segunda-feira, 6 de outubro de 2014

FC Porto e as estratégias de Lopetegui (Rui Barros)

06/10/2014 - Há na equipa do FC Porto alguns processos relativos à circulação de bola que são motivo de preocupação: usa-se e abusa-se de passes para o lado e para trás e depois acontecem os passes falhados ou interceptados pelos contrários, como o que deu o golo do Braga. Também nos livres perto da área adversária e nos pontapés de canto a nosso favor, não tiramos proveito desses lances, umas vezes por inépcia e outras por parecerem jogadas pouco ensaiadas que por esse motivo se perdem sem criar qualquer perigo para as redes adversárias.

O Rúben Neves quando entrou procurou jogar ao primeiro toque de modo a impedir os contrários (bracarenses) de se apoderarem da bola e será porventura esta a melhor solução contra equipas que começam a pressionar junto à área portista a fim de impedirem a primeira fase de construção das jogadas.

A táctica da circulação de bola entre a extrema defesa e o meio-campo destina-se a chamar os jogadores contrários de modo a desmontar o "autocarro"que as equipas que defrontam os Dragões utilizam.
Mas a circulação de bola porem tem de ser eficaz e com os jogadores a desmarcarem-se constantemente de modo a fugir às marcações adversárias. Será também muito importante permanecerem serenos, tranquilos, a fim de executarem os passes com precisão e não entregarem bolas ao adversário.

Caso contrário pode acontecer que treinadores avisados como o Sérgio Conceição e o Marco Silva do Sporting adoptem a táctica de pressionar os defesas portistas, logo no início da fase de construção das jogadas para desestabilizar a equipa portista e impedir a circulação da bola e as trocas de bola que estão na base da estratégia da posse de bola.
De certo modo foi notória a táctica do Sérgio Conceição em colocar cinco elementos do Braga no meio-campo a fim de tentar sufocar o meio campo portista, e por isso, as dificuldades dos Dragões na primeira parte.
Conclusão, ontem no meio campo, na 1º parte, jogamos com menos 1.
No tempo complementar, esta situação alterou-se radicalmente, o Rúben Neves não defende ainda muito bem, mas faz lançamentos longos, rasga qualquer defesa, o mesmo se passa com o Quintero, só que o colombiano ataca bem mas defende pouco.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.