terça-feira, 8 de julho de 2008

Será verdade? Leão pró-encarnado vai decidir .

Segundo o Jornal 24 Horas d'hoje, quem vai decidir o resultado da guerra Benfica x FC Porto é a Liga Portuguesa de Futebol Profissional, entenda-se Hermínio Loureiro um sportinguista pró-SLB.
Nesta situação não é difícil adivinhar o sentido de voto do actual presidente da Liga de Clubes.

Após a reunião do Conselho de Justiça ameaçar acabar em discórdia e tumulto, devido ao facto do Presidente do C.J. no uso das suas competências, determinar o impedimento do vogal João Carrajola de Abreu, situação que não foi aceite pelo "ditocujo" e pelo seu amigo Álvaro Batista, o Presidente do C.J. da FPF Gonçalves Pereira, na eminência da reunião descambar em batalha campal, deu-a como encerrada, tencionando convocar uma outra para um outro dia com os ânimos mais calmos.
Mas eis que já depois do Presidente e Vice-Presidente se terem ausentado, cinco dos vogais do elenco do CJ resolveram arvorar-se em revolucionários, saltar sobre tudo e todos, e, ali mesmo estabelecer novas regras, determinando o que muito bem lhes apeteceu deliberar.

É evidente que uma situação destas se não fosse do interesse do Benfica já teria sido desmontada e resolvida com a punição dos ditos culpados vogais aventureiros. Porem tal não aconteceu nem vai acontecer porque os dirigentes encarnados, mais a totalidade dos seus apaniguados, parte interessadíssima no processo não o permite e propõe-se mesmo apoiar os tresmalhados vogais.

Conclusão : não é uma questão de ter ou não razão, de se fazer ou não justiça. Nem sequer de verdade desportiva. Mas de número de apoiantes, e, o SLB sabe que tem a maioria.
O problema é que o SLB precisa de receber os milhões da UEFA para ajudar a melhorar a qualidade do seu plantel, mas para isso tem forçosamente de conseguir participar na Champions a fim de receber esses respectivos milhões de euros, nem que para isso tenha de atropelar tudo e todos.

Tenho porém esperança que o Tribunal Administrativo Português, ou o TAS, consigam impôr ordem nisto, e, injectar espírito de justiça na resolução deste intrincado processo, de modo a finalmente prevalecer o espírito e a ética desportiva, o tão propalado fairplay, demasiado ausente das nossas praças.

1 comentário:

  1. Ouvi hoje na Tv que o Secretário de Estado do Desporto se vai envolver imediatamente no caso...

    ResponderEliminar

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.