domingo, 5 de outubro de 2014

A influência psicológica e física dos árbitros nos jogos

05/10/2014 - "Fala-se demais dos árbitros"! Mas quem disse isto não deixou passar o ensejo para dar graxa ao Pedro Proença...! A final "fala-se demais dos árbitros" mas só quando são os outros a falar...!
Mas ó Sérgio, se "se fala demais dos árbitros", que tal se tivesses sido tu a começar a dar o exemplo e não te pores a dar graxa ao Pedro Proença...?!

Sérgio Conceição: "Pedro Proença deixa-me tranquilo"

"Não vou, nem devo, pronunciar-me sobre as palavras do treinador do FC Porto. Mas em relação à arbitragem do jogo de amanhã, fico tranquilo, porque o Pedro Proença é o melhor árbitro do mundo", elogiou o técnico do Braga, considerando que, por vezes, se "fala demais dos árbitros".

Pois, ó Sérgio fala-se demais quando não é o teu Braga o prejudicado, e como no caso actual tem sido o adversário que vais defrontar o prejudicado, não interessa se com erros grosseiros que influenciaram os resultados, fala-se demais dos árbitros…!
Sérgio Conceição, quem não te conhecer que te compre, e, quem te manja é o laranja…!
Seria muito mais curial e ético se tivesses dito que pretendias manter-te afastado das polémicas, evitando mencionar o Pedro Proença.

Mais, é no mínimo, curiosa a posição do Sérgio Conceição ao comentar a troca de palavras entre os treinadores Lopetegui, Marco Silva e Jorge Jesus, referindo que não se queria meter no assunto, mas não desperdiçou a ocasião para manifestar a sua opinião, dar graxa entenda-se, relativamente ao árbitro Pedro Proença nomeado para apitar o jogo do seu Braga frente ao FC Porto.
E nesse caso será legítimo perguntar, será que está a ser sincero quando espera uma arbitragem isenta, ou lá bem no seu íntimo, tem esperança numa actuação do Pedro Proença favorável ao Braga de modo a favorecer indirectamente até o clube que o Sérgio sabe ser o do árbitro?

2 comentários:

  1. Temos de partir do princípio que jogamos com o campo inclinado e não estar à espera de decisões favoráveis ou justiça. Se tivermos a mesma atitude que tivemos em Lviv, onde a mão sonegada não nos abalou a querença, estou descansado. Afinal, o Braga não é o Shaktar.

    ResponderEliminar
  2. Jorge, de acordo, porque o Pedro Proença não cometeu erros grosseiros, mas aqui e ali decidiu-se por marcar algumas faltas à entrada da área do FC Porto, a ver se a coisa resultava para o lado dos minhotos. Digno de nota também a atitude do parvalhão do Sérgio Conceição que sempre que um seu jogador se atirava para a piscina ele reclamava ostensivamente para chamar a atenção do árbitro e da televisão...!
    Quanto ao resto o Braga não é o Shakhtar mas teve suficiente gás e atitude para nos criar muitas dificuldades...

    Abraço

    ResponderEliminar

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.