sábado, 9 de agosto de 2014

FC Porto encerra a pré-época em Inglaterra com uma vitória

09/08/2014 - Sábado, 9 Agosto 2014 - 16:00

Mais uma vez ficou provado, pelo menos para já, que não existe na equipa portista uma alternativa ao Jackson, para finalizar as jogadas, rematar à baliza, não há como o colombiano...!

WEST BROM
FC PORTO
140'  Olsson 
322'  Casemiro 51'  Jackson Martínez (c)54'  Jackson Martínez (c)








Competição: Jogo preparação - Estádio: The Hawthorns, West Bromwich

Assistência:8.670

Árbitro: Neil Swarbrick (Inglaterra)

Assistentes: Eddie Smart e Marc Perry

4º Árbitro:

West Brom : 1 Foster, 2 Wisdom, 3 Olsson, 25 Dawson, 15 Pocognoli ,17 Dorrans,
8 Gardner, 21 Mulumbu, 4 Baird, 18 Berahino, 11 Brunt (c),

Suplentes : 13 Myhill, 5 Yacob, (85' Pocognoli), 10 Anichebe, (61' Mulumbu), 20 O'Neil, 29 Sessegnon, (61' Brunt), 33 Garmston, 34 Roofe, 36 Nabi

Treinador : Alan Irvine

FC Porto : 25 Andrés Fernández, 2 Danilo, 4 Maicon, 13 Diego Reyes, 26 Alex Sandro

6 Casemiro, 16 Herrera, 30 Óliver Torres, 11 Tello, 9 Jackson Martínez (c), 8 Brahimi

Suplentes : 12 Fabiano, 24 Ricardo Nunes, 7 Quaresma, (46' Tello), 10 Quintero, 

(68' Brahimi), 14 José Ángel , (85' Alex Sandro), 15 Evandro, (79' Danilo), 18 Adrián López, (46' Óliver Torres), 19 Sami, (85' Herrera), 20 Carlos Eduardo, 21 Ricardo, (65' Jackson Martínez), 28 Kelvin, 35 Defour, 36 Rúben Neves, (46' Casemiro), 43 Igor Lichnovsky

Treinador : Julen Lopetegui

Os Dragões bateram o West Bromwich Albion (3-1), com uma grande segunda parte, em que Jackson "bisou"

O FC Porto encerrou este sábado a pré-época da melhor forma, com uma vitória convincente no terreno do West Bromwich Albion, da Primeira Liga inglesa. As equipas foram para o intervalo empatadas (1-1), mas dois golos em três minutos de Jackson Martínez, no início do segundo tempo, valeram o triunfo. Mais importante ainda é destacar a qualidade de jogo na 2ª parte, em que os portistas funcionaram como um verdadeiro carrossel. A competição "a valer" arranca já esta sexta-feira, às 20h00, no Estádio do Dragão, frente ao Marítimo.

A primeira boa oportunidade do jogo foi dos portistas ​- Jackson rematou ao lado, logo aos dois minutos -, mas o primeiro quarto de hora foi marcado pela grande intensidade das duas formações, com perdas de bola de parte a parte. A maior qualidade técnica dos Dragões foi-se impondo e, sem surpresas, surgiu o primeiro golo. Aos 22 minutos, Casemiro encostou para a baliza de Foster um canto de Tello e, ao longo de toda a primeira parte, o domínio foi dos azuis e brancos (63 por cento de posse de bola), com vários remates perigosos à entrada da área inglesa.

O West Bromwich fez apenas dois remates: no primeiro, aos 29 minutos, Berahino tentou "picar" a bola, mas Andrés Fernández (em jogo de estreia) "encheu" a baliza; no segundo, aos 40, Olsson empatou a partida, com um cabeceamento, também após um canto. Ao intervalo, o empate era lisonjeiro para a equipa da casa, mas o FC Porto tinha a obrigação, na segunda parte, de pôr mais velocidade no encontro e criar mais situações claras de remate.

Foi isso mesmo que aconteceu e, no segundo tempo, os Dragões funcionaram como um verdadeiro carrossel, com Jackson como marcador. As oportunidades de golo foram muitas, mas o resultado final foi definido logo nos primeiros dez minutos, marcados por uma grande intensidade ofensiva. Os dois golos sucederam-se em apenas três minutos: aos 52', um grande cruzamento de Quaresma encontrou a cabeça de Jackson para uma finalização simples; aos 54', Alex Sandro cruzou rasteiro, na esquerda, e o colombiano, com um grande remate de primeira, fez o 3-1.

