segunda-feira, 30 de junho de 2014

FC Porto B inicia nova época com 22 atletas

30/06/2014 - Célestin Djim – É um avançado belga e vem do Standard de Liége.


Primeiro treino decorre esta terça-feira, no Olival

O FC Porto B iniciou esta segunda-feira os trabalhos para a temporada 2014/15, num dia limitado a exames médicos.
O grupo, que tem para já 22 elementos e será orientado por Luís Castro (tendo como adjuntos Paulinho Santos, Nuno Capucho, José Tavares e Daniel Correira), vai efectuar na terça-feira a primeira sessão de trabalho (aberta à comunicação social), às 10h30, no Centro de Treinos e Formação Desportiva PortoGaia, no Olival. Às 10h15, Luís Castro vai falar aos jornalistas, em superflash.

A formação B dos Dragões apresenta várias novidades para a nova época: Braima Candé (18 anos, defesa internacional Sub-19 português, ex-Sporting), Célestin Djim (19 anos, avançado internacional Sub-19 belga, ex- Standard de Liège), Igor Lichnovsky (20 anos, defesa, internacional Sub-20 chileno, ex-Universidad de Chile), Malthe Johansen (18 anos, defesa internacional Sub-18 dinamarquês, ex-Brøndby), Pité (médio português de 19 anos, ex-Beira-Mar, na imagem), Roniel (avançado brasileiro de 20 anos, ex-Grémio Anápolis) e Élvis (médio brasileiro de 18 anos).

Em relação a 2013/14, mantêm-se o guarda-redes Caio, os defesas Tiago Ferreira e Zé António, o médio Leandro e o avançado Frederic. Farão parte deste grupo inicial do FC Porto B, oriundos das camadas jovens, o guarda-redes Filipe Ferreira, o defesa Junior, os médios Rúben Neves, Graça e Rui Moreira e os avançados Idrisa, Ruben Macedo, Ruben Alves, Sérgio Ribeiro e Rui Pedro.

Eis o plantel completo: Caio e Filipe Ferreira (guarda-redes); Braima Candé, Igor Lichnovsky, Malthe Johansen, Tiago Ferreira, Zé António e Junior (defesas); Leandro, Rúben Neves, Graça, Élvis, Rui Moreira e Pité (médios); Frederic, Célestin, Roniel, Idrisa, Ruben Alves, Sérgio Ribeiro, Ruben Macedo e Rui Pedro (avançados).

PS - Curiosidades


O guarda-redes da Costa Rica, desejado pelo FC Porto, explicou como conseguiu parar o penálti batido pelo grego Gekas, decisivo na passagem da sua seleção aos quartos de final.

"Joguei com Gekas no Levante e por isso lembrei-me do que ele costumava fazer nos treinos. Tinha a certeza de que não iria mudar a forma como rematava e consegui defender", disse Kevin Navas.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.