quinta-feira, 12 de junho de 2014

Mais uma voz contra a golpada patrocinada por Carlos Deus Pereira

 12/06/2014 - Mas não obstante Carlos Deus Pereira (uma personalidade muito próxima de LF Vieira) alcandorou-se ao que o seu nome sugere e assumiu que podia escrever torto por linhas direitas.
O homem está convencido que é omnipotente, incontroverso e indiscutível! Vai daí e toca a agir que se faz tarde. Na óptica dele, todos aqueles que o contestam estão errados porque ele tem a verdade na manga e o pessoal tem de se vergar às suas decisões (dele), caso contrário entram as forças da lei, ao seu serviço, em acção...!

Tiago Ribeiro Presidente do Estoril Praia

"Que golpada tão grande"

 O presidente do Estoril admitiu esta quarta-feira que "nem nos piores pesadelos pensaria ser possível uma golpada tão grande" como a que garantiu ter assistido no ato eleitoral para a presidência da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP)

Tiago Ribeiro esclareceu esta quarta-feira, à saída da sede da LPFP, no Porto, que para "a grande maioria dos clubes, este acto eleitoral não tem qualquer legitimidade".

"O acto eleitoral, na nossa maneira de ver, nem se iniciou. Havia uma proposta para proceder à anulação do acto porque estava viciado e carregado de ilegalidades desde o início. Mas, o presidente da assembleia-geral (Carlos Deus Pereira) achou que não devia aceitar e dar inicio às eleições", explicou o líder do Estoril.

O presidente do clube "canarinho" prosseguiu:
"No final, no universo de 51 votos, foram apenas registados 10 (mais dois em branco)".
"Infelizmente, o que está a acontecer aqui é uma completa ilegalidade, com reflexos criminais, e que têm que ser apurados pelo Ministério Público, pela Procuradoria. E, nós, vamos impugnar todo o ato eleitoral, que no nosso entender não tem legitimidade nenhuma", frisou.

Como solução, Tiago Ribeiro admitiu seguir a sugestão do presidente da Académica, José Eduardo Simões, de iniciar uma greve, atrasando, desse modo, o início dos campeonatos profissionais.

"Foi sugerido por um dos presidentes que se faça uma greve e, no limite, é uma medida que pode ser tomada se nada mudar. Mas, até lá, acredito que os nossos tribunais, o Ministério Público e a Procuradoria-geral vão intervir", disse.

Tiago Ribeiro assumiu culpas: "Nem nos nossos piores pesadelos pensávamos que a golpada pudesse ser tão grande. Temos que fazer 'mea culpa', porque houve um pouco de inércia da nossa parte durante um tempo. Até porque nós acreditávamos que no acto eleitoral iria haver a tal democracia".

"Mas, nem nos meus piores pesadelos imaginava que pudesse acontecer algo como o que aconteceu hoje. Agora, é lutar com todas as armas", finalizou o presidente do Estoril.

1 comentário:

  1. Registo:

    À tua esclarecedora argumentação pode-se considerar "pôr os pontos nos Is"...!

    Caso o clube do rego... seja os dos calimeros, faltou-te citar o Boavista... estes também a navegar em águas muito turvas...!

    Estou com curiosidade de ver até onde vai o desplante do homem de mão do Vieira o presidente da assembleia geral da LPFP Carlos Deus Pereira.
    O tipo actua impunemente como se fosse aquele que o nome sugere...à revelia da maioria dos associados da Liga e pelos vistos impondo os seus discutíveis critérios com o apoio das autoridades! A própria PSP contribuiu para impor a golpada...!
    O fulano deve pensar assim: ("eu tenho um olho e por isso sou rei em terra de cegos") aqui quem manda sou eu e quem não se curvar às minhas decisões será proscrito...!!!

    Os clubes vão impugnar as eleições, vamos ver de que lado está o ministro do desporto.

    Abraço
    AM

    ResponderEliminar

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.