sábado, 25 de outubro de 2014

FC Porto vence e convence em Arouca

25/10/2014 - Mais uma excelente exibição da equipa portista a fazer calar os detractores de Julen Lopetegui. Muito bem Mister!

Toda a equipa se exibiu em excelente plano, podem-se no entanto destacar por pequenos detalhes os seguintes elementos: Fabiano muito bem: seguro entre os postes e até a jogar com os pés; Danilo um mouro de trabalho, os centrais Indi e Marcano não deram chances aos avançados contrários; Alex Sandro muito interventivo pelo seu corredor; no meio campo Herrera parece estar finalmente a mostrar a sua qualidade; Quintero teve pormenores deliciosos, parece estar já próximo do seu melhor momento de forma; Tello, Brahimi, Jackson, Quaresma e Aboubakar foram fantásticos: dominaram, trocaram (bola), driblaram e chutaram com êxito à baliza do Arouca.



FC AROUCA
FC PORTO
8.ª JORNADA
0
524'  Quintero 26'  Jackson Martínez (c) 39'  Casemiro 60'  Jackson Martínez (c) 87'  Aboubakar 











Competição: Primeira Liga - Estádio: Estádio Municipal de Arouca (TV: SportTV 1)

Árbitro: Carlos Xistra (Castelo Branco)

Assistentes: Nuno Pereira e Miguel Aguilar

4º Árbitro: André Moreira
Arouca: 1 Mauro Goicoechea, 2 Iván Balliu, 14 Diego Galo, 66 Nuno Coelho, 22 Luís Tinoco, 55 Nelsinho, 10 Pintassilgo (65'), 6 David Simão (70'), 7 Artur Moreira, 9 Bruno Amaro (c) (32'), 8 André Claro

Suplentes: 13 Rui Sacramento, 4 Miguel Oliveira, 30 Nildo Petrolina, (68' Artur Moreira)
35 Rui Sampaio, (46' Bruno Amaro), 23 Hugo Monteiro, 17 Ulysse Diallo, 71 Roberto Rodrigo, (46' Nelsinho)

Treinador: Pedro Emanuel

FC Porto: 12 Fabiano, 2 Danilo, 5 Marcano, 3 Martins Indi (36'), 26 Alex Sandro, 6 Casemiro (46'), 16 Herrera, 10 Quintero, 11 Cristian Tello, 9 Jackson Martínez (c), 8 Brahimi

Suplentes: 25 Andrés Fernández, 4 Maicon, 36 Ruben Neves, 30 Óliver Torres, 7 Ricardo Quaresma, (61' Tello), 18 Adrián López, (81' Quintero), 99 Aboubakar, (75' Jackson Martínez)

Treinador: Julen Lopetegui


 FC Porto - Narrativa do Jogo
O FC Porto ganhou, este sábado, em Arouca, por 5-0, com golos de Jackson Martínez (dois), Quintero, Casemiro e Aboubakar, e reduziu para um ponto (com mais um jogo disputado) a distância para o primeiro lugar da Liga. A partida resolveu-se ainda na primeira metade, em dois minutos, com dois golos de perfume colombiano: Quintero, de fora da área, marcou um grande golo e Jackson, após grande jogada de Brahimi, colocou os Dragões a vencer por 2-0. Casemiro, aos 39 minutos, fez o 3-0 e, já na segunda metade, Jackson bisou e Aboubakar fez o 5-0 para o FC Porto, que assim venceu pela segunda vez em Arouca em duas épocas seguidas.

No jogo em que Danilo celebrou a sua 50.ª vitória ao serviço do FC Porto e em que a equipa portista orientada por Lopetegui mantiveram a baliza inviolada pela primeira vez em seis jogos, a primeira parte foi jogada a um ritmo lento – mas, de cada vez que os Dragões aceleravam, notava-se que o castelo montado pelo Arouca poderia desmoronar. Já depois de um penálti por assinalar sobre Jackson Martínez (3m) e de uma grande defesa de Fabiano (10m), Quintero inaugurou o marcador aos 24 minutos, após passe de Casemiro, rematando de fora da área e beneficiando de um desvio em Nuno Coelho para fazer a bola embater no fundo das redes. Dois minutos depois, Jackson Martínez fez o seu sexto golo na Liga, limitando-se a encostar a bola depois de uma jogada brilhante de Brahimi e um passe açucarado do argelino (26m).

O encontro desnivelou-se a partir daí, com o FC Porto a assumir, definitivamente, as rédeas da partida. Aos 31 e aos 36 minutos, os Dragões falharam por pouco o objectivo do terceiro golo (Jackson e Danilo não deram o melhor seguimento a boas iniciativas colectivas), mas esse momento estava destinado a chegar. Aos 39 minutos, Tello marcou um canto no lado direito e Casemiro cabeceou de forma irrepreensível no meio da área do Arouca, fazendo um golo de belo efeito e selando o resultado com que se chegou ao intervalo (3-0).

A segunda parte iniciou-se com o Arouca a tentar alterar o rumo dos acontecimentos, mas os Dragões iam resolvendo, com maior ou menor dificuldade, as tímidas investidas dos arouquenses ao ataque. Do outro lado, o tridente ofensivo formado por Tello, Brahimi e Jackson ia trocando bem a bola, municiados por um Quintero em alta rotação. Carlos Xistra não marcou, novamente, um penálti na área do Arouca, desta vez após derrube a Brahimi (54m) e, aos 58 minutos, Marcano fez um excelente corte já dentro da área do FC Porto e Fabiano, um minuto depois, fez uma boa defesa a remate de Roberto Rodrigo e impediu que o Arouca reduzisse a vantagem dos portistas.

Jackson Martínez, aos 60 minutos, tratou de demonstrar que o velho provérbio futebolístico “quem não marca sofre” está mais actual do que nunca e bisou, pela segunda época consecutiva, em Arouca após mais uma assistência de Tello. Com 4-0 no marcador, o ritmo da partida esmoreceu, merecendo destaque um remate de Quintero que embateu na barra (78 min), mas os golos ainda não haviam terminado: Aboubakar, aos 87 minutos, aproveitou uma assistência de Quaresma e fez o 5-0, confirmando o resultado mais volumoso dos Dragões na presente edição da Liga.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.