sábado, 11 de janeiro de 2014

Paulo Fonseca: Os jogadores estão preparadíssimos”

Veremos, espero que estejam mesmo...!
11-01-2014 - ​Os jogadores do FC Porto estão “preparadíssimos” para impor o seu futebol e trazer a vitória do Estádio do Luz, no clássico agendado para domingo (16h00). Esta foi a ideia forte da conferência de imprensa de antevisão do jogo frente ao Benfica (15.ª jornada da Liga), em que Paulo Fonseca também revelou que Carlos Eduardo vai regressar ao “onze” e que Quaresma iniciará a partida no banco.
“A equipa tem vindo a crescer. Há indicadores que nos dão confiança e esta foi uma semana normal de preparação para mais um jogo do campeonato. A resposta foi boa, os jogadores estão preparadíssimos e se há momento em que estamos preparados para defrontar o Benfica é este. Sabemos que é um jogo difícil, mas encaramo-lo da mesma forma que outros, querendo vencer”, afirmou.
Numa semana marcada pelo desaparecimento de Eusébio, o treinador azul e branco garante que a sua equipa será capaz de separar “duas coisas distintas”: “Percebemos que o Eusébio era um símbolo de ‘fair-play’ e não de rivalidade entre os clubes. Não vale a pena falar sobre ele, porque tudo o que for dito é pouco para o que ele representa para todos os portugueses. Vamos respeitar o momento de homenagem, mas os 90 minutos vão ser outra coisa e aí vamos queremos mostrar que somos uma equipa preparada para vencer na Luz. São duas coisas que vamos saber distinguir bem”.
Num encontro que acarreta sempre uma “carga emocional elevada”, entre dois velhos rivais actualmente empatados no topo da tabela (a par do Sporting), Paulo Fonseca espera um Benfica com apenas um ponta-de-lança: “São duas equipas com características e formas de jogar muito próprias, e que se conhecem. Uma não altera o seu sistema, o Benfica vem alterando a sua estrutura em jogos com equipas mais fortes. Mas as duas identidades são muito vincadas e certamente ambas querem proporcionar um bom espectáculo”.
Os clássicos são sempre “jogos importantes”, mas à 15.ª jornada, e perante o actual quadro classificativo, “nada” ficará decidido. Ainda assim, a equipa vitoriosa pode sair moralizada e Paulo Fonseca garante que o empate nunca satisfaz o FC Porto. “Vamos para a Luz com o firme propósito de vencer o jogo”, garantiu o técnico, que explicou depois o significado da expressão “postura cautelosa”, que utilizou após o empate no terreno do Sporting (0-0), em jogo da Taça da Liga, a 29 de Dezembro.
“Essa postura surge - e posso não me ter feito entender bem – a partir do momento em que temos menos um jogador e vemos as possibilidades de discutir o jogo serem reduzidas. Não me parece que a postura inicial tenha sido defensiva, até quando temos mais bola do que o adversário, no seu terreno. Com a expulsão do Carlos Eduardo, numa altura em que tínhamos feito entrar o Jackson e em que o Fernando teve de sair, o Sporting trouxe-nos algumas dificuldades. A estratégia inicial é sempre para ganhar o jogo”, referiu.
Paulo Fonseca teve ainda tempo para confirmar o regresso ao “onze” de Carlos Eduardo, para referir que Alex Sandro e Ghilas – que tiveram problemas físicos durante a semana – estão a “200 por cento” e para desejar que as três equipas tenham “um comportamento sério, correcto e honesto”. Quanto a Quaresma, começará a partida no banco: “Acreditamos que o seu contributo pode ser importante, mas vamos esperar para ver o que vai surgir do jogo para ver se o vamos utilizar”.

11-01-2014 – Helton, Maicon, Carlos Eduardo, e Quaresma nos convocados
​A inclusão de Quaresma e os regressos de Helton, Maicon e Carlos Eduardo são as notas de destaque da lista de convocados do FC Porto para a deslocação ao terreno do Benfica (domingo, 16h00), a contar para a 15.ª jornada da Liga portuguesa. Em sentido inverso, e face à lista elaborada para a recepção ao Atlético, do passado sábado, saem Bolat, Reyes, Ricardo e Herrera.
Lista de 18 convocados: Helton e Fabiano (guarda-redes); Danilo, Lucho, Maicon, Quaresma, Josué, Jackson, Ghilas, Varela, Licá, Carlos Eduardo, Mangala, Fernando, Alex Sandro, Kelvin, Otamendi e Defour.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.