segunda-feira, 28 de julho de 2008

Torneio do Guadiana



SCP 2 SLB 0

Jogo entre as duas maiores equipas da Capital...mais parecia um jogo de sarrafeiros, com o árbitro impávido e sereno a assistir! Se isto é que é o futebol! Não gosto!
Jogo feio, futebol quezilento, recheado de picardias de parte a parte, com direito a jogo subterrâneo, a sururu e tudo!
Se os protagonistas de certas cenas que aconteceram, envergassem a camisola azul e branca, de certeza que teriam existido expulsões no jogo...!

É bom que o pessoal (equipa do FC Porto) se vá preparando psicològicamente para este tipo de futebol permitido pelos responsáveis deste País( só!) às duas maiores equipas de Lisboa.

Também seria desejável que os srs. técnicos destas duas equipas se convencessem que nem sempre os fins justificam os meios. Ganhar a todo o custo só agrada a certo tipo de adeptos...!

PS - Ministério da Justiça disposto a criar Tribunal do Desporto
O Ministério da Justiça solicitou informações ao Comité Olímpico de Portugal sobre a criação do Tribunal Arbitral do Desporto e o COP espera agora "luz verde" do Governo para avançar com o projecto que poderá acabar com situações como a do recente Conseho de Justiça a dois tempos.
Em declarações à Agência Lusa, o presidente do COP, Vicente Moura, revelou que o futuro tribunal poderá funcionar com 50, 60 ou 70 juízes indicados pelo Comité e pelas federações desportivas, reiterando que "estão criadas todas as condições" para o projecto avançar...
...O presidente do COP foi claro ao evidenciar as vantagens do projecto, da autoria do juiz Cardoso da Costa, antigo presidente do Tribunal Constitucional, sustentando: "Está comprovado que só há vantagens para o Estado, pois fica alheado destes problemas, e também para o movimento associativo porque poderá auto-regular-se".
Em relação à futura composição do TAD, o presidente do COP começou por referir que serão "algumas dezenas" de juízes, eventualmente 50, mas admitiu que o seu número possa aumentar, caso o Conselho Superior de Magistratura venha a ser designado para apontar nomes.
...O COP entregou o projecto de criação do Tribunal Arbitral do Desporto no Ministério da Justiça em Dezembro de 2007 e, aquando da recepção do primeiro-ministro à delegação olímpica portuguesa, no início de Julho, Vicente Moura queixou-se da falta de resposta por parte do Governo.

PS 1 - A partir daqui põe-se o problema: quem designa e qual o critério para a escolha dos magistrados que passarão a fazer parte da composição do Tribunal Arbitral do Desporto? A selecção dos Juízes tem de ser muito criteriosa, pois se não for, pode sempre dar origem a suspeições e levar os interessados a não acreditarem na isenção dos elementos escolhidos. Convinha portanto que houvesse o consensso dos clubes, quanto às peronalidades escolhidas. É que se por exemplo: entrar a política na selecção dos magistrados que vão fazer parte da composição do TAD, será pior a emenda que o soneto!



Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.