segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Casemiro, eleições da Liga vista pelo Presidente do FCP

27/10/2014 - O Real Madrid tem opção de fazer regressar Casemiro em Janeiro (mediante uma cláusula compensatória, claro) e o tema tem sido aflorado em Espanha. A possibilidade ganhou força nos últimos dias, dada a necessidade de os merengues tentarem encaixar algum dinheiro com a saída de Sami Khedira, cujo contrato termina em junho, deixando ao Real o mercado de inverno como última oportunidade para tentar transferir o alemão.
Recentemente convocado por Dunga para a selecção brasileira, Casemiro seria assim repescado por Ancelotti para colmatar um lugar que ficaria em aberto na equipa. Mas nesse caso o Real Madrid terá de indemnizar o FC Porto, caso venha a optar pelo regresso de Casemiro, uma vez que o acordo de cedência do médio deixou o FC Porto com opção de compra no final do empréstimo que termina no próximo mês de Junho.

No caso do Real exigir o regresso a Madrid do Casemiro, talvez fosse boa ideia o FC Porto receber a compensação/indemnização do Real e fazer também regressar o Carlos Eduardo emprestado ao Nice.
Seria assim colmatado o lugar que o Casemiro deixar em aberto. Com a possibilidade de fazer recuar o Herrera para trinco em alternância com o Rúben Neves.


O presidente do FC Porto


O presidente do FC Porto, esclareceu que Luís Duque foi um nome aceite pelos clubes, com excepção do clube de Bruno de Carvalho, para presidir à Liga.

"Se tudo o que estivesse perto da falência em Portugal acabasse, o país também falia", disse Pinto da Costa, referindo-se à situação na Liga de Clubes, que esta segunda-feira elege uma nova Direcção, presidida por Luís Duque, na sequência do consenso que teve à cabeça FC Porto e Benfica.
"Tanto o Benfica como o FC Porto não indicaram qualquer nome para a lista. Estamos com a Liga, mas não estamos dentro da Liga. O futuro do futebol profissional sem a Liga em Portugal não continuará na onda de triunfos que muitos clubes alcançaram", esclareceu, para depois acrescentar:
"Foram os 27 clubes que escolheram Luís Duque. É um homem do futebol que vive o futebol e que tem experiência em clubes e em associações. É um nome que não foi indicado nem pelo FC Porto nem pelo Benfica. É uma pessoa que aceitámos porque estava dentro do perfil que queríamos".

Pinto da Costa, a propósito do processo da escolha de Luís Duque para presidir à Liga de Clubes, afirma, numa indirecta ao presidente do Sporting, "cair no ridículo quem diz que o FC Porto indicou nomes para a lista concorrente às eleições", fazendo questão de lembrar: "Estiveram sempre presentes nas três reuniões efectuadas: o FC Porto, o Benfica e o Sporting; embora o Sporting no final das reuniões se recusasse a assinar o documento que os 27 clubes presentes subscreveram".

"O conceito da Liga era um aborto, porque já não era uma associação de clubes, com os clubes a fazer parte da Direcção, mas sim com um presidente que podia fazer o que queria. Não era uma fraude, era um absurdo. Agora, tenho esperança que a Liga volte a ser dos clube e para os clubes", disse Pinto da Costa, em declarações aos jornalistas, na apresentação da Escola de Fernanda Ribeiro, na Maia.
O presidente do FC Porto revelou que chegaram a ser equacionados outros nomes para a presidência da Liga...
"Algumas pessoas não quiseram aceitar para não ter a sua vida enxovalhada na Comunicação Social".

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.