sábado, 6 de setembro de 2014

Lopetegui disserta sobre a equipa

06/09/2014 - Julen Lopetegui ao jornal espanhol "Marca", na qual fez o balanço do arranque de época do FC Porto. Apesar de não querer individualizar, o treinador espanhol falou sobre Rúben Neves, a grande surpresa portista, Jackson, agora capitão, e até Óliver Torres, que diz ter uma oportunidade de sonho em Portugal.

"O Rúben é, como dizem aqui em Portugal, um miúdo. Tem apenas 17 anos, e nem sequer passou pela equipa de sub-19 do clube. É um rapaz que vimos na pré-temporada, começou a treinar connosco e ficou. Se está connosco é porque conquistou esse direito. Ninguém lhe ofereceu um só minuto de jogo. Mas insisto, tem 17 anos, pelo que necessita continuar tranquilo para ir queimando etapas. É certo que já as está a queimar mais rapidamente pelo facto de ter jogado os cinco jogos oficiais. Não vou esconder, estamos encantados com ele", afirmou Lopetegui.

Sobre Jackson, Lopetegui disse: "Nunca tive dúvidas de que ele ia continuar connosco, pelo que esse foi um assunto que nunca me preocupou. É o nosso capitão, e assumiu esse papel com uma grande responsabilidade".
Relativamente a Óliver "É certo que em Espanha, pelo facto de ser muito jovem, não chegou a jogar muito. Mas eu conheço-o muito bem, assim como ele nos conhece a nós. Sabe o que queremos e estamos encantados por contar com o Óliver. Terá de continuar a melhorar e tem aqui uma oportunidade muito bonita para se impor, um clube com uma grande exigência" completou.

"Sempre senti exigência a nível pessoal, porque sempre exigi o máximo de mim. As exigências que tínhamos na federação espanhola eram tentar ganhar todas as competições em que participávamos, por isso também eram máximas. E isso é bom para um treinador. Faz-te ficar atento, alerta. É a gasolina para o trabalho diário e que não te deixa pensar em nada mais, só naquilo que tens de fazer no dia seguinte para tratar de ajudar a equipa a melhorar", afirmou ao jornal "Marca".
"Estou feliz porque faço algo que me apaixona e estou consciente da responsabilidade que implica dirigir o FC Porto, que é uma equipa extraordinária em todos os sentidos. Assumo com grande prazer este desafio de ajudar o clube a continuar a crescer", completou.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.