domingo, 28 de outubro de 2012

Liga Portuguesa- Estoril 1 FC Porto 2

Ao Intervalo Estoril 1 FC Porto 0 !
Como já vai sendo hábito a equipa portista entrou no jogo a dormir e como é vulnerável nos pontapés de canto favoráveis aos contrários, deixou-se surpreender! Pergunto: não será caso para voltar a colocar o Rolando a jogar? É que o Rolando em boa forma dá mais tranquilidade ao sector! Depois o pulha do Capela está a ser demasiado permissivo no jogo duro subterrâneo dos estorilistas, o que como eu previ está a dificultar a recuperação dos dragões porque se estão a deixar intimidar.
A segunda parte já foi bem diferente, com os Dragões a fazerem jus ao seu título de campeões nacionais. Imprimiram mais velocidade ao seu jogo e nem a excessiva agressividade e o jogo faltoso praticado pelos estorilistas e permitido pelo (pulha, ladrão) árbitro do jogo impediu que a equipa do FC Porto conquistasse mais uma saborosíssima vitória.
Destaques na equipa portista: Helton na segunda metade do jogo não permitiu veleidades aos avançados do Estoril na sua área de jurisdição.
O Danilo safou-se sem grandes rasgos atacantes. Os centrais Maicon e Otamendi que ficaram nas covas no lance do golo do Estoril, redimiram-se na segunda parte.
Mangala, à esquerda sempre muito lutador e relativamente eficaz a cortar, não tem no entanto, a capacidade do Alex Sandro para construir jogo.
No meio-campo: Fernando, como de costume muito lutador e influente na ajuda à defesa.  Moutinho continua a jogar algo abaixo das suas possibilidades. Lucho mais uma boa exibição, mesmo sem marcar golos, pelo seu bom jogo de equipa.
Ataque: Varela, marcou um golo e está a provar o que já todos sabem, e que é um belíssimo jogador, assim ele esteja em forma e confiante psicologicamente. James, é um futebolista de grandes rasgos! Pode até nem estar a jogar bem, mas de repente num lance de génio cria uma jogada de perigo, daquelas que fazem a diferença! Finalmente Jackson, que dizer dum futebolista que é um goleador nato, daqueles que se lhe derem um metro de terreno ele consegue facturar, de alguém que cintila durante todo o jogo! Portanto muito bem Jackson continua a jogar e a brilhar como até aqui!
FICHA DE JOGO - Liga, sétima jornada - 28 de Outubro de 2012
Estádio António Coimbra da Mota, no Estoril - Assistência: 8.434 espectadores
Árbitro: João Capela (Lisboa)
Assistentes: Ricardo Santos e Pedro Garcia
Quarto árbitro: Luís Reforço
ESTORIL: Vagner; Anderson Luís, Steven Vitória, Bruno Nascimento e Jefferson; Diogo Amado, Gonçalo e Evandro; Carlitos, Licá e Gerso
Substituições: Evandro por Carlos Eduardo (61m), Gerso por Luís Leal (63m) e Diogo Amado por João Paulo (77m)
Não utilizados: Renan, Mano, João Pedro e Hugo Leal
Treinador: Marco Silva
FC PORTO: Helton; Danilo, Maicon, Otamendi e Mangala; Fernando, João Moutinho e Lucho (cap.); Varela, Jackson Martínez e James
Substituições: Varela por Atsu (72m), James por Rolando (86m) e Lucho por Defour (90m+2)
Não utilizados: Fabiano, Castro, Iturbe e Kelvin
Treinador: Vítor Pereira
Ao intervalo: 1-0
Marcadores: Steven Vitória (10m), Varela (57m) e Jackson Martínez (61m)
Cartão amarelo: Fernando (69m)


PS - Na minha opinião o Fernando até foi bastante macio, se tivermos em conta as entradas maldosas dos estorilistas...claro que eu sei que os fanáticos anti-portistas não estarão de acordo...
Eles pensam que eu não sei que o Estoril fez ontem o jogo da sua vida e que queriam ganhar de qualquer modo...?! O Estoril que não tem dado uma p'ra caixa...!
Volto a dizer: vão-se tratar...que vocês padecem da doença das frustrações benfiquistas...

