sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Pedro Marques Lopes e os meus bitaites

21/11/2014 - Na sua habitual crónica semanal em A Bola Pedro Marques Lopes aborda o tema das tácticas, estratégias e da liderança dos treinadores. Cita alguns exemplos de jogadores e treinadores famosos, para justificar as suas conclusões.
Li com atenção o seu texto e já agora gostaria de também eu dar alguns bitaites.
Mas antes disso, aproveito para também citar algumas sentenças importantes proferidas por treinadores célebres.

Artur Baeta dizia para quem quisesse ouvi-lo – o futebol é 90 % de transpiração e 10 % de inspiração.

Bella Gutman o grande feiticeiro como ficou conhecido, era apologista do jogo de equipa, mas admitia que os jogadores tentassem o slalon. Quando treinou porem o FC Porto, exigia que os jogadores sempre que resolvessem tentar o lance individual tinham de fazê-lo com convicção (e não de qualquer maneira de modo a ver o que dá).

Do Mestre José Maria Pedroto ouvi uma vez o Gomes que veio do Leixões contar que o Mestre conhecia tantas jogadas que se ele quisesse, os jogadores estavam uma hora ou mais a treinar jogadas sem repetir uma única.

O Morais que foi adjunto do Mestre Pedroto também uma vez fez uma afirmação curiosa –
uma equipa pode jogar com 10 médios e jogar ao ataque.

Tommy Docherty - um treinador escocês que treinou o FC Porto com o Teixeira – quando uma certa imprensa publicou que o Teixeira era a formiga e ele a cigarra, ele justificou-se afirmando – sou eu que converso, motivo os jogadores e procuro criar bom ambiente no plantel.
O que é facto, é que na época seguinte, o Teixeira que era um bronco, ficou só à frente da equipa e não conseguiu repetir o êxito de quando trabalhou com o escocês.

Tomislav Ivic – Era um bom treinador de campo e estratega. Aquando da primeira vez que treinou o FC Porto teve êxito. Quando um seu jogador falhava num jogo, ele não o recriminava publicamente, mas na semana seguinte durante os treinos exigia que o jogador que falhou, depois de acabado o treino, enquanto os colegas iam tomar banho, ficasse meia hora ou mais a treinar determinados lances.
Já Ivic não era treinador do FC Porto, o Madjer foi prestar provas a Milão e não passou nos exames físicos. Quando o Ivic soube afirmou que se fosse ele o treinador o Madjer teria continuado a desenvolver massa muscular e teria passado nos exames físicos.

José Mourinho, um técnico que fez história no FC Porto, e pode ser caracterizado como um técnico sagaz, muito completo, que estuda bem os adversários, motiva bem os seus jogadores, competente tanto no capítulo do treino físico, como técnico e tem fama de ler bem os jogos. Mas outra característica de Mourinho é saber escolher bem os seus assessores (staff).
Mas Mourinho até de: psicologia, nutricionismo e medicina no desporto ele tem boas noções!

Tudo isto para se concluir que para se obter sucesso no futebol de alta competição é preciso ter em consideração o seguinte:
1) – Dispor duma equipa técnica coesa e competente nos vários domínios relacionados com o futebol.

2) – Preparador físico competente, a fim de que todos os atletas disponham duma condição física ao mais alto nível. Exigência de profissionalismo.

3) – Dominar a metodologia do treino (exercícios diversificados com bola)

4) – Estudar bem os adversários de modo e adoptar a estratégia mais conveniente para ultrapassar as dificuldades impostas pelos contrários, tendo em conta as características dos jogadores de que dispõe.

5) – Ter boas noções de psicologia a fim de conseguir motivar os jogadores e conseguir liderar.

6) – Ser bom a organizar…etc… etc…

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.