quinta-feira, 12 de junho de 2014

LF Vieira protagoniza o cúmulo do cinismo e hipocrisia

12/06/2014 - O apelo conciliatório de Vieira no sentido de ajudar os golpistas Carlos Deus Pereira e Mário Figueiredo a manterem-se nos cargos dirigentes da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, é patético e transborda cinismo e hipocrisia, porque é público que os golpistas colaboram e são cúmplices de LF Vieira não só neste caso das eleições da Liga. Aliás, não foi por acaso que jantaram juntos muito recentemente a fim de combinarem e elaborarem o modo de actuação a ser posto em prática nas eleições para os corpos dirigentes da Liga, e, do qual resultou a maior desfaçatez, a maior vergonha de todos os tempos do futebol português.
 
PS - O cúmulo do cinismo e hipocrisia

 "Temos obrigação de ajudar Mário Figueiredo", diz presidente do Benfica

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, reagiu ao ato eleitoral para a Liga Portuguesa de Futebol Profissional, assumindo a obrigação de ajudar o presidente reeleito, Mário Figueiredo, a encontrar com os clubes uma solução conciliatória (entenda-se a manutenção da actual direcção).


Vieira apanhado em flagrante. Põe finalmente a nu a sua estratégia golpista.

"Não expressei publicamente qualquer opção para o presente ato eleitoral, mas chegados aqui, e uma vez eleito Mário Figueiredo, acho que temos a obrigação de o ajudar, dando-lhe a oportunidade de, com os clubes, procurar uma solução conciliatória", escreveu o presidente do Benfica em comunicado publicado no sítio do clube.

Pois, não convém levantar ondas denunciando os golpistas...!

O presidente dos "encarnados" considera que fazer outra coisa que não esta que sugere, prolongando nos tribunais uma disputa legal, "em nada beneficiará o futebol português".


Ah, ah, ah, esta seria mesmo para rir, se o processo não fosse tão tristemente vergonhoso...

Aludindo ao ato eleitoral que hoje se realizou na Liga, do qual resultou a reeleição de Mário Figueiredo na presidência do organismo, Luís Filipe Vieira manifestou o entendimento de que "não há vencedores nem vencidos", mas apenas "um processo eleitoral que não dignificou o futebol português".

Vai daí, há que salvar justificando o cúmplice...!

Vai mesmo mais longe, ao considerar que Mário Figueiredo, "ao contrário do que muitos querem fazer crer, não é o culpado da situação" a que se chegou na Liga, embora reconheça que, "em alguns momentos, poderia ter assumido uma posição mais conciliadora".


Tentativa para desviar atenções...

"Quem procurou nesta eleição um ajuste de contas com o passado, ou viu neste acto eleitoral uma oportunidade de afirmação pessoal, sem qualquer outro tipo de projeto, esses sim, contribuíram para o espetáculo pouco edificante que tivemos oportunidade de assistir", rematou o presidente do Benfica.


Um rebuçado destinado a apaziguar Bruno de Carvalho

 As eleições na LPFP realizaram-se hoje, na sede do organismo, no Porto, tendo Mário Figueiredo, líder da única lista validada, sido reeleito presidente do organismo com os votos de sete clubes, incluindo o Sporting.

Além dos "leões" (cooperando com o sistema), reconduziram o presidente da direção o Paços de Ferreira e o Belenenses, também da I Liga, e o Leixões, o Farense, o Santa Clara e o Atlético, todos da II Liga, disse à Lusa um fonte oficial do organismo.

Um oitavo clube votou, o Boavista, mas em branco, conforme uma fonte da SAD dos "axadrezados" disse à Lusa, sendo, assim, expressos 12 votos válidos (dois por cada clube da I Liga e um por cada clubes da II Liga).

A Lista D, encabeçada por Mário Figueiredo, somou, assim, 10 votos, aos quais se juntam
dois em branco, os do clube do Bessa.

Na segunda-feira, o presidente da assembleia-geral da LPFP tinha rejeitado as candidaturas de Rui Alves e Fernando Seara, validando apenas a de Mário Figueiredo.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.