6 comentários:

  1. Ao anónimo lampião que apareceu aqui a excrementar, sobre o Fernando merecer 4 cartões...!
    Ó lampião vai-te tratar porque o que tu querias era ver o Fernando na equipa encarnada.
    E mais não digo porque dar-te protagonismo é falta de lucidez da minha parte.

    PS - Ah! E claro o caixote do lixo é muito útil em casos como o teu...

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Lá está você outra vez a delirar...!
    Repare, na minha opinião o Fernando até foi bastante macio, se tivermos em conta as entradas para magoar dos estorilistas...claro que eu sei que você não viu porque é cego dum olho...
    Você pensa que eu não sei que o Estoril fez ontem o jogo da sua vida e que queriam ganhar de qualquer modo...?! O Estoril que não tem dado uma p'ra caixa...!
    Eu bem tento fazer de si alguma coisa mas você é mesmo um caso perdido de fanatismo encarnado...
    Volto a dizer: trate-se...que você padece da doença das frustrações benfiquistas...

    AM

    ResponderEliminar
  4. Não é afectado pela clubite?! Isso diz você mas não consegue convencer o mais ingénuo dos seres humanos...! Você sob a capa de imparcial que quer fazer passar: é um benfiquista fanático e cego dum olho...!
    Quanto a sarrafeiros e histórias antigas, eu teria resmas para contestar as suas, mas vou limitar-me a referir só duas que valem por milhentas das suas. Há uns vinte/trinta anos atrás o benfiquista Toni partiu uma perna ao Marco Aurélio numa entrada maldosa. Mais, quem foi que partiu uma perna ao Anderson que joga agora no Manchester: Katsouranis do Benfica...!
    Olhe dadas as circunstâncias somos irreconciliáveis, fique portanto na sua e deixe de me chatear. Eu sou doente portista reconheço, você não, você é doente benfiquista ao quadrado mas recusa-se a reconhecer

    AM

    ResponderEliminar
  5. Bom dia,

    A equipa tinha um duro teste pela sua frente.
    Num campo onde por tradição temos dificuldades, teríamos de dar provas que superávamos a pressão da vitória do Benfica em Barcelos.

    Tinha comentado na antevisão a esta partida, que erros defensivos semelhantes aos do último jogo diante do Dínamo de Kiev, não poderiam acontecer, mas sucedeu um que intranquilizou a equipa. Demos meia parte de avanço aos canarinhos, e podíamos ter deitado a liderança a perder.

    O Estoril é orientada por um jovem ambicioso, uma equipa bem estruturada e advinham-se muitas dificuldades.
    Jogou sem avançado fixo, num bloco sólido, recuando bem as linhas para em transições rápidas sair em contra-ataque.

    Ao entrarmos na partida apáticos, com o miolo pouco pressionante e sem intensidade de jogo, facilitamos a vida ao adversário e concedemos-lhe a oportunidade de lutar pelo resultado.

    Após o golo dos da casa, reagimos e Jackson e Otamendi poderiam ter empatado, mas o Estoril aguentava-se.

    O golo de vantagem dos canarinhos ao intervalo acabou por ser justo, e foi uma lição para os nossos atletas.

    Na segunda parte tivemos de puxar dos galões, e só com uma grande atitude e mais velocidade no jogo conseguimos a reviravolta.

    Com a pressão alta exercida sobre a defensiva contrária, o FC Porto foi intranquilizando os locais, e foi com naturalidade que chegamos ao empate e se percebeu que a reviravolta no marcador estava ali bem perto.

    Jackson, a figura do jogo teve uma arrancada à Hulk e assistiu Varela para o empate, e depois num excelente golpe de cabeça, após livre na meia direita, o colombiano apontou o golo da reviravolta.

    O colombiano poderia ter marcado por mais uma ocasião, mas teve uma perdida incrível após jogada de insistência com cruzamento de Fernando.

    Até final da partida foi o gerir do resultado com controlo da posse de bola.

    Do jogo devem-se retirar ilações para o grupo. Há que encarar os jogos e todos os adversários com seriedade e concentração competitiva.

    Abraço e boa semana

    Paulo

    pronunciadodragao.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  6. Viva Paulo!

    Boa análise, totalmente de acordo!

    Abraço e boa semana também para si,

    A Monteiro

    ResponderEliminar

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.