, com a reeleição do inqualificável Mário Figueiredo, a continuação do apoio da Liga em momentos decisivos. Mesmo que, num universo eleitoral de 35 clubes, só 7 tenham votado nele, com todos os outros a reclamarem da chapelada ao pior nível de uma qualquer República da Bananas. Eu sei que há gente para tudo, mas nunca tinha assistido a alguém capaz de se agarrar ao poder, numa suposta democracia, com um cardápio de truques tão imaginativo quanto destituído de qualquer resquício de pudor. Tenham, pelo menos, a noção do ridículo de não voltarem a falar da credibilização do futebol português!
Os autores de casos de polícia não podem ser polícias de casos. Que grande época se perspectiva!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.