quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Excertos da entrevista de Lucho a OJogo

Lucho fala sobre Quintero
1 - Na função de capitão, Lucho aconselhou Quintero, que à partida para férias admitiu sair em janeiro para jogar com regularidade, a ter paciência e trabalhar para provar a Paulo Fonseca que merece estar no onze.
"Falta-lhe ter paciência, como o Carlos Eduardo, que esperou a sua oportunidade, trabalhando sempre ao máximo. Ninguém duvida da qualidade que tem e muito poucos jogadores têm o talento dele com a sua idade, mas precisa de demonstrar ao treinador que está errado nas decisões que tem tomado. Creio que ele já percebeu isso. O facto de ter feito uma boa exibição na equipa B ajudou muito. Tem de esperar a sua oportunidade porque está num clube onde só jogam onze, mas em que todos podiam ter lugar na equipa", frisou, apontando outros jogadores de quem os adeptos podem esperar grandes alegrias. "O Ghilas trabalha muito bem, já demonstrou no Moreirense tudo o que pode fazer. Claro que é diferente estar num clube grande. Temos um grande grupo. O Kelvin também voltou a jogar agora e isso significa que está a treinar bem", rematou.


2 - O Polvo na Seleção tem o apoio do capitão dos azuis e brancos
Já não é de agora, Lucho nunca escondeu a admiração que tem por Fernando, que considerou, por exemplo, o jogador mais importante do FC Porto na última temporada. Por isso, vê com bons olhos a chamada do trinco pela Seleção Nacional.
 "Não há muitos jogadores na Europa a fazer aquelas funções. Já é português e passa a ser mais uma opção. Está a fazer por merecer uma oportunidade, mas a decisão será do corpo técnico da Seleção, naturalmente". Renovar com ele também não é da sua responsabilidade, mas se pudesse nem hesitava. "Claro que o convidava a renovar, mas se perguntar isso a qualquer adepto a resposta seria sempre a mesma. Não há dúvidas de que é um excelente jogador, uma excelente pessoa, muito humilde e trabalhador. Dentro do campo simplifica muito as coisas e, às vezes, não é reconhecido. Se calhar, porque não marca golos", frisou, considerando-o o parceiro ideal em campo: "Posso estar descansado, tranquilo, ir para a frente e perder a bola porque ele estará no sítio certo para a recuperar. Taticamente lê muito bem o seu posicionamento e é por isso que se farta de recuperar bolas."

PS - José Mourinho (jogo com Arsenal) (poder-se-ia aplicar aos calimeros)

"Vocês sabem, eles [
Gunners (calimeros)] gostam de chorar. É tradição. Eu prefiro dizer que os ingleses - Lampard, por exemplo -, nunca iriam forçar uma situação dessas (penálti). Mas alguns jogadores de outros países têm isso no sangue", começou por dizer.
"Mesmo se estás magoado, mesmo quando o adversário foi agressivo, está tudo bem, segue o jogo. Continua. Isto é o futebol inglês. Os jogadores estrangeiros trouxeram muitas coisas boas, mas prefiro "sangue inglês"", prosseguiu. "Foi uma entrada dura, foi agressiva, mas é futebol e é para homens. Ou mulheres com uma atitude fantástica" disse.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.