quarta-feira, 16 de julho de 2008

Futebol,FC Porto já deu um ar da sua graça


FC Porto a dar passos largos e seguros para grandes exibições no futuro ...
PAOK 0 FC Porto 1
16-07-2008

Uma máquina que promete
Duas equipas, um único objectivo: testar o trabalho que está a ser desenvolvido em Marienfeld. Um treino diferente, em andamento competitivo e perante um adversário cotado e exigente. O F.C. Porto de caras com uma prova de esforço e superação, um teste aos processos que começa a aprimorar e à qualidade do labor que tem desenvolvido. Mais uma etapa superada. Confiança reforçada.
O encontro principiou com o golo de Lucho González, um festejo que merecia ter surgido de bola corrida, uma vez que nasceu de um lance muito bem desenhado e que culminou com um tiro de Lisandro Lopez contra o guarda-redes contrário. Da confusão, nasceu uma grande penalidade por mão clara de um defesa grego. Lucho converteu o castigo sem mácula.
Em vantagem, a equipa de Jesualdo Ferreira manteve os objectivos deste jogo sempre presentes, procurando colocar em prática muito do que tem esquematizado no laboratório do Klosterpforte hotel. Com um 4x3x3 que se queria dinâmico e com a recuperação dos processos de sucesso da temporada passada, o Dragão mostrou que tem tudo para voltar a ser encantador.
O jogo foi interessante e teve a emoção possível nesta altura da temporada. Os melhores desenhos, porém, pertenceram ao Tricampeão, que foi tentando incutir ritmos diversos à partida. A grande defesa de Nuno, pouco depois da meia hora, numa grande penalidade que não existiu, serviu de tónico para superar o cansaço.
Depois do intervalo, Jesualdo Ferreira promoveu dez substituições (Tengarrinha entraria mais tarde), enquanto o PAOK se manteve mais tempo com a base que iniciou o desafio. O ritmo talvez tenha baixado um pouco, mas as melhores tentativas foram da equipa que hoje vestiu de branco. O F.C. Porto. A máquina que promete emoções renovadas.

FICHA DO JOGO
Stimberg Stadium, em Oer-ErkenschwickÁrbitro: Florian SteuerAssistentes: Kevin Music e Cetin Sevinc

PAOK: Chalkias; Melissis, Marcos António, Contreras e Szaucner; Veron, Balafas e Ivic; Sérgio Conceição, Bakayoko e VieirinhaJogaram ainda: Arabtzis, Konstantinidis, Malezas, Lakis e AthanasiadisTreinador: Fernando Santos

F.C. PORTO: Nuno; Fucile, Stepanov, Bruno Alves e Benitez; Bolatti, Lucho González «cap.» e Raul Meireles; Mariano Gonzalez, Lisandro Lopez e RodriguezJogaram ainda: Helton, Sapunaru, Rolando, Pedro Emanuel, Fernando, Tomás Costa, Guarín, Lino, Alan, Farías e TengarrinhaTreinador: Jesualdo Ferreira
Ao intervalo: 0-1Marcadores: Lucho González (2m, g.p.)


PS - Já havia quem pensasse que a surpresa anunciada por Jorge Nuno fosse o Pablo Aimar, ao que sempre considerei improvável. Agora, continuo a dizer que para mim a tal surpresa será o Micolli, jogador do Palermo, que os benfas queriam e que não conseguiram contratar. É um jogador que não é muito alto, mas é forte, possante, possuidor de excelente técnica e muito rápido. A meu ver seria uma muito boa aquisição para reforçar o ataque.

2 comentários:

  1. Meu caro Monteiro essa do Micolli é obsessão.
    Deixa o Micolli em paz lá no Palermo.
    Não vi o jogo por isso não opino.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Olá caro amigo Vila Pouca!

    Então "obsessão"!
    Caro amigo,não é obsessão,é só um palpite.
    Já agora,e até acredito que tenhas mais e melhor visão do que eu,adianta lá tu um palpite sobre quem admites ser a tal tão propagada surpresa,não te limites a dizer este não,porque eu não vejo outro.

    Entretanto estou convencido que o tal avançado que o FC Porto pretende contratar só será conhecido depois de resolvido o caso Quaresma.

    Abraço

    ResponderEliminar

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.