quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Taça da Liga- FC Porto nas meias-Finais

28/01/2015 - FC Porto 4 Académica 1

Bom jogo dos Dragões que venceram uma Académica remetida ao seu meio-campo.
De salientar a boa exibição da equipa com realce para o Jackson e para o Gonçalo Paciência pelos excelentes golos que marcaram.

Realce também mas pela negativa para a besta do árbitro de Lisboa Tiago Martins que bem colocado não hesitou em admoestar injustamente Jackson com um cartão amarelo por pretensa simulação quando se viu na repetição das imagens que Jackson foi rasteirado pelo defesa da Académica.
Mais um juiz do apito da Associação de Futebol de Lisboa com preconceitos anti-portistas



FC Porto                              3.ª fase, 4.ª jornada                                 Académica
                                                                    72' Mbala
46' Jackson Martínez (c) 59'

Jackson Martínez (c) 7
5' Gonçalo Paciência
80' Evandro (pen


Quarta-feira, 28 Janeiro 2015 - 20:45 - Competição: Taça da Liga

Estádio:Dragão, Porto (TV: TVI) - Assistência:14.609

Árbitro:Tiago Martins (Lisboa)

Assistentes:Paulo Ramos e Pedro Mota

4º Árbitro:Bruno Jesus

 

FC Porto: 1 Helton, 2 Danilo (77'), 13 Reyes, 5 Marcano (45'), 14 José Ángel (56'),
 
36 Rúben Neves, 22 Campaña, 15 Evandro, 21 Ricardo, 9 Jackson Martínez (c)(41'),
 
11 Tello,

Suplentes: 24 Ricardo Nunes, 3 Martins Indi, (71' Marcano), 7 Quaresma

 10 Quintero , (54' Campaña), 16 Herrera, 30 Óliver Torres, 39 Gonçalo Paciência

(61' Jackson Martínez)

Treinador: Julen Lopetegui


Académica: 1 Cristiano, 8 Jimmy, 3 Aníbal Capela, 13 João Real (80'), 37 Ofori

92 Lucas Mineiro, 28 Nuno Piloto, 27 Pedro Nuno, 77 Hugo Seco

 20 Rui Pedro , 7 Marinho (c)

Suplentes: 24 Fábio Santos, 4 Obiora, 5 Ricardo Nascimento, (42' Ofori)

18 Mbala, (67' Rui Pedro), 30 Rafael Lopes (90+2'), (78' Marinho)
34 Hugo Ribeiro, 65 Fernando Alexandre
Treinador: Paulo Sérgio
 
Julen Lopetegui: “Queríamos muito chegar às meias-finais”

​​Com três vitórias e um empate em quatro jogos, o FC Porto garantiu desde já uma vaga nas meias-finais da Taça da Liga antes de folgar na derradeira jornada do grupo D da competição. Após o triunfo sobre a Académica (4-1), Julen Lopetegui não escondeu que esse era o grande objectivo dos Dragões na antecâmara deste desafio e garantiu muitas "ganas" na luta por um lugar na final.

“Queríamos muito chegar às meias-finais, mas também sabíamos que teríamos de vencer a Académica, uma equipa muito organizada tacticamente e que procurou tirar-nos espaço para jogar. Creio que a minha equipa fez um óptimo trabalho, ainda que sentindo maiores dificuldades na primeira parte. Conseguimos fazer mais golos na segunda e aí colhemos os frutos do nosso trabalho. Tínhamos obrigação de vencer”, afirmou Julen Lopetegui momentos depois da partida com a formação de Coimbra, relativa à quarta jornada do grupo D da terceira fase da Taça da Liga.

Consciente da árdua tarefa que espera os Dragões no jogo das meias-finais, frente ao Marítimo, nos Barreiros, o treinador portista garante que o FC Porto não vai à Madeira para passear. “Damos importância a todas as competições e estamos encantados por chegar às meias-finais da Taça da Liga. Não vamos à Madeira fazer turismo e sabemos que nunca é fácil disputar uma meia-final fora de casa, mas temos muita esperança e toda a ilusão do mundo em chegar à final. É com esse objectivo que vamos para lá”, reiterou Julen Lopetegui.

Na noite em que Jackson Martínez se tornou o melhor marcador da história do Estádio do Dragão e Gonçalo Paciência se estreou a marcar pela equipa principal, o técnico espanhol não se coibiu de individualizar nos elogios aos dois goleadores. “O Jackson é o nosso avançado titular e tem uma atitude fenomenal em todos os jogos. Dá muito à equipa, não só nos golos que marca. O Gonçalo é um jogador com um grande futuro pela frente e nunca é fácil chegar à equipa principal do FC Porto, mas é ainda mais difícil manter-se lá”.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.