quarta-feira, 17 de setembro de 2014

LOPETEGUI: “Vamos ter de fazer muitas coisas bem”

17/09/2014 - No auditório José Maria Pedroto, na conferência de imprensa de antevisão do jogo, , Julen Lopetegui realçou que não espera facilidades na recepção ao BATE Borisov.
Estreia na fase de grupos da UEFA Champions League 2014/15.


Para o técnico do FC Porto 
não tem influência o facto do adversário ser o menos cotado do grupo (fazia parte do pote quatro do sorteio) ou competir num campeonato pouco conhecido como o bielorrusso.

“Vamos jogar frente a uma equipa que sabemos que se vai apresentar duma forma muito organizada, que tem muita experiência e que está pela quarta vez na fase de grupos.
Está há 22 jogos sem perder na sua Liga, é uma equipa cheia de internacionais, com experiência.
Para além disso, preparam-se quase em exclusivo para a Champions, porque ganham sempre os campeonatos com 15 ou 20 pontos de avanço. Jogaram um dia antes de nós e por isso vai ser um jogo difícil, duro, e vamos ter de fazer muitas coisas bem, continuadamente, para ganhar”.

Sublinhando o carácter “competitivo” (capacidade física) dos bielorrussos, Lopetegui voltou a frisar uma das suas máximas: o que se faz no passado não garante o futuro. “Teremos de ganhar com o nosso trabalho, organização, intensidade e ordem. O passado não nos oferece nada. Se tivesse a certeza de que nos dava dois golos de avanço… Mas o futebol não funciona assim”, disse. Prevejo que O BATE Borisov irá “esperar o seu momento” e obrigar o FC Porto a “chegar ao limite”.

Obviamente, numa competição de “nível alto” como a Champions League, é “importante para o FC Porto e para qualquer clube começar bem".
“Vamos entrar com esperança, ganas, fome de defrontar um jogo da Champions e desfrutá-lo sendo competitivos. Garantiu que a equipa vai tentar vencer todos os jogos, fazendo bem as coisas e estando concentrados, independentemente do rival que nos apareça”.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.