O West Bromwich ao longo da segunda parte 
viu o FC Porto jogar, com o guarda-redes Foster a ser o jogador mais em foco, sujeito a um grande volume de trabalho. Quaresma esteve por duas vezes perto do quarto golo - Foster evitou-o aos 64 e 74 minutos - e foi um prazer ver a bola girar entre Brahimi, Herrera, Quaresma, Adrián López, Rúben Neves e companhia. Lopetegui ainda teve tempo de fazer alguns testes - Ricardo, por exemplo, cumpriu os minutos finais como lateral direito - e a conclusão final é simples: venham os jogos a doer!


Lopetegui : "Temos de continuar a trabalhar e a crescer"

​O treinador espanhol viu muitas “coisas positivas” no encontro deste sábado, mas não se ilude: “Temos muito trabalho pela frente e temos de melhorar muito mais. A competição está aí a chegar e agora vamos continuar a trabalhar e a crescer. Somos uma equipa completamente nova e creio que temos muitos jogadores de qualidade; quanto mais rápido a equipa se entrosar, melhor é. Tirando um pequeno momento da primeira parte, jogámos bem. Vem aí a competição e temos de continuar a acreditar e a evoluir”.

Lopetegui recusou falar de favoritismos na hora de abordar a próxima época: “Temos de trabalhar muito para formar uma equipa. São todos bons jogadores e queremos fazer muitas coisas boas, mas temos de acreditar e pensar como uma equipa. Sem equipa, não há nada”. Em relação ao sorteio da Champions League, o espanhol foi breve: “Temos muita esperança. Vamos enfrentar a melhor das cinco equipas que nos podia calhar, é uma equipa que ficou muito perto do Mónaco na época passada e temos o máximo respeito por eles. Temos muita esperança em chegar à Champions League e serão dois jogos para disputar e dar o máximo”.

Quando questionado sobre a qualidade do plantel à disposição, o técnico foi taxativo: “Uma equipa como o FC Porto tem de ter várias soluções para uma mesma posição. Estamos satisfeitos com os jogadores que temos aqui e no momento do primeiro jogo logo saberemos quem utilizaremos”. No final, uma palavra de apreço nestas primeiras semanas de Dragão ao peito: “Desde os adeptos que nos têm seguido até ao que encontrei dentro do clube, tudo tem sido fantástico”.

Brahimi: “Queríamos ganhar e foi bom vencer por 3-1”

O internacional argelino Brahimi também prestou declarações no final do encontro: “Era um jogo muito importante, porque era o último antes de começar a Liga portuguesa. Queríamos ganhar este jogo e foi bom vencer por 3-1. Foi muito importante para nós e para a nossa confiança e temos de continuar a trabalhar para chegar à Liga da melhor maneira”.

Brahimi admitiu estar agora a "lutar por um lugar" no "onze" inicial: “Estou muito contente por estar aqui no clube. É um plantel muito bom, com bons jogadores, e tenho que trabalhar para ganhar o meu espaço. Tenho de agradecer também ao Granada pela oportunidade”.

O argelino ainda abordou o play-off da Champions, mas sublinhou que o pensamento da equipa tem de estar na estreia na Liga portuguesa, esta sexta-feira: “Sabemos que é uma boa equipa e que serão dois jogos muito complicados, mas antes temos o jogo contra o Marítimo e ainda faltam seis, sete dias para trabalhar”.

1 comentário:

  1. Registo:
    Uma analise sumária à Equipa:
    -Defesa muito subida.
    -A equipa reage com rapidez á perda da bola.
    - Futebol tricotado, rendilhado, com obsessão pela posse de bola.
    -A rever, perdas de bola em zonas proibidas, Herrera num passe transviado cruzado, outra de Alex Sandro e de Brahimi, perdas essas que causaram relativo perigo na nossa baliza, essas perdas com uma Equipa como o Lille, podem causar amargos de boca.
    -Sobre a novidade Andrés Fernandez, mostrou que é seguro a jogar com os pés, sabe fazê-lo bem e com destreza, é rápido, mas sofreu um golo em que tem responsabilidades. Isto é, se Fabiano revela as qualidades que já lhe reconhecemos entre os postes, este Fernandez demonstra confiança a jogar com os pés, e pareceu-me rápido a sair da baliza.
    do PT

    ResponderEliminar

Abrimos portas à frontalidade, mas restringimos sem demagogia, o insulto e a provocação.